Companhias aéreas e aeroportos rejeitam exigência de vacina

Stina Stjernkvist / EPA

A oposição da indústria da aviação em tornar a vacinação à covid-19 obrigatória está a intensificar, à medida que as aprovações iminentes de vacinas desencadeiam um debate sobre o seu papel nas viagens aéreas.

O Airport Council International (ACI), que representa aeroportos em todo o mundo, juntou-se à maioria das companhias aéreas, que pedem a possibilidade de os passageiros escolherem entre o teste ou a vacina, temendo que uma regra geral impondo a vacinação seja tão prejudicial quanto a quarentena, noticiou na quinta-feria a Reuters.

A australiana Qantas Airways iniciou o debate na semana passada, afirmando que a vacinação seria necessária para os passageiros em voos internacionais.

Mas outras companhias aéreas, e agora aeroportos globais, temem que a espera pelas vacinas impeça as pessoas de viajar até que aquelas sejam amplamente disponibilizadas, prejudicando os negócios na Europa, que tem mercados de aviação domésticos relativamente pequenos.

“Assim como a quarentena paralisou a indústria, uma exigência universal de vacina poderia fazer o mesmo”, disse à Reuters o diretor-geral mundial da ACI, Luis Felipe de Oliveira. “Embora saudemos o rápido desenvolvimento de vacinas, haverá um período considerável antes que estejam amplamente disponíveis”, acrescentou.

“A indústria não pode esperar até que a vacinação esteja disponível em todo o mundo. Durante o período de transição, os testes e vacinas juntos desempenharão um papel fundamental na recuperação da indústria”, sublinhou.

A Austrália indicou que as pessoas que chegam do exterior precisarão ser vacinadas ou optar pelo isolamento, num número limitado de hotéis. O presidente-executivo da Qantas, Alan Joyce, referiu que a política pode se espalhar para outros países, notando que a prova de vacinação já é necessária para a febre amarela em alguns destinos.

O diretor do International Air Transport Association (IATA), Alexandre de Juniac, acredita que tornar as vacinas obrigatórias não funcionaria a nível global.

Shukor Yusof, chefe da consultoria de aviação Endau Analytics, com sede na Malásia, indicou que os países do sudeste asiático adotariam abordagens diferentes sobre os requisitos de vacinas.

O Ministro da Saúde de Taiwan, Chen Shih-chung, declarou na quarta-feira que os “passaportes” covid-19 são uma boa ideia, mas difíceis de colocar em prática. Já o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, pediu na quinta-feira um conjunto comum de reconhecimentos globais para as vacinas covid-19.

David Freedman, especialista em doenças infeciosas dos Estados Unidos (EUA), acredita que mais países seguirão o exemplo da Grã-Bretanha e usarão testes para reduzir o tempo de quarentena. “Para a maioria da população mundial, especialmente no mundo em desenvolvimento, vai demorar anos até que todos que desejam viajar tenham a possibilidade de receber a vacina”, frisou.

  ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Uma impressão artística de um impacto gigantesco no sistema estelar HD 17255

Dois planetas envolveram-se num choque tão violento que um deles perdeu a atmosfera

Uma equipa de astrónomos encontrou provas de uma gigantesca colisão entre dois planetas num sistema planetário jovem, localizado a 95 anos-luz da Terra. A poeira à volta da jovem estrela HD 172555, de 23 milhões de …

Rorhwerk, o maior instrumento musical do mundo

Rohrwerk, uma obra de arte efémera, é a maior "fábrica do som" do mundo

Uma espécie de "pavilhão do som". Alunos da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, criaram um novo instrumento musical, o maior alguma vez construído. Com 45 metros de altura, a obra de arte imponente …

Costa já pediu desculpas às confederações patronais. "Houve um lapso"

O primeiro-ministro afirmou, esta sexta-feira, que já apresentou um pedido de desculpas às confederações patronais por o Governo ter aprovado duas medidas na área do trabalho sem antes as ter apresentado em Concertação Social. À chegada …

Luxemburgo torna-se o primeiro país da Europa a legalizar o cultivo e consumo de canábis

O Governo luxemburguês anunciou, esta sexta-feira, que o país será a primeira nação do Velho Continente a legalizar o cultivo e o consumo de canábis. De acordo com a nova legislação, explica o jornal The …

Prisão preventiva para suspeitos da morte de jovem no metro das Laranjeiras

Os quatro suspeitos da morte de um jovem, na quarta-feira, na estação de metro das Laranjeiras, em Lisboa, ficaram em prisão preventiva, depois de presentes a primeiro interrogatório judicial. Os quatro arguidos, com idades entre os …

Cristiano vs. Salah: Klopp não queria comparar mas comparou

Treinador do Liverpool não acredita que vai encontrar um adversário debilitado: "Eles são capazes de fazer coisas incríveis". É o grande jogo de futebol no Reino Unido e um dos mais aguardados em todos os países: …

Bastonário dos Médicos considera direção executiva do SNS "um disparate"

O bastonário da Ordem dos Médicos considera que a criação da direção executiva do Serviço Nacional de Saúde, proposta no Estatuto do SNS aprovado esta quinta-feira, é "um disparate" e que há estruturas que podem …

João Leão no Parlamento: "A alternativa é um Orçamento apresentado pelo PSD"

O ministro das Finanças afirmou, esta sexta-feira, na Assembleia da República, que a alternativa à viabilização à esquerda da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) é um Orçamento feito pelo PSD. "A alternativa que …

Mais de 30 mil mulheres polacas recorreram a métodos de aborto ilegais ou no estrangeiro desde a alteração na lei

Proibição à interrupção voluntária da gravidez entrou em vigor no início deste ano e as  exceções só se aplicam a casos de violações, incestos ou quando a saúde da mãe está em risco. Pelo menos 34 …

Fenprof anuncia nova greve no dia 12 e concentração em frente ao Parlamento

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) anunciou, esta sexta-feira, a realização de uma concentração em frente à Assembleia da República no dia 5 de novembro e a adesão à greve nacional da Administração Pública marcada …