Impossíveis de cumprir. Directores preocupados com novas regras para as escolas

Miguel A. Lopes / Lusa

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues

As orientações da Direcção Geral de Saúde (DGS) para as escolas com vista ao regresso das aulas presenciais, em Setembro, estão a preocupar os directores dos estabelecimentos de ensino. Isto porque as consideram impossíveis de cumprir, temendo que não haja forma de evitar os contágios por covid-19.

O ano lectivo 2020/2021 deve arrancar a 14 de Setembro e a ideia é que ocorra de forma presencial, se não em todas as escolas, em grande parte delas. Este é um dos cenários que o Ministério da Educação (ME) está a estudar, impondo o uso obrigatório de máscara a partir do 5º ano de escolaridade.

Além disso, as orientações da DGS estabelecem ainda “um distanciamento físico entre os alunos de, pelo menos, um metro, sem comprometer o normal funcionamento das actividades lectivas”.

Ora esta medida é impraticável na grande maioria das escolas, sem que se tomem outras medidas adicionais, nomeadamente o desdobramento ou redução de turmas.

“As escolas não conseguem manter distância mínima de 1 metro mas, como dizem ‘sempre que possível’, dá para tudo. Até posso pôr dois alunos na mesma carteira e estou a cumprir… porque não foi possível”, afiança o dirigente da Associação Nacional de Directores de Escolas, Filinto Lima, em declarações ao Correio da Manhã (CM).

“Noutros contextos a distância é de 1,5 ou 2 metros. Espero que não brinquem com a saúde dos alunos”, acrescenta Filinto Lima.

“Para ter os alunos sentados a essa distância, teríamos de ter turmas mais pequenas. E isso o Ministério não permite”, realça no Expresso o presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares, Manuel Pereira.

“As escolas estão cheias e as salas não esticam. Em muitos agrupamentos isso não vai ser possível”, afirma ainda Filinto Lima no Expresso.

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, já tinha assumido que “é impossível multiplicar por dois a capacidade das escolas ou o corpo docente”, numa entrevista ao Expresso a 4 de Julho passado, apelando, assim, à importância de “maximizar a distância com o edificado que temos”.

A necessidade de reforço de limpeza dos espaços e superfícies também preocupa os directores dada a falta de funcionários com que muitas escolas já se debatiam. O ME prometeu a contratação de mais 600 assistentes operacionais.

A distribuição dos alunos nas cantinas durante o almoço e as condições dos ginásios são outras áreas que geram preocupação.

“Quase todos os especialistas são unânimes quanto à possibilidade de haver uma subida dos casos no Outono“, alerta no Expresso o presidente da Sociedade Portuguesa de Virologia, Paulo Paixão, considerando que “por muitas regras que existam o risco cresce”.

A FENPROF já solicitou uma reunião à DGS, nomeadamente para esclarecimento da “não obrigatoriedade de distanciamento físico”.

Nos últimos dias, têm surgido vários surtos de contágios em infantários e ATLs em diferentes pontos do país, nomeadamente em Vizela, onde casos positivos numa funcionária e em várias crianças levaram ao encerramento de um estabelecimento.

ZAP //

 

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. O Ministério da Educação anda a brincar com coisas sérias, num sério apelo a casa roubada para depois por trancas à porta, quando o que devia fazer era prevenir antes de remediar. Entristece-me esta forma de (não) agir, difícil de entender. É necessário conhecimento e criatividade. Por exemplo, pode reduzir-se o tempo de aula para 25 minutos com turmas mais pequenas que permitam manter o distanciamento físico recomendado, combinado com uma componente de ensino à distância. Também é preciso reconhecer que as disciplinas não são todas iguais e que, se calhar, disciplinas como Educação Física terão de ter uma forte componente presencial, que outras disciplinas poderão dispensar. Têm de se conjugar diferentes variáveis e ensaiar várias soluções, de modo criativo. No entanto, parece-me haver muita rigidez e teimosia a imperar no nosso Ministério da Educação. É preciso maior flexibilidade, conhecimento, entendimento, inteligência, imaginação, abertura e capacidade de negociação.

