As Forças Armadas sul-africanas não estavam preparadas para um inimigo invisível

A Força de Defesa Nacional da África do Sul não está preparada para combater uma pandemia silenciosa como a da covid-19. Este “inimigo invisível” veio trazer à tona as fragilidades do país.

As Forças Armadas da África do Sul foram treinadas para salvar vidas, protegendo o país contra os inimigos físicos externos. Esta incompatibilidade entre a política e a prática da Defesa é um dos principais problemas da Força de Defesa Nacional, que peca no combate a este tipo de inimigos invisíveis e silenciosos.

Num artigo assinado no The Conversation, Craig Bailie, professor de Ciência Política na Universidade Stellenbosch, na África do Sul, explica que as Forças Armadas sul-africanas não estão à altura da tarefa de combater a covid-19 devido à natureza democrática das relações civil-militares.

A responsabilidade de preparar qualquer Exército para combater uma ameaça de segurança não convencional numa democracia constitucional cabe, em última instância, aos líderes políticos e militares do país.

Segundo o autor do artigo, “nos últimos 26 anos, os líderes falharam em preparar os militares para papéis secundários, como missões de paz, e ainda mais para combater um vírus”.

A educação é outra ferramenta útil na transformação de uma cultura organizacional, para que uma organização esteja melhor preparada para desempenhar o seu papel em tempos de grande aflição. Neste parâmetro, a África do Sul também falhou.

Os relatórios sobre a conduta dos soldados sul-africanos em missões de paz, antes e durante a pandemia de covid-19, apontam para o fracasso do programa de Educação Cívica das Forças Armadas, nomeadamente em incutir o respeito pelos direitos humanos e pela dignidade.

Para Bailie, nos últimos 26 anos, a educação e o treino dos soldados da África do Sul não os preparou adequadamente para papéis secundários, como a manutenção da paz ou o combate a novas e inesperadas ameaças à segurança, como o novo coronavírus.

No entanto, o professor também destaca que os soldados só podem ser bem preparados se possuírem os recursos necessários, e a verdade é que, ao longo dos anos, o orçamento militar sofreu vários cortes.

Apesar de todos os entraves, nenhum Exército militar estava totalmente preparado para gerir uma pandemia que, sorrateiramente, assolou todo o mundo. Ainda assim, Craig Bailie considera que, “se os líderes políticos e militares sul-africanos tivessem feito um melhor trabalho na administração dos recursos militares do país nos últimos 26 anos, a África do Sul estaria mais bem preparada para o desafio”.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Pois não, de facto parece que o gajo não morre a tiro, os americanos parece que também logo que começaram a ouvir falar do bicho fizeram uma corrida ás armas para aumentar ainda mais o seu arsenal privado, mas pelos vistos logo caíram na realidade ao verem tantos mortos e não conseguirem abater o inimigo.

"Filme fantástico". Novo livro revela cartas entre Kim Jong-un e Donald Trump

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, qualificou o seu relacionamento com o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como um “filme fantástico”, segundo os editores de um livro a ser publicado, que revela a correspondência entre …

Grupo avisa Bruxelas que Portugal pode tornar-se ilha ferroviária na Europa

Um grupo de portugueses ligados ao setor ferroviário alertou a comissária europeia dos Transportes para a possibilidade de Portugal se tornar uma ilha ferroviária na Europa devido ao atraso em adotar "a bitola europeia" nas …

China encontra traços do coronavírus em asas de frango importadas do Brasil

Traços do novo coronavírus foram encontrados em asas de frango importadas do Brasil, na cidade de Shenzhen, no sul da China, noticiou, esta quinta-feira, um jornal oficial do Partido Comunista Chinês (PCC). Os traços foram detetados …

Denúncia de Rui Pinto leva a congelamento de conta bancária da Doyen

Oito milhões de euros que estavam numa conta bancária do fundo de investimento Doyen foram congelados pelas autoridades portuguesas. Uma denúncia do whistleblower português Rui Pinto levou o fundo a ser investigado por suspeitas de fraude …

Preocupado com a Bielorrúsia, Macron ligou a Putin (e aproveitaram para falar da vacina russa)

O Presidente francês, Emmanuel Macron, manifestou esta quarta-feira ao seu homólogo russo, Vladimir Putin, "uma preocupação muito grande" quanto à situação na Bielorrússia após a reeleição do chefe de Estado autoritário bielorrusso, Alexander Lukashenko. Segundo indicou …

Obras do Hospital Militar de Belém custaram mais do triplo do valor estimado

As obras no Hospital Militar de Belém, em Lisboa, custaram mais do valor inicialmente estimado, avançou o Diário de Notícias esta quarta-feira. De acordo com o jornal, estava inicialmente previsto que a reabilitação de três …

Autópsia a Valentina revela descolamento do crânio

A autópsia a Valentina, a menina de 9 anos encontrada morta na serra D’el Rei, em Peniche, distrito de Leiria, em meados de maio, revela descolamento do crânio, avança esta quinta-feira o Correio da Manhã. …

Rio pede "coerência" na lotação do Avante e faz comparação com estádios

O líder do PSD pronunciou-se sobre a lotação da festa do Avante, lembrando que, se for reduzida para metade, isso é o mesmo que os estádios do FC Porto ou do Sporting estarem cheios. Na sua …

Juiz Carlos Alexandre desiste de queixa contra Rui Pinto

A proposta do Ministério Público (MP) para que o pirata informático não continuasse a ser investigado dependia da autorização do "super-juiz", avança o Correio da Manhã. De acordo com o Correio da Manhã, o juiz Carlos …

Surto na Nova Zelândia faz 17 novas infeções (e não se sabe de onde veio)

Após 102 dias sem casos de covid-19, a Nova Zelândia registou um novo surto na sua maior cidade, Auckland. O número de infeções subiu para 17, mas não se sabe de onde veio. De acordo com …