Público na Liga dos Campeões? “Em função da situação atual, obviamente não”

José Sena Goulão / Lusa

O secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales

O secretário de Estado da Saúde disse esta segunda-feira que, em função da situação pandémica atual, “obviamente” não haverá público nos jogos da final a oito da Liga dos Campeões de futebol, que vai ser disputada em Lisboa.

“Em relação à questão do público e em função daquilo que é a situação atual pandémica, obviamente não. Não sabemos como vai ser a evolução da pandemia e tal como temos feito em outras situações, tomamos medidas de acordo com a própria evolução e proporcionalidade evolutiva da pandemia. Não poderei antecipar o futuro. Nesta fase obviamente que não”, disse António Lacerda Sales.

O governante respondia a um pedido de comentário às declarações do primeiro-ministro António Costa que, no domingo, em entrevista a Ricardo Araújo Pereira, na SIC, afirmou que estes jogos da Champions iriam ter menos público do que a plateia daquele programa, composta por poucas dezenas de pessoas, na conferência de imprensa trissemanal de balanço sobre a pandemia de covid-19 em Portugal.

António Lacerda Sales disse que “o projeto da Liga dos Campeões tem decorrido com toda a normalidade” e frisou que a colaboração entre o Estado português, a Direção-Geral da Saúde, a Federação Portuguesa de Futebol e a UEFA “tem sido muito intensa”.

“Temos feito um trabalho com grande confiança e grande entreajuda e garantidamente este será um projeto de sucesso, onde a saúde e a segurança de todos — participantes e intervenientes — são para nós do mais importante”, afirmou.

A UEFA decidiu em 17 de junho que os quartos de final, meias-finais e final da Liga dos Campeões vão ser disputados em Lisboa, nos Estádios da Luz (Benfica) e José Alvalade, entre 12 e 23 de agosto, em eliminatórias de jogo único.

A ausência de público não foi confirmada no dia do anúncio, bem como a possibilidade de os jogos da segunda mão dos oitavos de final poderem também disputar-se também em Portugal, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, e do Dragão, no Porto.

No dia seguinte ao anúncio, o bastonário da Ordem dos Médicos considerou que a escolha de Portugal “não tem inconveniente” se os jogos não tiverem público, mas com adeptos nas bancadas “pode ser mais complicado”.

“Se não tiver público, não me parece que tenha qualquer inconveniente, desde que tudo seja controlado com medidas de proteção. Se tiver público pode ser complicado”, disse Miguel Guimarães, que falava aos jornalistas após uma visita ao Hospital de São João, no Porto.

Os jogos das últimas 10 jornadas da I Liga portuguesa de futebol estão a ser disputados sem público, desde 3 de junho.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

China parece ter controlado segunda vaga de coronavírus em 21 dias, sem registar mortes

A China parece ter controlado a segunda vaga de covid-19 após um surto que começou num mercado de Pequim, em junho, e que levou a pelo menos 328 novos casos e ao encerramento parcial da …

Guerra aberta pelo ouro da Venezuela em Inglaterra. Maduro ordena investigação ao "roubo"

Nicolás Maduro, Presidente da Venezuela, ordenou uma "investigação penal" ao que denomina "o roubo de ouro venezuelano" que está depositado no Banco Central de Inglaterra. Esta é a resposta do governante depois de o Tribunal …

Hospitais da Papua-Nova Guiné recusam atender grávidas. Médico aconselha mulheres a evitar gravidez

Um obstetra da Papua-Nova Guiné aconselhou as mulheres daquele país a não engravidarem nos próximos dois anos, revelando que o medo de transmissão do coronavírus tem levado os hospitais a recusarem atender grávidas. Segundo noticiou esta …

China vai encerrar gradualmente todos os mercados de aves vivas

A China vai fechar gradualmente todos os mercados onde aves vivas são vendidas, visando reduzir os riscos para a saúde pública, informou hoje a imprensa oficial. Chen Xu, alto funcionário da Administração Estatal de Regulação do …

Em 33 anos, Amazónia perdeu 72,4 milhões de hectares de floresta. O equivalente ao território do Chile

A floresta amazónica, presente em nove países da América do Sul, perdeu 72,4 milhões de hectares de cobertura vegetal entre 1985 e 2018, uma área equivalente ao território do Chile, segundo dados divulgados na quinta-feira …

Decisão do Reino Unido é "absurda", "errada" e "desapontante"

O chefe da diplomacia portuguesa considerou hoje a decisão do Reino Unido de excluir Portugal dos “corredores de viagem internacionais” como um “absurdo”, “errada” e que causa “muito desapontamento”, trazendo ainda graves consequências económicas e …

"Peixe racista". Estátua da Pequena Sereia novamente vandalizada

A icónica estátua da "Pequena Sereia" em Copenhaga, um dos monumentos mais famosos da Dinamarca, foi novamente vandalizada, ao ter sido pintada com uma frase antirracismo, divulgou hoje a polícia dinamarquesa. “A Pequena Sereia foi vandalizada …

Itália admite segunda vaga e defende restrições a viagens

Itália abriu esta terça-feira fronteiras aos viajantes de países que não integram o espaço europeu de livre circulação Schengen, mas com restrições. O ministro da Saúde de Itália afirmou, esta quinta-feira, não poder afastar uma segunda …

Menos férias e mais dias de aulas para quem não tem exames no próximo ano letivo

O próximo ano letivo vai ter menos dias de férias e mais dias de aulas para os alunos que não tenham exames. Os alunos terão aulas presenciais e aulas à distância. O ministro da Educação, Tiago …

FC Porto revela camisola para a próxima época (e as opiniões dividem-se)

O FC Porto revelou a camisola oficial do clube para a próxima temporada. Pelas redes sociais, as opiniões dividem-se, havendo quem não esteja satisfeito com a mudança. Os adeptos portistas acordaram esta sexta-feira com a imagem …