Nem a pandemia o pára. Bolsonaro mantém a melhor avaliação desde o início do mandato

Joédson Alves / EPA

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro

De acordo com os dados da Datafolha, revelados no domingo pelo jornal Folha de São Paulo, apesar do agravamento da pandemia de covid-19 no Brasil, o Presidente Jair Bolsonaro iguala a taxa de aprovação mais elevada desde que iniciou o mandato.

Segundo a sondagem, 37% dos brasileiros avaliam a presidência de Jair Bolsonaro como boa ou ótima, o mesmo valor do registado em Agosto deste ano, quando o Presidente teve a sua melhor avaliação desde que tomou posse no dia 1 de Janeiro de 2019. Em Junho deste ano, 44% dos brasileiros faziam uma avaliação má ou péssima do Governo.

De uma forma geral, 42% dos homens aprovam a presidência de Bolsonaro, verificando-se uma maior aprovação nas pessoas entre os 45 a 59 anos (42%). Em termos de profissão, os empresários (56%) são os que estão mais satisfeitos com o mandato de Bolsonaro, apesar de quase metade dos brasileiros mais ricos, fazerem uma avaliação negativa do mandato do chefe de Estado brasileiro.

Os estudantes são o grupo com maior nível de rejeição entre os entrevistados (49%).

Ainda que a sua aprovação continue no nível mais elevado desde o início do seu mandato, Jair Bolsonaro é o segundo Presidente com a pior avaliação desde a redemocratização em 1985, diz a Folha de São Paulo. Um pior resultado, só foi registado por Fernando Collor, Presidente entre 1990 e 1992, que era rejeitado por 48% do eleitorado e aprovado por apenas 15%.

No que diz respeito à covid-19, 42% dos inquiridos afirmam que a gestão da pandemia por parte de Bolsonaro é má ou péssima, porém, mais de metade dos brasileiros (52%) consideram que Bolsonaro não tem qualquer culpa pelas mortes causadas pela covid-19, sendo que apenas 8% acusa o Presidente brasileiro de ser o principal responsável.

As mulheres tendem a ser mais críticas em relação ao trabalho de Bolsonaro na gestão da pandemia comparativamente aos homens – 47% das mulheres consideram o desempenho mau ou péssimo, contra 35% dos homens.

A maior parte dos entrevistados (53%) admite que o Brasil não fez o que era preciso para conter a pandemia, enquanto 22% afirmaram que o Governo tomou as medidas necessárias para evitar o elevado número de mortes.

De acordo com a análise da Folha de São Paulo, a estabilidade na aprovação do Presidente revela um “estado de inércia da opinião pública”, que está na expectativa quanto à retoma do crescimento económico e do impacto da segunda vaga da pandemia no país.

A popularidade de Bolsonaro coincide com a continuação do apoio de emergência de 600 reais (96 euros) mensais às famílias mais pobres, uma medida que entrou em vigor em Abril como resposta ao impacto da covid-19 e que é apontado como um dos fatores que explica a estabilidade na popularidade de Bolsonaro, especialmente no Nordeste.

No entanto, em setembro, o valor do apoio passou para metade, e no final do ano será extinto, o que poderá ter consequências na avaliação que os mais pobres fazem à presidência de Bolsonaro.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Não tem emenda." PSD e Bloco de Esquerda criticam relatório do Novo Banco

O Bloco de Esquerda defende que a versão entregue do relatório da comissão do Novo Banco, redigida por um deputado do PS, tem uma "parcialidade evidente" a favor do Governo. O PSD diz que "não …

Frederico Morais falha Jogos Olímpicos. Testou positivo à covid-19

O português Frederico Morais vai falhar a estreia do surf nos Jogos Olímpicos Tóquio2020, por estar infetado pelo novo coronavírus, informou esta sexta-feira o Comité Olímpico de Portugal (COP). O surfista natural de Cascais, de 29 …

Governo propõe que todas as freguesias possam ter pelo menos um autarca a meio tempo

O Governo aprovou uma proposta para que todas as freguesias do país possam ter um autarca a meio tempo independentemente da sua dimensão, anunciou esta sexta-feira a ministra da Modernização do Estado, que tutela as …

Espanha vai administrar terceira dose da vacina

Espanha anunciou esta sexta-feira que será administrada uma terceira dose da vacina contra a covid-19, embora ainda não haja data prevista. Carolina Darias, ministra da Saúde espanhola, anunciou esta sexta-feira que será administrada uma terceira dose …

Portugal com mais 3.794 casos de covid-19 e 16 mortes

Portugal registou, esta sexta-feira, 3.794 novos casos e 16 mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, o …

Deputada expulsa do parlamento britânico por chamar “mentiroso” a Boris Johnson

A deputada do Partido Trabalhista, Dawn Butler, foi esta quinta-feira expulsa da Câmara dos Comuns, a câmara baixa do Parlamento britânico, por chamar "mentiroso" ao primeiro-ministro, Boris Johnson. Butler foi expulsa pela presidente adjunta temporária, Judith …

UGT dispara contra o Governo. "Exemplo vem sempre de quem está no topo"

Numa carta aberta ao primeiro-ministro, a UGT criticou a atitude de vários ministros, a destruição de milhares de postos de trabalho durante a pandemia e alertou para a suspeita de existir cartelização entre os grandes …

Greve de fome de 470 pessoas em Bruxelas termina 60 dias depois

Em Bruxelas, mais de 470 pessoas deram por terminada uma greve de fome que durou dois meses. O governo belga disse que não pode ceder a chantagens e saudou a boa decisão. Nos últimos dois meses …

Estados Unidos anunciam novas sanções a Cuba. “É apenas o início”

Sanções dos Estados Unidos a Cuba têm como objetivo castigar “os indivíduos responsáveis pela opressão da população cubana”. Ministro dos Negócios Estrangeiros cubano, numa reação, fala em medidas "sem fundamento e caluniosas" e pede que …

Militantes do Chega acusados de agredir homossexual em Viseu

Militantes do Chega são acusados de terem agredido um homem homossexual no final da tarde de quarta-feira, na rua, em Viseu. Segundo informação avançada pelo Expresso, os agressores são afetos à candidatura do partido de …