Portugal recusa-se a fechar. “Parece que estamos a celebrar o modelo sueco”

Alejandro Garcia / EPA

António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa parecem estar de acordo: Portugal não pode voltar a parar. Um especialista consultado pelo semanário Expresso defende que “parece que estamos a celebrar o modelo sueco”.

António Costa admitiu, na sexta-feira, que Portugal pode chegar, esta semana, aos mil casos diários de infeção pelo novo coronavírus, mas rejeitou voltar a parar o país. Horas mais tarde, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, apontou na mesma direção: “a pandemia está longe do fim, mas a economia não pode parar”, sublinhou.

Ambos os responsáveis políticos frisaram a responsabilidade individual dos cidadãos na luta contra a covid-19. Em declarações ao Expresso, o imunologista Henrique Veiga Fernandes considerou que “este ênfase é inevitável” e está em linha com o discurso de outros líderes europeus.

Já Nuno Dias, sociólogo, mostrou-se “surpreendido” com o “tom de ameaça“: tanto o primeiro-ministro como o Presidente responsabilizam os cidadãos “quando, na verdade, não temos provas de que o aumento de casos nas últimas semanas seja uma consequência de uma maior irresponsabilidade”.

O aumento de novos casos de infeção tem-se verificado um pouco por toda a Europa, mas há uma exceção: a Suécia. Neste país nórdico, “o que se verifica é que, apesar de não estar a aumentar o número de casos diários, os suecos já têm um número bastante elevado” de infeções.

Ao contrário da generalidade dos outros países, a estratégia da Suécia não passou pela aplicação de medidas de confinamento.

No caso particular de Portugal, “não podemos fechar o país”, mas, por outro lado, “há esta ideia de inevitabilidade de novos casos”. “Em simultâneo, parece que estamos a celebrar o modelo sueco“, explicou Nuno Dias ao Expresso.

“Estamos mais ou menos convencidos de que o modelo sueco poderá ter um conjunto de opções mais interessantes no longo prazo. Mas a verdade é que o longo prazo ainda não aconteceu. Há um inverno para chegar e a aceleração dos contactos inevitáveis nos transportes públicos, nos locais de trabalho e nas escolas, o que é imprevisível”, disse.

No mesmo sentido, e apesar de subscrever a ideia de que cada cidadão deve ser “um agente de saúde pública”, Henrique Veiga Fernandes sublinhou que não está “a fazer a apologia da estratégia sueca”.

ZAP //

PARTILHAR

41 COMENTÁRIOS

  1. Não faz o sociólogo, mas faço eu a apologia do modelo sueco.
    Há mais contágios? Sim há. Mas o número de mortos não é proporcional. E casos curados? Porque não interessa divulgar os números? E porque a infecção desaparece em menos tempo agora do que em Março/Abril. E porque as infecções alastram nas faixas etárias mais baixas mas os mortos continuam acima dos 70 anos? Isto é uma gripe, não é o Ebola

    • É uma gripe é.. olha.. mais um a dizer que é uma gripe. Tenha juízo! Se visse as autópsias sabia bem que de gripe isto nada tem! Desde o endotélio todo destruído.. passando pelos pulmões todos “comidos” como se fumasse faz 50 anos… é abelha. isto é só uma gripe!!

      Pensas que apanhas a doença e recuperas sem mazelas? Até pode ser.. mas.. tudo indica que poucos são os que têm essa sorte! “Curados”.. só de nome…

      • É verdade. Os “curados”, ou melhor aqueles que não falecem da COVID 19, ficarão com mazelas bem evidentes em diferentes órgãos. Não se cuidem, não!

    • Podes ir para lá viver que ninguém se vai importar. Já agora faz apologia ao ordenado e condições de vida que os suecos usufruem para os tugas

  2. Se todo mundo usa máscara porque os casos aumentam?
    A culpa e sim da população que não toma os devidos cuidados no que diz respeito a higiene pessoal de cada um e distanciamento social quando possível.
    A única culpa que colocaria no governo agora seria por conta dos meios de transporte que não são suficientes para atender toda população.
    Temos que aprender a viver com a pandemia enquanto não a cura se ficar parando economia toda hora não há país rico no mundo que resista.

    • Ora diga lá os dados que tem para fazer essa afirmação?

      Eu dou-lhe um exemplo concreto do oposto, Espanha ainda tem muitos serviços fechados (desde março) e o uso obrigatório de mascara em todo o lado desde o inicio de Agosto, inclusive na rua ao ar livre, também proibiu comer ou beber na via publica para não haver desculpa para tirar a mascara, aplica multas (e muitas) a quem é apanhado sem mascara. É visível o respeito pela norma (ou o medo).
      No entanto olhe para os contágios e o numero de mortos (só este mês e muito depois da regra ser aplicada para não haver a desculpa do tempo de incubação).

