Miguel Guimarães discorda de Graça Freitas: “Guerra pode perturbar mais o verão do que a pandemia”

2

(dr) Ordem dos Médicos

Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos

A diretora-geral da Saúde pediu aos cidadãos que mantenham as regras de proteção durante o período da Páscoa, avisando que o verão pode não ser “descontraído”. Um dia depois das declarações, Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos, diz não fazer sentido que se lancem este tipo de alertas.

Miguel Guimarães discorda de Graça Freitas e fez questão de o sublinhar em declarações ao Diário de Notícias. O bastonário da Ordem dos Médicos (OM) considera que este verão vai ser “diferente dos dois últimos”, porque “as pessoas vão andar muito mais à vontade e a fazer uma vida mais normal”.

A situação da guerra é bem mais preocupante e pode ter muito mais impacto do que a questão da covid e da discussão sobre o uso ou não de máscara”, atirou o responsável, acrescentando que os alertas sobre a “elevada transmissibilidade” ou sobre um “verão que pode não ser seguro e descontraído” não fazem sentido.

“Não é dada à população e à comunidade científica toda a informação necessária – como incidência, transmissibilidade e gravidade (internamentos graves por covid-19 e mortalidade) –, para que estes possam fazer a sua análise da evolução da doença, da perceção dos riscos que se correm e, se for caso disso, até algumas recomendações”, justificou.

“Podemos ter ainda muita transmissibilidade, mas o que se sabe, e apesar de não termos números oficiais diariamente, é que a gravidade da doença é baixa. Isto muda tudo”, sustentou ainda Miguel Guimarães.

Não me parece que o verão vá ser particularmente problemático por causa da pandemia. Acho que a Guerra que temos na Europa poderá torná-lo mais intranquilo.”

Foi numa conferência de imprensa, esta quarta-feira, que Graça Freitas referiu que a pandemia mantém uma “transmissibilidade muito elevada, com tendência geral decrescente”, e que a mortalidade específica por covid-19 é ainda “preocupante”.

“O número de novos casos nos últimos sete dias ainda rondou os 60 mil — superior aos períodos de pico epidémico”, acrescentou a responsável, admitindo que “estamos longe de ter um verão descontraído e seguro“.

  ZAP //

2 Comments

  1. Este energumeno fala para não estar calado… É tão ridículo que até dá vergonha alheia!
    Mas pronto faz parte da função de bastonário, tem que aparecer, nem que seja para dizer “coisas”.
    totózinho…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE