/

Vem aí calor após o estado de emergência. PSP admite interditar zonas balneares

António Pedro Santos / Lusa

Portugal vai estar em estado de emergência até este sábado. As previsões meteorológicas apontam para uma melhoria do estado do tempo no fim de semana. A PSP admite interditar o acesso a zonas balneares e turísticas.

“Vamos ter a influência de um anticiclone”, explicou Ângela Lourenço, meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), em declarações ao Expresso. “Vai colocar-se numa posição que permite que o território do continente seja afetado por uma massa de ar, que vem de sul. Isto significa, na maior parte das vezes, que é ar quente e seco. Vem da região do Norte de África.”

O fenómeno vai notar-se sobretudo no domingo, segunda e terça-feira. Haverá uma influência de ar quente seco e a temperatura vai subir. “Em alguns locais a subida é abrupta ou acentuada”, disse.

Alguns pontos do Vale do Douro podem superar os 30ºC. O restante território vai variar entre os 25ºC e os 30ºC. Junto às praias, as temperaturas serão mais baixas na ordem dos 20º, 22º, 23º, 24ºC. Nos dias 1 e 2, poderá ocorrer chuva nas regiões Norte e Centro, em particular no Minho e Douro Litoral.

Porém, a situação é temporária. A partir de dia 5 e 6 de maio vai observar-se uma descida gradual das temperaturas.

PSP admite interditar zonas balneares

Esta sexta-feira, sábado e domingo, as viagens entre concelhos está proibida e obrigará a uma operação policial semelhante à que foi observada durante a Páscoa.

“O calor será certamente mais um fator que teremos em consideração. Estando calor, poderá haver mais propensão, estamos conscientes e temos em consideração no nosso planeamento”, disse fonte oficial da Polícia de Segurança Pública (PSP), em declarações ao Expresso.

A PSP aguarda que sejam publicados diplomas para afinar a estratégia e para conhecer os moldes da informação que terão de passar às populações. “A PSP vai continuar a estar muito presente na rua, a aconselhar, a informar, das regras que têm de ser seguidas.”

“Vamos continuar com muitas operações e muito controlo na rua. As zonas balneares, turísticas, os locais habituais de passeio vão ser zonas que vão merecer muita atenção e que, se verificarmos que é necessário, até vão ser zonas que interditaremos o acesso, seja rodoviário ou pedonal”, disse.

  ZAP //

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.