/

Anti-vacinas, o tenista Djokovic tem visto retirado e vai ser deportado da Austrália

8

Nic Bothma / EPA

O tenista sérvio Novak Djokovic, número um mundial, viu hoje o seu visto ser retirado pelas autoridades australianas e vai ter de deixar o país, falhando assim a participação no Open da Austrália, anunciaram as autoridades.

“A Autoridade Fronteiriça da Austrália pode confirmar que Djokovic não forneceu provas apropriadas para cumprir os requisitos de entrada na Austrália. O seu visto foi, por isso, cancelado”, lê-se num comunicado da autoridade.

Djokovic tinha dito que tinha recebido uma autorização especial para viajar para a Austrália, apesar de alegadamente não estar vacinado contra a covid-19, para poder disputar o primeiro ‘Grand Slam’ da temporada.

Contudo, à chegada ao país, Djokovic foi retido no aeroporto de Melbourne, supostamente pelo facto do tipo de visto solicitado não contemplar isenções médicas.

Os advogados de Djokovic ainda vão tentar recorrer desta decisão.

Austrália diz que Djokovic não é vítima de assédio

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, justificou a revogação do visto do atleta por não cumprir os requisitos impostos pela pandemia de covid-19.

“A Austrália tem regras claras sobre as suas fronteiras soberanas que não são discriminatórias”, disse Morrison numa conferência de imprensa em Camberra.

O primeiro-ministro australiano também recusou que Djokovic esteja a ser vítima de “assédio” como alegou o presidente da Sérvia, Aleksandar Vucic.

Djokovic chegou ao aeroporto da cidade de Melbourne na quarta-feira à noite com uma isenção médica que lhe permitiria defender o seu título no Open da Austrália, mas os funcionários de controlo fronteiriço revogaram o seu visto quando o tenista não conseguiu justificar a autorização e detiveram-no durante várias horas.

O tenista de 34 anos encontra-se de quarentena num hotel, em Melbourne, à espera de ser deportado, segundo os media locais.

20 vezes vencedor do Grand Slam, tal como Roger Federer e Rafael Nadal, o sérvio Novak Djokovic tem como objetivo alcançar em Melbourne um 21.º título do Grand Slam.

O Open da Austrália, que começa a 17 de Janeiro, é o seu torneio favorito: foi em Melbourne que o sérvio ganhou o seu primeiro Grand Slam (2008), e ninguém lá ganhou tanto como ele (nove vitórias).

  ZAP // Lusa

8 Comments

        • Diria antes que não ser vacinado é um crachá de ignorância, e ignorância da pior espécie, aquela em que a pessoa ativamente decide ser ignorante.

        • Obediência?! Ninguém o obrigou!…
          Se quer quer fazer parte da manada dos ignorantes anti-ciência tem bom remédio; faz um torneio com esses alucinados e joga com eles – isto claro, sem ser na Austrália, onde ele achava que estava acima da lei!…

      • Não impede de ter nem transmitir o vírus, mas como está mais do que demonstrado, reduz imenso a probabilidade de transmissão pelo simples facto de reduzir bastante os sintomas. Isto é mais que sabido, mas os negacionistas lá continuam com a mesma cassete.

      • Neste caso, estar vacinado permitiria participar no torneio; ele não se quer vacinar (por estupidez, ignorância, etc), portanto, é óbvio que não pode participar no torneio!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.