/

Covid-19 pode passar à história “antes do Verão”. Espanha espera 20 milhões de turistas em Maio

11

O cientista espanhol Juan Fueyo, que há 27 anos desenvolve vírus para tentar “matar” o cancro do cérebro, acredita que Espanha se livrará da pandemia “antes do Verão” e “recuperar a normalidade em Agosto”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

“Espero que, em Agosto, possamos viajar, voltar ao trabalho, abraçar os amigos e comermos uns petiscos de calamares naquele bar da praça Mayor de Madrid que está sempre cheio”, realça Juan Fueyo em entrevista ao El País.

O cientista procura há 27 anos um tratamento contra o cancro do cérebro, realizando a sua pesquisa em Houston, nos EUA, e tem feito “um esforço tremendo”, como o próprio diz, para “desenvolver vírus que destruam as células malignas dos tumores cerebrais”. Mas, até agora, sem êxito.

No que concerne ao vírus com que o mundo se debate nesta altura, Fueyo salienta que o coronavírus está, nesta fase, a “ganhar uma batalha” e que o cenário vai “piorar durante estas semanas” que aí vêm.

Mas o cientista está convencido de que “quando aumentar a percentagem de gente vacinada, a pandemia vai diminuir“.

“Creio que conseguiremos que este vírus seja história antes do Verão“, sustenta no El País, frisando que “temos que recuperar a normalidade em Agosto, e não a nova normalidade, mas a normalidade que já conhecemos, sobretudo na vida social”.

Espanha espera mais de 20 milhões de turistas em Maio

É esta também a perspectiva do sector turístico espanhol que se debate com sérias dificuldades por causa da pandemia.

Contudo, com a vacinação a prosseguir a bom ritmo em vários países europeus, como o Reino Unido, Espanha já espera abrir as portas do país aos turistas estrangeiros em Maio.

Nessa altura, seria uma benesse receber entre 20 a 25 milhões de turistas europeus. Mas isso só será possível se a vacinação acelerar nos seus países de origem.

Contudo, ainda assim, ficaria muito abaixo dos números habituais num país que estava habituado a receber mais de 80 milhões de turistas todos os anos.

O Reino Unido é o principal emissor de turistas para Espanha e é um dos países onde as vacinas estão a ser dadas com maior agilidade, o que é uma boa notícia para nuestros hermanos.

A ideia é que se 70% da população europeia estiver protegida com a vacina antes do Verão, isso pode “salvar pelo menos um parte da actividade” turística espanhola, como admitem as autoridades de turismo, de acordo com o El País.

O presidente da Mesa de Turismo, Juan Molas, manifesta-se “ligeiramente optimista” e trata de notar que Espanha é, nesta altura, muito mais segura do que os principais concorrentes do Mediterrâneo, como Itália e Grécia.

  Susana Valente, ZAP //

11 Comments

  1. O nosso povo anda todo contente porque já foram vacinadas pouco mais de duzentas mil pessoas. No entanto, outros países já trataram de milhões, e ainda por cima, o nosso “pseudo-primeiro-ministro” não quis que viessem todas as doses de uma das vacinas, houve aquele acidente na A2, estão a vacinar os deputados de um imenso rasquido político, e o plano de vacinação não tem pés nem cabeça.
    Querem tudo normal no verão? O cara*** é que vai ser normal.

    • Sim, este PM é muito incompetentezinho. Aquela cara não engana ninguém. Ainda por cima com o espírito vingativo dos estúpidos e a incapacidade de reconhecer erros e de dar a mão à palmatória. Não houve nenhum movimento social a exigir liberalização e desconfinamento no Natal, contudo S. Exa. resolveu dar uma de popular, e contrariando as opiniões mais avisadas de especialistas (incluindo da ministra da Saúde e da directora da DGS, que tão maltratadas têm sido à conta das asneiras do nabo-chefe), resolveu autorizar a Grande Comilança, e a livre circulação do Covid por todos os recantos do país. O resultado está à vista, com esta mortandade diária.

  2. E que tal o senhor Juan Fueyo contactar o inventor do Covid 19 na tentativa deste dar-lhe umas dicas para o vírus do cancro?

    • Pelo menos por agora, todas as notícias com tópicos destes são falsas, visto que, se a vacina ainda não chegou a todos, não se pode proclamar a imunidade de grupo, consequentemente, ninguém pode falar em normalidade, pois ainda teremos de esperar mais alguns meses para se perceber se as doses de vacina que cada pessoa tomou foram eficazes para atacar o Covid-19.

      Cumprimentos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.