As Forças Armadas sul-africanas não estavam preparadas para um inimigo invisível

A Força de Defesa Nacional da África do Sul não está preparada para combater uma pandemia silenciosa como a da covid-19. Este “inimigo invisível” veio trazer à tona as fragilidades do país.

As Forças Armadas da África do Sul foram treinadas para salvar vidas, protegendo o país contra os inimigos físicos externos. Esta incompatibilidade entre a política e a prática da Defesa é um dos principais problemas da Força de Defesa Nacional, que peca no combate a este tipo de inimigos invisíveis e silenciosos.

Num artigo assinado no The Conversation, Craig Bailie, professor de Ciência Política na Universidade Stellenbosch, na África do Sul, explica que as Forças Armadas sul-africanas não estão à altura da tarefa de combater a covid-19 devido à natureza democrática das relações civil-militares.

A responsabilidade de preparar qualquer Exército para combater uma ameaça de segurança não convencional numa democracia constitucional cabe, em última instância, aos líderes políticos e militares do país.

Segundo o autor do artigo, “nos últimos 26 anos, os líderes falharam em preparar os militares para papéis secundários, como missões de paz, e ainda mais para combater um vírus”.

A educação é outra ferramenta útil na transformação de uma cultura organizacional, para que uma organização esteja melhor preparada para desempenhar o seu papel em tempos de grande aflição. Neste parâmetro, a África do Sul também falhou.

Os relatórios sobre a conduta dos soldados sul-africanos em missões de paz, antes e durante a pandemia de covid-19, apontam para o fracasso do programa de Educação Cívica das Forças Armadas, nomeadamente em incutir o respeito pelos direitos humanos e pela dignidade.

Para Bailie, nos últimos 26 anos, a educação e o treino dos soldados da África do Sul não os preparou adequadamente para papéis secundários, como a manutenção da paz ou o combate a novas e inesperadas ameaças à segurança, como o novo coronavírus.

No entanto, o professor também destaca que os soldados só podem ser bem preparados se possuírem os recursos necessários, e a verdade é que, ao longo dos anos, o orçamento militar sofreu vários cortes.

Apesar de todos os entraves, nenhum Exército militar estava totalmente preparado para gerir uma pandemia que, sorrateiramente, assolou todo o mundo. Ainda assim, Craig Bailie considera que, “se os líderes políticos e militares sul-africanos tivessem feito um melhor trabalho na administração dos recursos militares do país nos últimos 26 anos, a África do Sul estaria mais bem preparada para o desafio”.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Pois não, de facto parece que o gajo não morre a tiro, os americanos parece que também logo que começaram a ouvir falar do bicho fizeram uma corrida ás armas para aumentar ainda mais o seu arsenal privado, mas pelos vistos logo caíram na realidade ao verem tantos mortos e não conseguirem abater o inimigo.

RESPONDER

Disney+ alerta para estereótipos racistas. Filmes clássicos com avisos sobre "maus tratos"

Embora já exibisse mensagens padrão desde o ano passado, a nova plataforma de vídeo Disney+ mostra agora um aviso, que não pode ser passado à frente, no início de vários filmes clássicos - como Dumbo …

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …