Japão vai descartar milhões de vacinas por não ter as seringas corretas

Abir Sultan / EPA

O Japão garantiu 144 milhões de doses da vacina da Pfizer contra a covid-19, mas não possui seringas especializadas em quantidade suficiente para retirar seis doses de cada frasco.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

De acordo com o jornal The Guardian, milhões de pessoas no Japão não vão receber a vacina da Pfizer contra a covid-19, tal como estava planeado, devido à falta de seringas especializadas, o que pode frustrar o programa de vacinação do país.

A ministra da Saúde japonesa, Norihisa Tamura, explicou que as seringas padrão que estão a ser usadas não conseguem extrair a sexta e última dose de cada frasco fabricado pela farmacêutica norte-americana.

O diário britânico escreve que o país asiático tinha assegurado 144 milhões de doses desta vacina, o que seria suficiente para 72 milhões de pessoas, na suposição de que seriam aproveitadas as seis doses de cada frasco.

Porém, a escassez de seringas de baixo “espaço morto” – que têm êmbolos estreitos que podem empurrar qualquer vacina restante – significa que terão de ser usadas as seringas padrão, que são capazes de extrair apenas cinco doses. Assim sendo, só 60 milhões de pessoas poderão ser vacinadas.

“As seringas usadas no Japão podem retirar apenas cinco doses. Vamos usar todas as seringas que temos e que podem tirar seis doses, mas, claro, não serão suficientes à medida que mais injeções forem administradas”, disse Tamura, de acordo com a agência de notícias Kyodo, citada pelo The Guardian.

Entretanto, o Governo nipónico está a pedir aos fabricantes de equipamentos médicos para aumentarem a produção dessas seringas especializadas.

“Quando o contrato foi feito, não tínhamos a certeza se um frasco poderia ser usado para seis doses. Não podemos negar que fomos lentos a confirmar isso“, disse também um funcionário do Ministério da Saúde japonês à agência noticiosa Jiji Press.

Isto significa que quando o Japão começar o seu plano de vacinação, em meados de fevereiro, os profissionais de saúde vão ser obrigados a descartar a sexta dose, disse o principal porta-voz do Governo, Katsunobu Kato.

Este é um problema que não está a afetar só o Japão. Os Estados Unidos e alguns países da União Europeia, incluindo Portugal, também reportaram uma escassez de seringas deste género.

  Filipa Mesquita, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.