      Agora diga lá onde é que a mascara e o distanciamento é a solução?

      • Chamo a atenção para ir ajuntamentos em festas ilegais de que a Espanha é pródiga.
        Macau é bom exemplo de que as máscaras e o respeito pelas normas resulta e bem

        • Sousa, volto a repetir, quais os dados que mostram que foram as máscaras?
          Macau aplicou um conjunto de medidas além das máscaras.

          O meu exemplo mostra que em Espanha falharam as medidas, e duas delas é as máscaras e o distanciamento.
          Portanto existem alguns dados que mostram alguma incógnita.

          Ao contrário, Macau funcionaram bem as medidas, mas não sabemos quais, as máscaras eram uma delas mas não a única.

          O que me preocupa é que andam uns quantos assustados e que acham que as máscaras são a solução, mas na realidade é apenas mais uma proteção, se não aplicar as outras, a máscara só por si vale 0.
          Tem o factor negócio e existe um lobby fortíssimo nas máscaras, isso sim.

          Higiene e evitar tocar na cara sem antes lavar bem as mãos é muito mais eficiente que a máscara (existem dados científicos que suportam a afirmação) e você não vê as pessoas preocupadas com instalação de pontos de higiene (lavatórios) na cidade.

    • 100% de acordo.

      Dados estão escondidos — a transparência não existe.

      Interessante que basta passar por uma escola, rua e outros locais e verificar como as pessoas se comportam: falha no uso de máscara, falha no distanciamento.

      Com relação a consequências das infrações, não sei que dados existe sobre as mesmas e se as penalizações são realmente efetivas.

  3. A Suécia tem exactamente a mesma população que Portugal e já tem mais vinte mil infectados do que o nosso país. Só em Março vamos poder tirar conclusões sobre se o modelo Sueco foi ou não eficaz. Faltam ainda cinco meses de Outono e de Inverno em todo o hemisfério norte. Se não for ordenado nenhum confinamento tanto podemos atravessar o Inverno com uma média diária de dois a três mil infectados por dia como a situação pode descontrolar-se e o governo e o serviço nacional de saúde se virem confrontados com uma taxa diária na ordem dos vinte a trinta mil novos infectados.

    • Pois eu faço a apologia de não ter de seguir o modelo sueco.
      1 – As estatísticas suecas da “segunda vaga” que estão de moda, olham apenas para 1-2 semanas, e concluem que a suécia está melhor que outros países. está sim, agora. Se olhar para a curva total dos casos da suécia, pode ver que o pico deles foi mais tarde, em junho. Vamos ver se em outubro a suécia ainda vai ser um caso modelo.
      2 – Isto não é uma gripe. Os casos de miocardites e inflamação crónica depois de o virus desaparecer são muito mais elevados. Vários estudos apontam para taxas de 60-70% 2 meses depois de a “gripe” desaparecer. O que nunca acontece com o virus da influenza por exemplo. Portanto é uma “gripe” que tem grandes taxas de sequelas nos tecidos cardíacos e neurológicos a médio prazo pelo menos, meses. A longo prazo, podemos falar daqui por 3-5 anos.
      3 – Eu por mim, e pelo meus putos, prefiro não ser parte da “experiência ecónomica”, ser uma estatística nos casos de possíveis sequelas crónicas, que não estão comprovadas, nem tão pouco desprovadas. Mas não retiro o direito a quem queira. Agora, prefiro que não seja o governo a decidir por mim. Voluntário à força não obrigado. 😉

      • A sua posição parte do pressuposto que maior número de infectados é um problema. Será?
        É que a conversa, desde início, foi no sentido de evitar que houvesse muita gente em simultâneo com problemas de saúde provocadas por este vírus.
        No entanto, o que se tem demonstrado por eles é que os assintomáticos são cada vez mais, mesmo de idades avançadas, o que poderia ser visto como uma boa notícia, pois isso devia ser uma boa notícia, visto que apesar de mais infectados, as consequências são muito mais reduzidas.

    • A Suécia não tem morte por civid há mais de 8 dias. A máscara em espaços ao ar livre é uma parva panaceia que não resolve nada, e pode, a longo prazo, trazer para muitas pessoas oroblemmas de saúde por impedir durante longos e contínuos períodos de tempo expulsar a. carbónico e voltar a levá-lo para a corrente sanguínea devido ao uso da máscara. Basta ver o caso de Espanha e França, que há 2 meses introduziu o uso obrigatkório da máscara, e cada dia têm maus infeções e mortes.

  4. Um sociólogo a fazer de conta que possui profundo conhecimento sobre a dinâmica de uma pandemia e a mandar bitaites. Celebremos, sim, o modelo Sueco!

