/

EUA recomendam uso de duas máscaras para conter novas estirpes. FFP2 também serve

O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) recomendou o uso de duas máscaras em simultâneo para conter as novas estirpes e adiantou que as pessoas que tenham recebido as duas doses da vacina não têm de ficar em quarentena.

O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos recomendou a utilização em simultâneo de duas máscaras para evitar o contágio pelas estirpes do SARS-CoV-2 detetadas no Reino Unido, Brasil e África do Sul, mais contagiosas.

De acordo com as diretrizes, é recomendada a utilização de uma máscara reutilizável por cima de uma cirúrgica (que é descartável). Em alternativa, é recomendável a utilização de uma máscara considerada de alta proteção, como as FFP2, com um reforço para que fique bem fixada, de modo a bloquear a entrada do SARS-CoV-2 de qualquer maneira.

Os dois métodos demonstraram ser eficazes ao nível da redução da probabilidade de contágio em cerca de 95% dos ensaios em laboratório, avança o CDC.

Nas mesmas recomendações do regulador, lê-se que as pessoas que tenham recebido as duas doses da vacina contra a covid-19, seja a Pfizer/BioNtech ou a Moderna, não têm de ficar em quarentena caso tenham tido contacto com alguém infetado. Isto não significa, porém, que as pessoas totalmente vacinadas deixem de ter cuidados.

“Pessoas totalmente vacinadas que correspondem aos critérios já não serão obrigadas a ficar em quarentena após a exposição a alguém com covid-19″, cita a CNN.

Mas há outros critérios, como o facto de terem passado pelo menos duas semanas após a segunda inoculação, já que são precisas duas semanas para criar imunidade. Além disso, a quarenta continua a ser recomendada no caso de as pessoas terem recebido a última dose há mais de três meses ou na eventualidade de apresentarem sintomas.

As pessoas vacinadas que estejam hospitalizadas devem, no entanto, continuar a ficar em quarenta em caso de contacto com alguém infetado

Os Estados Unidos – o país mais afetado pela pandemia ao nível de contágios e de óbitos associados à covid-19 – mudaram radicalmente a estratégia de mitigação da propagação do vírus com o início da administração do democrata Joe Biden.

O Presidente anunciou a obrigatoriedade da utilização de equipamentos de proteção individual em transportes, uma decisão que até agora era exclusiva dos operadores.

Estas recomendações chegam na mesma altura em que o país está a registar o aumento no número de infeções originadas pelas variantes detetadas no Reino Unido, Brasil e África do Sul, que são mais contagiosas.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.