Desempregados e estudantes são os que mais pedem apoio psicológico ao SNS24

Os desempregados e os estudantes estão entre os grupos que mais pedem apoio à Linha de Aconselhamento Psicológico do SNS24.

No primeiro mês de funcionamento, a Linha de Aconselhamento Psicológico do SNS24 atendeu 6761 chamadas, avança o Jornal de Notícias. Dados dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) mostram uma média diária de 233 atendimentos, sendo que o dia 13 de abril foi o mais procurado, com 334 atendimentos.

Deste total de chamadas, 741 pertenceram a profissionais de saúde, porém, são os desempregados e os estudantes quem mais ajuda psicológica pede a esta linha.

As chamadas estão muitas vezes “relacionadas com situações de stress, ansiedade e pedidos de esclarecimentos” sobre, por exemplo, a “incerteza sobre a situação laboral ou a duração do isolamento social”, escreve o jornal.

Uma das conclusões preliminares de um estudo que ainda está a ser realizado por psiquiatras do Hospital Júlio de Matos, em Lisboa, mostra que “trabalhar no domicílio parece ter menos impacto na saúde mental do que não trabalhar ou trabalhar presencialmente”, explica um dos seus autores, Henrique Prata Ribeiro.

Por grupo profissional, os desempregados são os que apresentam níveis mais elevados de sintomas depressivos, ansiedade e insónia, adianta o JN, acrescentando que logo a seguir aparecem os estudantes.

Segundo Prata Ribeiro, uma explicação possível para este resultado é o facto de os estudantes, sobretudo os universitários, “estarem há mais tempo sem aulas” e por serem pessoas mais ativas que viram os efeitos da pandemia terem “maior interferência” no seu quotidiano.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE