/

Portugal tem 80% da população com a vacinação completa. Faltam administrar 400 mil doses — mas a quem?

6

Tiago Petinga / Lusa

De acordo com as previsões das autoridades de saúde, Portugal deveria atingir a meta de 85% da população com o esquema vacinal completo em outubro, pelo que ficam a faltar 400 mil doses.

Portugal atingiu esta semana a meta histórica de 80% da população completamente vacinada contra a covid-19, um número que posicionou o país no primeiro lugar das tabelas mundiais de vacinação.

Simultaneamente, 85% da população portuguesa (95% dos cidadãos elegíveis) já tem pelo menos uma dose, informou a task-force responsável pelo plano nacional de inoculações, o que significa que 400 mil doses separam Portugal do número estabelecido pelas autoridades como o necessário para avançar para a fase 3 do plano de desconfinamento — prevista para outubro.

Segundo o jornal Público, neste grupo poderão estar jovens com idades inferiores a 12 anos ou pessoas que, por razões médicas, não podem tomar a vacina. Paralelamente, coloca-se ainda a questão dos indivíduos que escolhem não vacinar-se, uma fatia da população que o vice-almirante Gouveia e Melo, coordenador da task-force, situou estre os 3 e os 4%.

De acordo com o mesmo jornal, como referido anteriormente, no grupo de 15% da população que falta vacinar incluem-se os jovens com menos de 12 anos, o que reduz a população elegível e não vacinada para 5%. Neste grupo estão também as pessoas que já contraíram o vírus nos últimos três meses.

Os dados divulgados pela task-force e que são posteriormente confirmados pela Direção-Geral da Saúde baseiam-se, no que respeita aos números da população residente em Portugal, nas estimativas do Instituto Nacional de Estatística (INE) que são posteriormente arredondadas às unidades.

  ZAP //

6 Comments

  1. A minha filha, que se encontra acamada, não foi ainda vacinada, nem nenhum(a) enfermeiro(a) ou lá quem administra essas coisas apareceu por aqui. E como ela, minha filha, existem algumas centenas, segundo disse uma mulher num centro de vacinação do norte, mas que isso eram casos residuais, sem importância, até porque não vão às praias e aos ajuntamentos, sejam eles de que natureza for. Tenho a certeza que o Sr. Vice-Almirante não sabe destas e doutras, de contrário já teria dado um soco na mesa.

  2. Segundo o que foi dito no passado, a imunidade de grupo seria atingida quando 70% da população estivesse imunizada.
    Então já atingímos a imunidade de grupo e a pandemia já devia estar no fim.
    Só que afinal as coisas não são bem como disseram no passado, mesmo com 100% da população vacinada, a pandemia vai continuar.

    E já ninguém fala dos efeitos secundários das vacinas.
    Só na minha família aconteceu o seguinte:
    – uma irmã minha quase morreu sufocada com uma reacção alérgica à vacina
    – uma tia teve uma trombose numa perna
    – uma avó teve uma trombose num pé
    – uma outra tia ficou com o colesterol e diabetes descontrolados e também com o ritmo cardiaco instável
    – a minha mulher perdeu o apetite (assim já não precisa fazer dieta… há que ver o lado bom das coisas)

  3. vem aí a 3ª dose, 4ª dose…..e por aí fora.
    Há que limpar os stocks dos armazéns!
    E os efeitos secundários a longo prazo? para quê vacinar quando há medicamentos eficazes? €€€€€€€

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE