Acordo com Brasil sobre vacinas ainda está em aberto, diz farmacêutica

Dois dias após o Brasil ter anunciado um acordo para receber até 100 milhões de doses de uma vacina contra o coronavírus, um diretor da farmacêutica AstraZeneca afirmou que se tratava apenas de uma carta de intenções e que ainda existem negociações pendentes.

O diretor da AstraZeneca, Jorge Mazzei, disse aos jornalistas na segunda-feira que, caso a vacina funcione, acredita que o país sul-americano irá ter acesso às doses até ao final do ano, anunciou esta terça-feira a agência Lusa.

Contudo, indicou que acabou de fazer agora os primeiros contactos com os parceiros locais da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o maior centro de investigação médica da América Latina, vinculado ao Ministério da Saúde brasileiro, e que começará esta terça-feira a trabalhar num contrato.

“É quase impossível que este contrato não seja assinado. (…) Demorou entre duas a três semanas para que a carta de intenções fosse assinada. O nosso objetivo é que este contrato seja assinado o mais rápido possível”, disse Mazzei, acerca do acordo que engloba também a Universidade de Oxford.

No sábado, o Ministério da Saúde do Brasil indicou que o país pagará 127 milhões de dólares (cerca de 113 milhões de euros) por material para produzir inicialmente 30,4 milhões de doses em dois lotes, para dezembro e janeiro. As autoridades brasileiras acrescentaram que os esforços de inoculação começariam rapidamente se a vacina fosse certificada como segura e eficaz.

Desde a semana passada, a vacina está a ser testada em mais de 5.000 brasileiros.

PAHO / WHO

O governo brasileiro disse que o acordo total é de 100 milhões de doses para um país com uma população estimada de 210 milhões de habitantes. “Acredito que exista uma estratégia (do governo brasileiro) sobre como vacinar todas as pessoas”, acrescentou o diretor da AstraZeneca.

Mazzei disse ainda que existem elementos-chave a serem negociados, incluindo a extensão da transferência de tecnologia e a compra do segundo lote de 70 milhões de doses. De acordo com o diretor, outros países já têm acordos nesta fase, mas diz que o Brasil está “certamente na mesma onda dos primeiros países a receber a oportunidade”.

Segundo o secretário nacional de Vigilância em Saúde do Governo brasileiro, Arnaldo Correia de Medeiros, caso se comprove a eficácia da imunização, estima-se que no início do próximo ano já possa ser realizada uma campanha de vacinação, a começar pelos públicos prioritários, ou seja, pela população mais vulnerável à Covid-19.

“Com a vacina aprovada teremos a cobertura realizada como parte da ‘expertise’ do Brasil em campanhas nacionais de vacinação, nesse caso priorizando públicos mais vulneráveis como idosos, pessoas com comorbidades, profissionais de saúde, professores, profissionais de segurança, indígenas, motoristas de transporte público e pessoas privadas de liberdade”, destacou Medeiros, no sábado.

O Brasil, segundo país do mundo com mais mortos e infetados, totaliza 58.314 óbitos e 1.368.195 casos confirmados de Covid-19 desde o registo oficial da pandemia no país, em 26 de fevereiro, informou o executivo na segunda-feira.

A pandemia já provocou mais de 502 mil mortos e infetou mais de 10,20 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência de notícias.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

TAP pode receber indemnização pelas perdas no confinamento. Apoio pode chegar aos 500 milhões

O Governo e a Comissão Europeia estão a negociar uma compensação para a TAP pelas perdas causadas durante o encerramento de fronteiras devido à pandemia. De acordo com o ECO, a TAP poderá receber uma compensação …

"Mais medo de viver do que morrer". Jerónimo contra "confinamento agressivo" (e recusa ser "comparsa" do PSD e CDS)

Na semana em que o PCP celebra 100 anos de vida, Jerónimo de Sousa falou, em entrevista à TVI, sobre a guerra colonial, a entrada na vida política e do atual estado das relações com …

FPF abre processo contra Teo Fonseca por intermediação ilegal de jogadores

A FPF abriu um processo disciplinar a Teodoro Fonseca, dono da SAD do Portimonense, por intermediação ilegal de jogadores em transferências para o FC Porto. Teodoro Panagopoulos, mais conhecido no mundo do futebol como Teo Fonseca, …

Cabrita fala em "ano terrível" e rejeita alívio de medidas para já

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, fez o balanço de um ano de pandemia em Portugal, admitindo ter sido um "ano terrível" para os portugueses e afastando perspetivas de um alívio de medidas por …

Muçulmanos invadiram a Sicília e revolucionaram o comércio de vinho

Uma equipa de investigadores da Universidade de York encontrou resíduos químicos de uvas em ânforas, um tipo de recipiente medieval, sugerindo um próspero comércio de vinho na Sicília islâmica. Foram ainda encontrados cacos encharcados de vinho …

Com as famílias em dificuldades, escolas alimentam 40% dos alunos que serviam antes do confinamento

Mesmo com as aulas online, as cantinas continuam a trabalhar para alimentar alunos com carências. Só na última semana, as escolas públicas serviram em média 45 mil refeições por dia. O número significa que estão …

2 de março de 2020. Confinamentos, recordes, três vagas e um "milagre" depois

O primeiro caso de covid-19 em Portugal foi registado há, precisamente, um ano. 365 dias depois, o medo esfumou-se, mas a incerteza permanece. A 2 de março de 2020 foram confirmados em Portugal os primeiros casos …

Genoma do urso-das-cavernas sequenciado graças a minúsculo osso com 360 mil anos

Investigadores sequenciaram o genoma do urso-das-cavernas graças a um pequeno osso com 360 mil anos. A história evolutiva deste animal mudou drasticamente. Os ursos-das-cavernas eram enormes ursos herbívoros que vagueavam pela Europa e norte da Ásia …

Um ano após o primeiro caso, Marcelo elogia SNS, mas relembra que a pandemia ainda não acabou

Para o chefe de Estado, ao longo de 12 meses, Portugal "foi-se ajustando à pandemia, umas vezes mais proativamente outras, infelizmente, mais reativamente". Marcelo diz que "é desejável" melhorar a "capacidade de planear e antecipar …

Plano de Recuperação tem alto risco de fraude (e chovem críticas)

Um grupo de reflexão, constituído no âmbito do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), concluiu que o Programa de Recuperação e Resiliência (PRR) comporta um sério risco de fraude e necessita de várias …