/

México regista novo recorde diário de casos. EUA com mais de 61 mil casos em 24 horas

Enric Fontcuberta / EPA

O México atingiu um novo recorde diário nas últimas 24 horas, registando 9.556 infetados com o novo coronavírus. Os Estados Unidos registaram 61.270 infetados nas últimas 24 horas.

O México registou mais 784 mortes e um recorde diário de 9.556 infetados com o novo coronavírus, elevando o total de óbitos para 47.472 e o de casos para 434.193, anunciaram as autoridades neste sábado.

Segundo a Universidade Johns Hopkins, o México já ultrapassou o Reino Unido em mortes e só é superado pelos Estados Unidos e pelo Brasil, sendo também a sexta nação com mais casos. No entanto, com uma população de 130 milhões de pessoas, ocupa o 13.º lugar na taxa de mortalidade por milhão de habitantes, segundo o portal de estatísticas Worldometers.

Os dados oficiais têm sido questionados desde a deteção do primeiro caso a 27 de fevereiro, uma vez que as autoridades de saúde se recusaram a realizar testes em massa e o México é um dos países da OCDE com menos testes.

Investigações jornalísticas baseadas em atestados de óbito calculam que, na capital, o número de óbitos é três vezes maior que o detetado.

Já os Estados Unidos registaram 1.181 mortos e 61.270 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo uma contagem independente da Universidade Johns Hopkins. Os últimos números elevam o total de mortes para 154.319 e o de casos confirmados para 4.611.517.

O balanço realizado às 20:00 de sábado (01:00 de hoje em Lisboa) pela EFE confirmou ainda que apesar de Nova Iorque não ser mais o estado com o maior número de infeções, ainda é a mais atingido em termos de mortes nos Estados Unidos, com 32.694, mais do que França ou Espanha. Somente na cidade de Nova Iorque morreram 23.536 pessoas.

O saldo provisório de mortes já excedeu em muito as mais baixas estimativas da Casa Branca. Donald Trump estava confiante de que o número final seria entre 50 mil e 60 mil mortes, embora mais tarde tenha subido a estimativa para 110 óbitos, um número que também foi excedido.

Já o Instituto de Métricas e Avaliações de Saúde da Universidade de Washington, cujos modelos de previsão da evolução da pandemia têm servido de base para os cálculos feitos a partir da Casa Branca, indica que os Estados Unidos vão chegar às eleições presidenciais de 3 de novembro a atingir os 230 mil.

Índia com mais de 1,75 milhões de casos de covid-19

O número total de infetados com o novo coronavírus na Índia é já superior a 1,75 milhões, após outro pico de contágios de 54.735 registados nas últimas 24 horas, anunciados pelas autoridades de saúde.

O Ministério da Saúde também registou 853 mortes num só dia, totalizando 37.364 desde o início da pandemia. Somente o mês de julho foi responsável por mais de 1,1 milhão de casos na Índia.

Segundo a Comissão Nacional de Saúde, a China registou 49 novos casos confirmados de coronavírus no sábado, 33 deles contágios locais na região oeste de Xinjiang e na província nordeste de Liaoning.

Os números das últimas 24 horas dados representam um aumento de quatro casos em relação a sexta-feira, mas bem abaixo daqueles registados nos três dias anteriores, sempre acima de 100 contágios diários.

Entre os 33 contágios locais, 30 foram detetados em Xinjiang e três em Liaoning. Dois dos casos importados foram identificados em Cantão, na província de Guangdong, vizinha de Macau.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 680 mil mortos e infetou mais de 17,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.