  2. Tão simples quanto isto… quem tem filhos quer o melhor para eles. Agora eu pergunto: Porque não continuar com as aulas à distancia e deixar a presencial para quando tudo de virus estiver mais calmo ou nulo? Os casos a aumentar e toca a ir todos para o monte e fé em Deus? Não será um pouco ou mesmo direto “eliminar a população” nem que eles não queiram? Quase me lembra um “empurrão para e em direção ao virus” porque se até agora as crianças que são os alunos e o futuro do amanha, estiveram em aulas afastadas de todo o perigo e estando o perigo ainda por aí, porque insistem nas aulas presenciais? Não entendo…

  3. Esqueçam! É impossível aulas presenciais enquanto houver pandemia e aulas à distância não são definitivamente a mesma coisa mas são melhor que nada. Se já encolheram o distanciamento entre alunos para um metro, que pouco mais é que a distância de um braço, como pensam ter 30 alunos dentro de uma sala no inverno? Com frio, vento e chuva, vão ter aulas com as janelas abertas? Isto só passa pelas cabeças de pessoas que desconhecem completamente a realidade do ensino, o que é precisamente o caso do Brandão Rodrigues que pode ser uma pessoa muito inteligente mas nunca deu aulas.

  4. O nosso país começou por enfrentar a pandemia com muita precaução e foi elogiado internacionalmente! Neste momento, está a ser fortemente prejudicado ao nível do turismo por causa da forma como o desconfinamento foi comunicado. Não sei bem qual é a idea de começar com as aulas presenciais sabendo que os casos continuam a aumentar e que se prevê uma segunda vaga em Outubro. Vai ser duro para a economia… mas abrir escolas vai ser uma arrasia para a saúde pública. Os custos vão ser ainda maiores e haverá perdas irremediáveis.

RESPONDER

André Ventura: "Rui Rio nunca será primeiro-ministro" sem o Chega no Governo

André Ventura diz que Rui Rio nunca será primeiro-ministro se o Chega não entrar no Governo. Quanto às presidenciais, espera ir a uma segunda volta com Marcelo Rebelo de Sousa. Em entrevista ao programa 'Hora …

Bélgica permite ajuntamentos de quatro pessoas no Natal, desde que no jardim (mas só um pode ir à casa de banho)

Após semanas com números de números muito elevados, no que diz respeito a infeções e mortes por covid-19, o governo belga já tomou decisões para o Natal e permitiu o ajuntamento de quatro pessoas para …

Base militar romana encontrada em campo de milho na Sérvia

Uma equipa de arqueólogos encontrou uma base militar romana num terreno de milho na Sérvia. Os investigadores fizeram a descoberta a cerca de um metro de profundidade sob o milheiral. Os especialistas estavam a trabalhar na …

Novas tabelas do IRS. Salários e pensões até 686 euros isentos de retenção na fonte

O valor a partir do qual salários e pensões passam a descontar IRS em 2021 vai aumentar para 686 euros mensais, subindo 27 euros face ao limite de 2020, segundo as novas tabelas de retenção …

Governo não deverá proibir circulação entre concelhos a 24 e 25 de dezembro

O Governo não vai aplicar as restrições à circulação entre concelhos na véspera e dia de Natal. Esta é uma das medidas em cima da mesa que o Conselho de Ministros vai discutir esta sexta-feira. O …

IA prevê a estrutura de uma proteína e supera um dos maiores desafios da biologia

Um sistema de Inteligência Artificial desenvolvido pela DeepMind, empresa britânica detida pela Google, conseguiu superar um dos maiores desafios da biologia ao prever com precisão a estrutura de uma proteína a partir de apenas a …

Novo estado de emergência. Especialistas voltam a reunir no Infarmed, Marcelo recebe partidos

Especialistas, dirigentes dos partidos políticos e parceiros sociais voltam a reunir-se esta quinta-feira para analisar a situação epidemiológica da covid-19, em vésperas de nova renovação do estado de emergência e da decisão sobre as medidas …

A tríade Mendes-Fosun-Wolves. O quid pro quo que pode estar perto do fim

A ligação entre Jorge Mendes, a Fosun e o Wolverhampton há muito que é contestada. Agora, pode estar perto do fim graças a novos regulamentos para agentes de jogadores. As participações sociais da Gestifute S.A. e …

Greve de fome. Ljubomir Stanisic assistido no hospital, Governo desmente recusa em receber manifestantes

O chef Ljubomir Stanisic, um dos rostos do movimento "A Pão e Água" e que estava há seis dias a fazer greve de fome em frente ao parlamento, foi na quarta-feira transportado para o Hospital …

"Não tenhamos ilusões". Marcelo alerta que o processo de vacinação vai levar muitos meses

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, alertou esta quarta-feira que o processo de vacinação contra a covid-19 em Portugal vai levar "muitos meses", apelando aos portugueses para não baixarem a guarda. “Não tenhamos ilusões, …