/

China alerta para pneumonia “mais mortal” do que a covid-19. Informações “incorretas”, garante Cazaquistão

5

Giuseppe Lami / EPA

A Embaixada da China no Cazaquistão alertou esta quinta-feira os cidadãos chineses para uma pneumonia desconhecida, cuja mortalidade é “muito maior” do que a covid-19.

De acordo com o jornal chinês Global Times, que cita um comunicado da embaixada da China no Cazaquistão, a pneumonia de causa desconhecida já matou 1.772 pessoas desde o início do ano. Só em junho, morreram 628 pessoas.

“A taxa de mortalidade da doença é muito maior que a da covid-19“, escreveu a embaixada numa declaração publoicada na plataforma WeChat.

O ministério de saúde do Cazaquistão está a estudar o “vírus desta pneumonia”. “Os departamentos de saúde do país estão a realizar pesquisas comparativas, mas ainda não identificaram o vírus desta doença”, lê-se no comunicado. No entanto, não há indicação de que esta doença esteja relacionada com o novo coronavírus, que causa a covid-19.

A embaixada está a consciencializar os cidadãos chineses no Cazaquistão sobre as medidas para impedir a propagação do vírus. Alguns especialistas chineses disseram que terão de ser tomadas medidas para impedir que a pneumonia se propague para a China. O Cazaquistão faz fronteira com a região autónoma chinesa de Xinjiang Uygur.

Por outro lado, de acordo com a CNN, o Ministério da Saúde do Cazaquistão reconheceu a presença de “pneumonias virais de etiologia não especificada”, mas negou que o surto fosse novo ou desconhecido. “O Ministério da Saúde da República do Cazaquistão declara oficialmente que essa informação não corresponde à realidade”, lê-se no comunicado onde a autoridade de saúde diz que as informações divulgadas pela embaixada chinesa “estão incorretas”.

O ministro disse ainda que vai divulgar ao público os registos dos casos confirmados na próxima semana. O número de casos de pneumonia é 2,2 vezes maior em junho do que em 2019, quando houve 1.700 casos.

Desde meados de junho, 500 pessoas foram infetadas com a pneumonia em três regiões do Cazaquistão. De acordo com a agência de notícias local Kazinform, o ministro da saúde disse que o número de doentes com pneumonia é duas a três vezes maior do que aqueles que foram infetados pelo covid-19.

Em relação à covid-19, o Cazaquistão registou 54.747 casos e 264 mortes e entrou num segundo confinamento desde domingo passado, depois de os casos de infeção terem triplicado no mês passado.

Além disso, os hospitais estão lotados, por isso as autoridades estão a converter arenas de desporto e hotéis em hospitais temporários e a mobilizar estagiários, recém-licenciados e médicos afastados devido a acusações criminais.

Mais de 1,6 milhões de pessoas foram testadas para covid-19 no Cazaquistão. Atualmente, o país está a realizar 90 mil testes por milhão de habitantes (quase 14 mil testes por dia).

  ZAP //

5 Comments

  1. Vamos ver quando chegará aqui ao Ocidente da Europa. Parece que cada vez se vê mais doenças. Crescimento demográfico, alterações climáticas, poluição, desaparecimento de espécies… Caminhamos para a extinção?

  2. excesso de população, … ?
    há que fazer limpeza, …
    tomem lá um virús,…
    enfim, …
    teorias da conspiração, …
    hahahahahaha

  3. O plano elitista de redução populacional está em velocidade cruzeiro.
    Mas a malta continua a papar a “verdade” dos media e, a usar máscara, mesmo quando viajam sozinhos no seu automóvel, fingindo que acreditam que a natureza está revoltada connosco, pois dessa forma doi menos.
    Cambada de zombies hipnotizados.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.