Costa diz que estado de emergência é “prematuro” e põe de lado o recolhimento obrigatório

António Pedro Santos / Lusa

Numa altura em que o número de infetados não pára de subir em Portugal, o Governo prefere manter a situação de calamidade para dar resposta à pandemia, o que permite tomar medidas como o confinamento mitigado ou o dever de permanência em domicilio, mas lhe dá capacidade de obrigar os cidadãos a nada.

Questionado por jornalistas, António Costa voltou a falar sobre a possibilidade do Governo optar pelo estado de emergência. O primeiro-ministro revelou que nesta fase da pandemia seria “prematuro” ir por este caminho, garantindo que o estado de calamidade é o mais “adequado” para a situação em que o país se encontra.

“É fundamental controlar a pandemia nesta fase porque quando chegarmos à altura em que o Inverno é mais duro porventura a tensão vai ser ainda mais do que o que é agora”, disse o primeiro-ministro, que confirmou que a capacidade do Serviço Nacional de Saúde é “extensível” e é possível aumentar o número de camas dedicadas à covid-19

Ainda assim, possibilidade de recorrer ao estado de emergência para tentar controlar a pandemia, e que coloca o Presidente da República no centro das decisões, não tem sido assunto no núcleo central do Governo, diz o Público.

O Governo opta assim por agir no âmbito da situação de calamidade prevista na Lei de Bases da Proteção Civil, que em conjunto com a Lei da Vigilância da Saúde Pública fornecem os instrumentos legais com que o Governo tem gerido o combate à pandemia. Nesta situação o confinamento é um dever cívico e não uma imposição legal, ou seja, quem o quebrar pode ser detido, notificado e multado, mas não preso.

Outro documento que esclarece sobre a gestão governativa face à covid-19 é o orçamento suplementar de 2020, assim como o será também o Orçamento do Estado para 2021, que asseguram a dimensão financeira de investimento público, no que diz respeito a medidas de saúde e também no combate à crise económica e social que é uma consequência da pandemia.

Um outro diploma que enquadrada toda a gestão de saúde pública é o Plano de Saúde para o Outono e Inverno. Segundo o Público, este plano está em fase de finalização e já recebeu contributos do Conselho Nacional de Saúde e do Conselho Económico e Social.

Dentro deste quadro legal, quase todas as medidas são assumidas e decretadas pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e pela atual ministra da Saúde, Marta Temido.

Contudo, há medidas que têm de ser tomadas pelo primeiro-ministro e pelo ministro da Administração Interna e confirmadas em Conselho de Ministros. Como é o caso da proibição de circular entre concelhos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Empresa norueguesa garante que pode "parar" furacões antes que estes se tornam destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de "cortina de bolhas" proposto pela empresa pode provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, uma startup norueguesa, assegura que a sua nova tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem …

Afeganistão: Familiares consideram "insuficientes" pedido de desculpas dos EUA

Familiares dos civis afegãos mortos por "engano" durante um ataque de um avião não tripulado 'drone' norte-americano no final de agosto em Cabul consideraram este sábado "insuficiente" o pedido de desculpas de Washington, numa entrevista …

Descoberta de pegadas fossilizadas em Espanha revela a existência de um "berçário" de elefantes

Pegadas fossilizadas foram encontradas numa praia no sul da Espanha e mostram o que pode ter sido o berçário de uma espécie extinta de elefantes. O local costeiro, situado na região de Huelva, estava normalmente coberto …

Morreu aos 98 anos o historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França

O historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França morreu este sábado, aos 98 anos, na casa de saúde de Jarzé, perto da cidade francesa de Angers, disse à Lusa a pintora Emília Nadal, sua …

Ventura: "Não vejo outra possibilidade senão a ministra da Saúde ou pedir desculpa ou ser afastada"

O Chega vai questionar formalmente o Governo pelo “facto de a ministra da Saúde ter utilizado um carro do Estado” para ir a uma ação de campanha no Porto na sexta-feira, anunciou este sábado André …

Ouvir 30 segundos de uma sonata de Mozart pode reduzir ataques de epilepsia

Ouvir a Sonata para Dois Pianos em Ré Maior (K448), de Wolfgang Amadeus Mozart, durante pelo menos 30 segundos, ajuda a reduzir a atividade elétrica cerebral associada à epilepsia resistente a medicação. Os resultados também sugerem …

Astrónomos resolvem mistério cósmico com 900 anos

Um mistério cósmico com 900 anos, em torno das origens de uma famosa supernova observada pela primeira vez na China no ano 1181, foi finalmente resolvido. Uma nova investigação, publicada dia 15 de setembro no The …

Bons hábitos alimentares podem reduzir a probabilidade de contrair covid-19

Um novo estudo indica que as pessoas que comem muitas frutas e vegetais podem ter menos probabilidades de contrair covid-19. Num pesquisa que envolveu 590 mil adultos, os investigadores descobriram que as pessoas que eram adeptas …

Inteligência Artificial está a "alimentar" a violação dos direitos humanos, alerta ONU

Num novo relatório, a Organização das Nações Unidas (ONU) alertou os países que o uso imprudente de Inteligência Artificial (IA) pode estar a pôr em causa o respeito pelos direitos humanos. Michelle Bachelet, Alta Comissária das …

Foi viajar e não voltou. O misterioso desaparecimento de Gabby Petito (e do namorado)

Gabrielle Petito, uma jovem norte-americana de 22 anos, desapareceu misteriosamente. Gabby foi viajar com o namorado, que voltou para casa sozinho e não quis contar o que aconteceu — e agora também está desaparecido. Gabby Petito, …