“Não hesitaremos” na requisição civil dos hospitais privados, diz Marta Temido

José Sena Goulão / Lusa

A ministra da Saúde, Marta Temido

A ministra da Saúde, Marta Temido, admitiu esta segunda-feira que o Governo não hesitará “em lançar mão” da requisição civil dos hospitais privados caso não se consiga, “por acordo, ultrapassar as dificuldades”.

“Neste momento temos 19 convenções celebradas na ARS do Norte para a aquisição de camas que nos dá cerca de 150 camas não Covid e outras 150 Covid. Em Lisboa e Vale do Tejo essa capacidade é muito mais reduzida, temos apenas 100 camas (…) o que torna a gestão de doentes muito complexa”, disse Marta Temido, à porta do Hospital das Forças.

O Hospital das Forças Armadas, em Lisboa, dispõe de camas de internamento e cuidados intensivos para doentes infetados com a covid-19.

Citada pelo ECO, a responsável referiu que já se sabia “que este mês ia ser extraordinariamente difícil”, devido às festas de natal e fim de ano, e que a única maneira de se resolver a pressão existente nos hospitais é “baixando os níveis de transmissão”.

“Temos que enfrentar e ultrapassar o aumento do número de casos através da articulação com os serviços de saúde”, concluiu a governante, referida pelo Jornal Económico.

Quanto ao número elevado de novos casos, reconheceu a pressão sobre o Sistema Nacional de Saúde (SNS).

“Estamos todos a enfrentar um aumento do número de casos e isso coincide com alguma abertura durante o período das festas natalícias e também daquilo que é a evolução da doença e o período climatérico que estamos a atravessar muito também castigado por infeções respiratórias”, afirmou. “Temos que enfrentar e ultrapassar através da articulação com os serviços de saúde”, acrescentou.

Taísa Pagno Taísa Pagno //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. “Nao hesitaremos”… a hipocrisia desta frase é absolutamente inqualificável. Conheço varias pessoas às quais foram recusados internamentos que de outra forma teriam sido admitidos por nao terem COVID. Consultas e operaçoes adiadas, etc
    Ainda estamos a ponderar a requisição civil, porquÊ? Como “nao hesitaremos” se ja o estao a fazer a partir do momento em que assumem que o SNS está no limite – em parte porque está ha anos em subdesenvolvimento e no limite da capacidade – e que já começa a escassear a capacidade de responder aos doentes COVID e não-COVID? E porque a obsessao pela proteçao dos doentes COVID? Que eu saiba continuamos com uma taxa de mortalidade de apenas 1,6% em Portugal, e na sua larga maioria (90%) com mais de 70 anos e comorbidades.

  2. É quase intocável este sector da saúde! É preciso lidar com eles com muita souplesse. Esquecem-se que a maior parte da formação do seu staff foi financiada pelos nossos impostos e quando precisamos muito deles batem-nos com a porta na cara! Que grande ingratidão!!

RESPONDER

408 novos casos e 5 mortes por covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas

Nas últimas 24 horas há cinco óbitos a registar e 408 novos casos de covid-19. Há ainda mais 746 recuperados. O boletim da DGS desta terça-feira, dia 13 de abril, dá conta de 25.441 casos ativos, …

Lei prevê serviço universal de Internet. Operadoras vão informar sobre “melhores preços” uma vez por ano

A proposta de lei das Comunicações Eletrónicas prevê a adoção de "medidas necessárias" para que os consumidores com baixos rendimentos tenham acesso ao serviço universal, o que pode passar pela designação de vários prestadores deste …

João Ferreira contra "bipolarização", apela ao voto dos descontentes em Lisboa

Esta segunda-feira, o candidato comunista à câmara de Lisboa, João Ferreira, salientou que "é importante não deixar o descontentamento aprisionado numa encenada bipolarização". O candidato da CDU à câmara de Lisboa, João Ferreira, apelou esta segunda-feira …

Expetativa era que Novo Banco usasse no máximo 1,5 milhões. Venda acelerada gerou perdas além do previsto

Sérgio Monteiro, consultor do Banco de Portugal para a venda do Novo Banco, revelou esta terça-feira que a "expectativa central" em 2017 era que o banco pedisse, no máximo, 1,5 mil milhões de euros ao …

TAP adia negociações para novos acordos até ao fim do ano

Os acordos de emergência previam que fosse dado início, no primeiro trimestre, ao processo negocial para a revisão dos instrumentos de regulamentação coletiva de trabalho. No entanto, a TAP formalizou, junto do Governo, um pedido …

Vacinação terá evitado 140 mortes. Portugal pode atingir "zona vermelha" em 15 dias

Houve um "ligeiro crescimento" no número de novos casos de covid-19 em Portugal, mais notório nas crianças até aos 9 anos, com uma descida nos idosos. Este dado é um fruto da vacinação que terá …

Cientistas implantam (e apagam) memórias falsas nas mentes de voluntários

Uma equipa de cientistas alemães mostrou como memórias falsas podem ser facilmente implantadas e apagadas da mente de pessoas. As descobertas têm sérias implicações no sistema judicial. As memórias não são confiáveis, até porque o cérebro …

Deputada Cristina Rodrigues propõe que trabalhadores tenham direito a desligar

A deputada não inscrita Cristina Rodrigues propôs alterações ao Código do Trabalho para estabelecer que os trabalhadores tenham direito a desligar e um acréscimo remuneratório para os profissionais em teletrabalho fazerem face ao aumento das …

FDA recomenda suspensão da vacina da Johnson & Jonhson após casos de coágulos

A Administração de Medicamentos e Alimentos (FDA) e o Centro para o Controlo de Doenças (CDC) dos Estados Unidos pediram uma pausa imediata no uso da vacina da Johnson & Johnson, depois de terem sido …

Reforma das Forças Armadas. Ministro recuou em dois pontos (o resto, é pouco mais do que "cosmética")

Os diplomas para a reforma do comando superior das Forças Armadas (FA) já seguiram para a Assembleia da República. João Gomes Cravinho recuou em dois pontos e atenuou outros. Fontes militares destacaram ao semanário Expresso …