  5. Quero ver quando começar a morrer nossas crianças. Se a apologia a Suíça é certa. Isto é só a ganância do ser humano pelo poder, pelo dinheiro. Nunca mas q vai acabar essa pandemia. Acaba essa vem outra pior. Porque se quiserem acabar com isso. Já estaria feito,com a prevenção. O dinheiro q chega era pr ser pr isso,prevenir,não remediar. É dinheiro q as empresas privadas querem pr por más transportes dá-lhes.. Averia mas transporte é dinheiro q os hospitais necessitam dá-lhes. Averia mas médicos. Isso sim seria prevenir. Só é cego aquele q não quer ver. É mesmo o fim do mundo em cuecas.

  6. A culpa não morre solteira…
    Mas o governo que tanto se preocupou com as receitas externas para este verão leva sim uma grande parte dessa culpa. Basta olhar para o nosso país vizinho cujas fronteiras estão totalmente abertas. As linhas aéreas sem controlo vindas da Inglaterra. E toda a publicidade dos portugueses passarem férias dentro do país.
    Tanto criticaram o Bolsonaro que agora vão fazer exatamente o mesmo.
    O governo não teve culpa? Pois fiquem a saber que o governo só colocou o estado de emergência no país para ir buscar dinheiros externos. Porque agora que já não há mais dinheiro externo, não têm vantagem em confinar novamente o país… E a taxa etária mais velha que vá morrendo porque são menos reformas e aposentadorias que o estado tem de pagar.

  7. É só iluminados, esta secção de comentários. Perante uma doença sobre a qual ainda se sabe tão pouco… Tanta assertividade bacôca.

  8. Em relação a este assunto, só tenho a dizer que tenho pena não termos por cá mais modelos suecas, se é que me entendem 🙂

  9. Aqui…em Alguidares Furados, temos uma enorme População de vinte Habitantes, sem contar com o gado, claro!….. e sem o tal bicharoco. Porque não adoptam o nosso modelo ?

  10. Mas olhe que elas devem estar todas infectadas. Lembre-se que neste país civilizado não houve confinamento e pode mesmo apanhar o dito cujo! Parece que aquilo não correu tão bem como eles esperavam e vão ter que adoptar novas medidas! Tenha paciência e espere, mais uns meses, até vir a desejada vacina devidamente experimentada!

  11. Ó atento, não adoptamos o vosso modelo simplesmente porque não é sueco!! E vejam lá se tapam os furos dos alguidares para o bicho não entrar!!!

  12. Excesso de informação e de informação ao mesmo tempo leva a isto mesmo… comentários incluídos, incluindo o meu.
    Vivemos neste planeta a milhares de anos e uma coisa é certa, com mazelas ou sem mazelas teremos de viver com estes e outros vírus que apareceram, a vida é isso mesmo.
    Só daqui a uns anos é que se saberá realmente quem tinha mais ou menos razão quanto a metodologia a aplicar.
    Espero que apareça uma vacina eficaz e livre de teorias da conspiração e que os tratamentos fiquem melhores
    A vida tem de continuar.

  13. Antes até punham a polícia a meter-nos dentro de casa. Agora, como cofre já baixou, não querem o pessoal retido. Esta corja não sabe o que há-de fazer. A incompetência é a rodos. Pobre país.

  14. Não se preocupem só com a pandemia, o aquecimento global também é importante, “economia não pode parar” mas foi graças à pequena pausa que se deu que o nosso planeta melhorou, não é só o COVID que nos afeta o ambiente poluído também e até mais… O covid é apenas um cheirinho perto das outras doenças novas que virão provocadas pela poluição e falta de higiene no planeta.

  15. Querem a cura da Covid? Parem de acompanhar os noticiários. A imprensa global só interessa a marretar o pânico na população.
    O vírus chines veio desta vez com um excelente suporte de marketing, diferentemente dos demais anos anteriores.
    O povo que se deixa escravizar com “recomendações salvadoras” de órgãos internacionais, acabará pagando o preço com sua saúde física e mental.
    # fiqueemcasa #usemascara … já apontam para graves consequências, concordam?
    Pelo visto, a covid veio para fazer um estrago muito maior que uma simples gripe.

  16. Parece que todos nós percebemos bem do que falamos, e até bem informados de efeitos, consequências e afins.
    COVID é tema de negócio, os rodapés de noticiários não param sobre as 4 ou 5 mortes diárias, por COVID, porém não existe a mesma assertividade quanto ao numero de mortes diárias por falta de assistência, por falta de rastreio de doenças oncológicas, etc. e são muitos os etc. O markting COVID está a funcionar muito bem, garante cuidados e internamento, porém e em nome do mesmo, centenas de pessoas não tem acesso á assistência médica nos centros de saúde e muito menos nos hospitais, no imediato falecem e são mais um numero que não conta, enquanto a curto e médio prazo na manifestação das mais graves doenças, são enviados para casa com os pensos de morfina, com o peso emocional e castrante da vida familiar, ficando por sua conta a responsabilidade de minorar a dôr até ao ultimo suspiro. Os médicos dizem que estes doentes não são para falecer no hospital os cuidados paliativos são escassos, só para ALGUNS os outros somos nós!
    Deixem de fazer da saúde um negócio de 4 ou 5 milhões de máscaras diárias, de hectolitros de álcool e tratem de pessoas sem que sejam somente um numero para o negócio.
    Só para lembrar que, e dito pelo director do hospital de S. João do Porto, morre a cada hora, um paciente com doença oncológica diretamente relacionada com o aparelho digestivo…comparem somente !

