Nem a pandemia o pára. Bolsonaro mantém a melhor avaliação desde o início do mandato

Joédson Alves / EPA

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro

De acordo com os dados da Datafolha, revelados no domingo pelo jornal Folha de São Paulo, apesar do agravamento da pandemia de covid-19 no Brasil, o Presidente Jair Bolsonaro iguala a taxa de aprovação mais elevada desde que iniciou o mandato.

Segundo a sondagem, 37% dos brasileiros avaliam a presidência de Jair Bolsonaro como boa ou ótima, o mesmo valor do registado em Agosto deste ano, quando o Presidente teve a sua melhor avaliação desde que tomou posse no dia 1 de Janeiro de 2019. Em Junho deste ano, 44% dos brasileiros faziam uma avaliação má ou péssima do Governo.

De uma forma geral, 42% dos homens aprovam a presidência de Bolsonaro, verificando-se uma maior aprovação nas pessoas entre os 45 a 59 anos (42%). Em termos de profissão, os empresários (56%) são os que estão mais satisfeitos com o mandato de Bolsonaro, apesar de quase metade dos brasileiros mais ricos, fazerem uma avaliação negativa do mandato do chefe de Estado brasileiro.

Os estudantes são o grupo com maior nível de rejeição entre os entrevistados (49%).

Ainda que a sua aprovação continue no nível mais elevado desde o início do seu mandato, Jair Bolsonaro é o segundo Presidente com a pior avaliação desde a redemocratização em 1985, diz a Folha de São Paulo. Um pior resultado, só foi registado por Fernando Collor, Presidente entre 1990 e 1992, que era rejeitado por 48% do eleitorado e aprovado por apenas 15%.

No que diz respeito à covid-19, 42% dos inquiridos afirmam que a gestão da pandemia por parte de Bolsonaro é má ou péssima, porém, mais de metade dos brasileiros (52%) consideram que Bolsonaro não tem qualquer culpa pelas mortes causadas pela covid-19, sendo que apenas 8% acusa o Presidente brasileiro de ser o principal responsável.

As mulheres tendem a ser mais críticas em relação ao trabalho de Bolsonaro na gestão da pandemia comparativamente aos homens – 47% das mulheres consideram o desempenho mau ou péssimo, contra 35% dos homens.

A maior parte dos entrevistados (53%) admite que o Brasil não fez o que era preciso para conter a pandemia, enquanto 22% afirmaram que o Governo tomou as medidas necessárias para evitar o elevado número de mortes.

De acordo com a análise da Folha de São Paulo, a estabilidade na aprovação do Presidente revela um “estado de inércia da opinião pública”, que está na expectativa quanto à retoma do crescimento económico e do impacto da segunda vaga da pandemia no país.

A popularidade de Bolsonaro coincide com a continuação do apoio de emergência de 600 reais (96 euros) mensais às famílias mais pobres, uma medida que entrou em vigor em Abril como resposta ao impacto da covid-19 e que é apontado como um dos fatores que explica a estabilidade na popularidade de Bolsonaro, especialmente no Nordeste.

No entanto, em setembro, o valor do apoio passou para metade, e no final do ano será extinto, o que poderá ter consequências na avaliação que os mais pobres fazem à presidência de Bolsonaro.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Entre críticas a Rio e Marcelo, Ventura teve um drive-in com música de baile (e comparou-se a Sá Carneiro)

Ventura demarcou-se dos insultos de apoiantes à comunicação social, mas não admitiu que o seu mandatário os incentivou, chamando “inimigos” aos jornalistas. Terminou o dia num comício na praia de Leça da Palmeira mas em …

Governo Regional da Madeira garante que aumento de casos se deve às celebrações de fim de ano

O presidente do Governo da Madeira afirmou que o aumento de casos de covid-19 registado nos últimos dias na região é resultado das celebrações do fim do ano, assegurando fiscalização mais apertada nos bares aos …

Novo máximo diário com 218 mortes. Morre uma pessoa com covid-19 a cada 7 minutos

Portugal contabilizou esta terça-feira 218 mortes, um novo máximo de óbitos em 24 horas, relacionados com a covid-19, e 10.455 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Quase metade das …

Ana Gomes teme que processos BES e Operação Marquês acabem como o dos submarinos

A candidata presidencial Ana Gomes disse ontem temer que processos como os do BES e da Operação Marquês terminem como o dos submarinos, em que considerou que se "trabalhou para a prescrição". Na conversa online que …

Recuperação só em 2022, disse Vestager. Leão quer aprovação rápida dos planos para a UE

A vice-presidente executiva da Comissão Europeia, Margrethe Vestager, afirmou que a recuperação europeia só será "sentida como tal" em 2022, mas que no outono já poderão ser visíveis alguns sinais, caso a vacinação contra a …

Marcelo aprova novas medidas e anuncia reunião com especialistas para discutir situação das escolas

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, assinou esta terça-feira o decreto do Governo que altera a regulamentação do estado de emergência devido à pandemia de covid-19 e anunciou uma reunião com especialistas na …

Jerónimo na campanha de João Ferreira para homenagear os que "se levantaram contra o fascismo"

O candidato presidencial comunista contou com a presença do secretário-geral do PCP, esta segunda-feira, na Marinha Grande, que destacou a importância de lutar contra os atuais "traços de regressão democrática". Durante uma ação na Escola Secundária …

Gilberto, Vertonghen, Grimaldo, Diogo Gonçalves e Waldschmidt infetados

Os futebolistas do Benfica Gilberto, Vertonghen, Grimaldo, Diogo Gonçalves e Luca Waldschmidt são os mais recentes casos positivos ao novo coronavírus no plantel do Benfica, informou esta terça-feira o clube da Luz. “O Sport Lisboa e …

Hospital de Portalegre abre inquérito a morte de doente que esteve 3 horas em ambulância

O hospital de Portalegre vai abrir um inquérito para apurar as circunstâncias da morte de um octogenário, na noite de segunda-feira, na área dedicada aos doentes respiratórios, depois de estar quase três horas numa ambulância, …

"Não somos heróis". Há quartéis que podem fechar se não houver vacinas para os bombeiros

O presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP), Fernando Curto, disse que se o número de bombeiros infetados com covid-19 continuar a este ritmo muitos quartéis podem ter de encerrar. "As carrinhas de transporte de …