Medina recua e diz que “há convergência total” com Governo no combate à pandemia

Tiago Petinga / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa (D) conversa com o Presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina (E)

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse hoje que “há convergência total” com o Governo no combate à pandemia de covid-19, recusando que as críticas que fez à atuação das autoridades de saúde correspondam a uma “ferida”.

“Nada disto corresponde a uma ferida e a uma fissura, há uma convergência total entre Governo, Câmara de Lisboa, todos os municípios da Área Metropolitana de Lisboa, a fazer o maior esforço possível para enfrentar esta pandemia”, afirmou Fernando Medina, durante a reunião pública da Câmara de Lisboa, que decorreu por videoconferência.

Contudo, salientou, essa convergência não inibe a utilização da palavra de uma forma “muito direta, objetiva, construtiva” para a resolução de “pontos críticos” que é preciso melhorar para a “eficácia coletiva na resposta”.

Na terça-feira, no seu espaço de comentário político na TVI, Fernando Medina criticou a atuação das autoridades de saúde no combate à pandemia de covid-19 dizendo que “com maus chefes e pouco exército não é possível ganhar esta guerra”.

Posteriormente, numa entrevista ao ‘podcast’ do PS “Política com Palavra”, o autarca, que é também presidente da Área Metropolitana de Lisboa, esclareceu que as suas críticas visaram “especifica e circunscritamente” as chefias regionais e a equipa que está no terreno na Grande Lisboa.

Hoje, depois de questionado pelos vereadores do CDS-PP, do PCP e do PSD sobre essas declarações, Fernando Medina reconheceu que suscitaram “múltiplas interpretações”, mas especificou que o que disse foi no sentido de que é preciso, de forma rápida, testar, ter resultados, fazer os rastreios e assegurar que os infetados têm condições para ficar em isolamento.

“Se temos de fazer isto rapidamente, temos então de suprir as falhas que estão neste momento a impedir na região de Lisboa e Vale do Tejo que isto seja feito com eficácia, foi este o sentido das minhas declarações públicas”, assinalou, notando que ainda não encontrou nenhum especialista que discordasse dessa estratégia.

“O que afirmo é que precisamos de ter os recursos necessários no terreno para que tudo isto ocorra em tempo, não vi ninguém criticar isto. Aliás, vejo com agrado que tem havido reforços sucessivos desta capacidade operacional no terreno”, acrescentou, insistindo que defende a existência de mais recursos e que todo o processo se desenvolva de forma o mais rápida possível.

Reiterando que “é preciso haver boas chefias nos sítios certos”, principalmente numa operação de “grande exigência” como a de combate à pandemia, em que “tudo tem de ser feito com muita rapidez e muita coordenação”, o autarca salientou ainda que um dos maiores desafios da situação de Lisboa é que as 19 freguesias de cinco concelhos (Lisboa, Loures, Amadora, Sintra e Odivelas) que continuam em situação de calamidade têm quase um milhão de habitantes, correspondendo a zonas com “fortíssimas ligações e permeabilidades”.

Fernando Medina recordou também que foi proposta ao Governo a articulação das equipas de saúde pública com os sistemas de proteção civil dos municípios e que essa solução já está a funcionar no terreno.

Desta forma, as equipas de saúde pública deixaram de estar sozinhas a fazer um trabalho muito vasto que incluía, por exemplo, arranjar alternativas habitacionais para as pessoas precisassem de estar em isolamento e não tivessem condições para o fazer.

“Nós temos sistemas de proteção civil, todos os municípios têm, com grande capacidade de mobilização de recursos que podíamos apoiar essa tarefa”, afirmou Fernando Medina, insistindo que tem “um sentido da urgência do tempo”.

// Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Isto é mesmo “um diz que disse”, segredinhos. panelinhas, ora está bem, ora está mal, afinal não é bem assim, foi engano, não era bem isso que queríamos dizer. A TAP ora se nacionaliza ora se privatiza. Já queriam mesmo uma nova TAP igual ao novo banco, que foi um sucesso! Enfim, o vírus não se propagou, em Lisboa, por causa da sobrelotação dos transportes públicos,o vírus avançou por causa da falta de técnicos!

    • É o contorcionismo ilusionista, que é uma especialidade desta governo. O povo ainda não viu ? Então que vá vendo, para não serem comidos por lorpas.

    • É como aquela do ministrozeco das Infraestruturas que anda a comprar comboios espanhóis que estavam na sucata, por milhões de euros. É uma negociata pouco clara. Cheira-me a jogatana.

RESPONDER

O Bosão de Higgs foi apanhado a fazer algo inesperado

Uma equipa de cientistas do Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN) observou o Bosão de Higgs, a fazer algo inesperado: à medida que caía, esta parecia decompor-se numa combinação inesperada de partículas. De acordo com …

Feitos de estrelas. Os nossos ossos são compostos por estrelas que explodiram

Uma nova investigação concluiu que metade do cálcio do nosso Universo é oriundo de uma supernova rica em cálcio, que explodiu há milhões de anos. O novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista …

"Monarquia criminosa". Parlamento declara Catalunha republicana e não reconhece o rei

O Parlamento catalão aprovou esta sexta-feira uma resolução na qual declara que “a Catalunha é republicana e, portanto, não reconhece nem quer ter um rei”, rotulando a monarquia de “criminosa”. A resolução foi aprovada em sessão …

Novo método deteta metais tóxicos em alimentos e água em apenas algumas horas

Uma equipa de cientistas da Universidade de Joanesburgo, na África do Sul, desenvolveu um método sensível para detetar níveis perigosos de metais pesados em alguns alimentos e água. Os vestígios de metais como chumbo (Pb), arsénico …

Meghan Markle vence primeira batalha judicial contra jornal britânico

A Duquesa de Sussex conseguiu que o Tribunal Superior de Londres optasse por manter anónima a identidade das suas cinco amigas, como parte da ação legal que está a ser levada a cabo. O 39º aniversário …

Cientistas obrigados a rebatizar dezenas de genes humanos. A culpa é do Excel

Só no ano passado, os cientistas viram-se obrigados a mudar os nomes de 27 genes humanos por causa de um erro de leitura do Microsoft Excel. Tal como explica o portal The Verge, que avança …

"Vai continuar a queimar". Covid-19 é mais parecida com um fogo florestal do que com ondas e picos

Com o surgimento do novo coronavírus no mundo, vários especialistas previam que este iria surgir em ondas e picos. Agora a visão de futuro é outra e os especialistas dizem que a pandemia se compara …

Mudanças climáticas podem vir a causar mais mortes do que a covid-19, alerta Bill Gates

  As mudanças climáticas podem custar muito mais vidas nas próximas décadas do que a pandemia do novo coronavírus (covid-19). O alerta é do co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que, através de uma reflexão no seu …

Descoberta a primeira disrupção gigante nas nuvens de Vénus

Uma equipa internacional de cientistas, que incluiu um investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), descobriu a "primeira disrupção gigante" nas nuvens de Vénus que tem fustigado as zonas profundas da atmosfera …

TVI aposta em estúdio a Norte. Nuno Santos quer Informação mais ao estilo da SIC Notícias do que da CMTV

O diretor-geral da TVI, Nuno Santos, afirmou, em entrevista ao jornal Público, que a estação de Queluz de Baixo vai apostar num estúdio no Norte, revelando ainda que pretende mudar a Informação do canal mais …