//

Portugal continental excluído do corredor aéreo britânico. Madeira e Açores continuam

4

number10gov / Flickr

Secretário de Estado dos Transportes do Reino Unido, Grant Shapps

O Governo britânico anunciou, esta quinta-feira, a retirada de Portugal continental do corredor aéreo. A decisão, justificada pelo aumento de novos casos, exclui a Madeira e os Açores.

Através do Twitter, Grant Shapps, secretário de Estado dos Transportes do Reino Unido, anunciou que Portugal continental foi excluído da lista de destinos seguros do país. Madeira e Açores mantêm-se.

Os dados mostram que temos de retirar Portugal (exceto Açores e Madeira), Hungria, a Polinésia Francesa e Reunião da lista do Corredor Aéreo para garantir a segurança de todos. Se chegou a Inglaterra de algum destes destinos depois das 04h00 de sábado, terá de ficar em isolamento durante 14 dias”, anunciou o governante britânico.

Esta exclusão implica que os passageiros chegados de Portugal continental tenham de cumprir uma quarentena de 14 dias. A medida entrará em vigor a partir das 4h do próximo sábado.

Portugal só foi incluído na lista a 20 de agosto, mas o aumento do número de novos casos de covid-19 terá pesado na decisão. Desta forma, o continente fica novamente de fora da lista de países seguros do Reino Unido, enquanto que as regiões autónomas continuam a figurar a lista britânica.

A 31 de agosto, Chris Sainty, embaixador do Reino Unido em Portugal, já tinha avisado que “num instante” Portugal podia voltar a figurar entre os países considerados como inseguros e que os turistas tinham de estar “conformados” com a obrigação inesperada de ter de fazer quarentena.

Nas últimas 24 horas, o Reino Unido registou 2.919 novos casos de infeção, naquele que já é o quinto dia consecutivo com as autoridades a reportarem mais de duas mil novas infeções.

Por sua vez, esta quinta-feira, Portugal registou 585 novos casos de covid-19, o que eleva o total para os 62.126. Há agora 16.833 casos ativos no país, mais 425 do que nesta quarta-feira.

Na última semana, o aumento do número de novos casos de covid-19 em Portugal terá ultrapassado os 20 casos por 100.000 habitantes. Segundo a imprensa britânica, este é um dos critérios usados pelo Governo para impor restrições às viagens internacionais.

  LM, ZAP //

4 Comments

  1. A única razão para “não estarmos contentes” é a económica. Se tal assim não fosse, todos se benziam quando passassem ao lado de um Inglês na rua. Era logo pressão para não entrarem no país. A verdade é que tudo isto não passa de uma grande hipocrisia. No final, dá-se mais importância ao negócio e às “verdinhas” do que à vida das pessoas. Na Inglaterra, estão-se pouco marimbando para medidas de segurança e, depois, ainda os convidamos vir cá para quê ? Para largarem as suas libras e espalharem os seus vírus ? É que é impossível não ter uma coisa sem a outra. E para haverem prioridades, não podemos afirmar que “tudo é importante”. É preciso optar e tomar AS decisões difíceis.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.