  17. Ando de transportes todos os dias.. E verdade seja dita.. Vão uns em cima dos outros.. O elétrico 28 então parecem sardinhas.. Enlatadas. A culpa tb se deve a quem manda… Os motoristas vêm q o transporte tá lotado mas msm assim para em todas as paragens pra entrar gente.. 2 metros de distância lol.. Vindo o inverno vai ser o regabofe.. Em vez de controlarem o surto e só depois abrir fronteiras.. Não.. Só vem dinheiro miséria de país

  18. culpa ‘e 100 cento dos politicos, a muito tempo andam a sonhar muito alto, mas sem trabalho nao ha salarios..

    Pais fechou industrias e muitas empresas dedicou se ao turismo… agora com virus o povos nao podem vir… e nao temos nem industria e nem turistas.. vao chamar os culpados para explicar ao povo o porque da teimosia… tanta gente a comentar mas pais precisa de empresas e industria… emigrar agora tambem nao deve ser facil porque paises teem menos oferta de trabalho e teem tambem muito desemprego local…

    Quanto nao se tem juizo o mundo ‘e nosso… assim diziam os antigos…

RESPONDER

Covid-19 só explica 27,5% do acréscimo de mortalidade

As mortes por covid-19 em Portugal entre 02 de março e 18 de outubro representam apenas 27,5% do acréscimo da mortalidade registado relativamente à média dos últimos cinco anos, revelou esta sexta-feira o Instituto Nacional …

PCP desafia Governo a renacionalizar os CTT

O secretário-geral do PCP desafiou hoje o Governo a responder "à chantagem" do "grupo Champalimaud", retirar-lhe a concessão do serviço postal e renacionalizar os CTT. A proposta foi feita por Jerónimo de Sousa depois de estar …

"Covid persistente" atinge cerca de 20% dos curados (mas não recuperados)

Um novo estudo britânico indica que vários pacientes podem apresentar sintomas e sequelas durante vários meses, mesmo depois de testarem negativo. Os casos de “covid persistente” afetam maioritariamente mulheres e idosos. Há ainda muito por descobrir …

Acuña já é destaque em Espanha: "Não é bom nos 100 metros, mas..."

O ex-jogador do Sporting será uma referência para Lopetegui e já demonstrou um grande nível no jogo da Liga dos Campeões contra o Rennes. Marcos Acuña chegou a Sevilha há um mês e meio mas começa …

Portagens devem manter preços em 2021

Os preços das portagens nas autoestradas deverão voltar a manter-se em 2021, a confirmar-se a estimativa da taxa de inflação homóloga, sem habitação, de -0,18% em outubro, divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). A fórmula …

Governo estuda novo confinamento total nas duas primeiras semanas de dezembro

O Governo está a ponderar decretar um novo confinamento total da população portuguesa nas duas primeiras semanas de dezembro. A notícia foi avançada esta sexta-feira pela TVI e, entretanto, confirmada por outros órgãos de informação. O …

Pelo menos 140 pessoas afogam-se no naufrágio mais mortal de 2020

Pelo menos 140 migrantes morreram afogados ao largo da costa senegalesa depois de a embarcação em que seguiam se ter incendiado e naufragado, avançou a Organização Internacional para as Migrações (OIM). O barco transportava 200 pessoas …

Nélson Évora terminou contrato com o Sporting

Nelson Évora, campeão olímpico do triplo salto nos Jogos Olímpicos Pequim2008, vai deixar o Sporting após o fim do contrato com o clube, no sábado, confirmou à "Lusa" fonte oficial do Sporting, esta sexta-feira. O atleta, …

Nova Zelândia aprova eutanásia. Mas rejeita legalização da marijuana

Os neozelandeses aprovaram a eutanásia voluntária, mas rejeitaram a legalização da marijuana para uso recreativo, em dois referendos realizados em 17 de outubro, anunciou esta sexta-feira a Comissão Eleitoral. Cerca de 65,2% dos neozelandeses votaram a …

Governo pondera novas medidas de apoio ao emprego e empresas

O Governo está a ponderar novas medidas de apoio ao emprego e às empresas em resposta ao agravamento da pandemia de covid-19, disse hoje o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro …