Rússia sugere que o número de mortes por covid-19 é três vezes maior que o oficial

Christophe Petit Tesson / EPA

O Governo russo sugeriu que o número de mortes por coronavírus é três vezes maior do que a contagem oficial, com a vice-primeira-ministra, Tatyana Golikova, a afirmar que o aumento de óbitos de janeiro a novembro, em comparação com o ano anterior, deve-se em grande parte à covid-19.

Segundo noticiou na terça-feira o Independent, o número total de mortes por variadas causas nos primeiros 11 meses deste ano aumentou em 229.700 – quase 14% – em comparação com o mesmo período em 2019, segundo dados da Rosstat, a agência estatal russa para estatísticas.

“Mais de 81% do aumento na mortalidade neste período está relacionado à covid-19 e às consequências de estar infetado” com o vírus, disse Golikova, durante uma reunião governamental, sugerindo que cerca de 186.000 mortes no país desde o início do ano até novembro podem estar relacionadas ao coronavírus.

A Rosstat informou que 116.030 pessoas com coronavírus morreram entre abril e novembro. Este número inclui casos em que o vírus não foi a principal causa de morte, bem como suspeitas de infeção não confirmadas.

Entre abril e novembro, a agência contabilizou 70.921 mortes nas quais a covid-19 foi principal causa, enquanto a força-tarefa do Governo destacada para tratar questões relacionadas ao vírus relatou um total de 40.464 mortes até o início de dezembro. A Rosstat lança estatísticas mensais e analisa os dados retroativamente.

Autoridades russas atribuíram as diferenças entre os números da Rosstat e da força-tarefa a diferentes métodos de contagem, referindo que esta última apenas analisa as mortes onde o coronavírus foi a causa principal.

Especialistas, contudo, sugeriram que outros fatores – como uma tendência das autoridades russas em contornar as estatísticas e a geografia do país – podem contribuir para a baixa contagem oficial.

A Rússia contabilizou, na terça-feira, mais de 3,1 milhões de casos, de acordo com a Reuters, posicionando-se atrás dos Estados Unidos, da Índia e do Brasil. O país enfrenta atualmente uma segunda vaga de infeções, embora as autoridades tenham evitado impor um bloqueio nacional para controlar a disseminação do vírus.

Um programa de vacinação voluntária contra o coronavírus foi lançado no início de dezembro, começando pelos grupos mais vulneráveis.

Taísa Pagno //

PARTILHAR

RESPONDER

Um medicamento comum utilizado para tratar a diarreia pode ajudar a combater células cancerígenas agressivas

Um fármaco comum prescrito para tratar a diarreia pode ajudar a combater um tipo agressivo de cancro cerebral (glioblastoma), sugere uma nova investigação levada a cabo pela Universidade de Frankfurt, na Alemanha. Em causa está …

"Bola de fogo" cruzou o céu sobre o Mediterrâneo a 105 mil quilómetros por hora

Uma "bola de fogo" atravessou o mar Mediterrâneo e o norte de Marrocos na noite de quarta-feira, a 105.000 quilómetros por hora. A bola de fogo foi observada por um projeto científico espanhol a uma velocidade …

Duterte rejeita que a filha o vá suceder na liderança das Filipinas. "Isto não é para mulheres"

O líder das Filipinas, Rodrigo Duterte, descartou, na quarta-feira, a hipótese de a filha o vir a suceder no próximo ano, acrescentando que a presidência não é tarefa para uma mulher por causa das …

"Uma memória a flutuar no oceano." Encontrada, dois anos depois, uma mensagem numa garrafa

Uma mensagem no interior de uma garrafa sobreviveu a uma viagem de dois anos pelo oceano. Recentemente, chegou às mãos de um ativista ecológico, enquanto limpava uma praia da Papua Nova Guiné. Em novembro do ano …

As células imortais de Henrietta Lacks revolucionaram a Ciência

O ano de 1951 foi muito importante no campo da biotecnologia e, surpreendentemente, tudo começou com a chegada de Henrietta Lacks a um hospital norte-americano. Descendente de escravos, Loretta Pleasant nasceu a 1 de agosto de …

Humanidade não será capaz de controlar máquinas superinteligentes, avisam cientistas

Uma equipa de investigadores do Instituto Max Planck para o Desenvolvimento Humano sugere que seria impossível controlar máquinas superinteligentes. A tecnologia de Inteligência Artificial (IA) continua a evoluir de vento em popa, enquanto alguns cientistas e …

Em 1950, a vacinação em massa salvou a Escócia

Em 1950, Glasgow, na Escócia, viu-se a braços com um surto de varíola e o cenário era muito semelhante ao que vivemos hoje: as autoridades sanitárias tentavam rastrear todos os contactos de pessoas portadoras do vírus, …

Japonês aluga-se a si próprio "para não fazer nada". E tem milhares de clientes

Um homem japonês que ganha a vida a alugar-se a si próprio “para não fazer nada” atraiu milhares de clientes. O negócio começou em 2018. Por 10.000 ienes (cerca de 79 euros) - mais despesas com …

Documentos de vacinas roubados por hackers também foram "manipulados"

A Agência Europeia do Medicamento, entidade reguladora da União Europeia (UE), informou este sábado que os documentos da vacina contra a covid-19 roubados e colocados na Internet por hackers foram também "manipulados". A manipulação aconteceu depois …

Há 11 anos que não se consumia tanta eletricidade num só dia. A culpa é do frio

O país está a bater recordes de energia, tanto em termos de pico como de consumo diário. A culpa é da vaga de frio que assolou Portugal neste Inverno. O consumo de eletricidade bateu, na quarta-feira, …