Ventura vai apresentar plano de confinamento para população cigana (mesmo sem apoios)

António Pedro Santos

O deputado único do Chega, André Ventura, garantiu esta quarta-feira que “não voltará atrás” na proposta para um plano específico de “abordagem e confinamento” para as comunidades ciganas, e que apresentará essa iniciativa mesmo sem apoio de outros partidos.

Em declarações aos jornalistas na Assembleia da República, em Lisboa, o presidente demissionário do Chega afirmou que “não voltará atrás nesta proposta” e que “já está a estabelecer” contactos com PSD, CDS e Iniciativa Liberal “para que esta proposta vá avante, visto que considera que é necessário uma abordagem específica ao caso da comunidade cigana em Portugal”, tendo pedido reuniões aos líderes dos três partidos.

Questionado sobre o que fará se não tiver o apoio das outras forças políticas, André Ventura respondeu que “vai avançar com esta proposta sozinho”.

“Mesmo que todos os outros partidos não aceitem a proposta do Chega, e o Chega está disposto a negociá-la desde que ela não perca a sua caracterização normal e os seus objetivos fundamentais, o Chega apresentá-la-á sozinho e procurará levá-la ao plenário para ser discutida”, disse, admitindo que poderá ser “votada ao fracasso”.

Em comunicado divulgado no domingo, Ventura anunciou que, na sequência dos “episódios de violência e confrontação na Praia de Leirosa, Figueira da Foz”, provocados alegadamente por um grupo de pessoas ciganas, apresentará “ao parlamento, já no decurso desta semana, um plano específico de abordagem e confinamento para as comunidades ciganas, face à pandemia de covid-19″.

O deputado defendia que “o cumprimento da lei não pode ser reservado apenas para alguns, que nenhuma minoria, étnica ou racial, pode considerar-se acima da lei, e que a força pública não pode recear intervir ou agir com o eterno pretexto do racismo e da xenofobia”.

Já na segunda-feira, André Ventura endereçou três cartas aos líderes do PSD, CDS-PP e Iniciativa Liberal nas quais pedia o apoio destes partidos “na redação de obrigações legais” que “consigam, de uma vez por todas, fazer cumprir as leis de forma igual a todos os cidadãos”.

Nas missivas, a que a agência Lusa teve acesso, o líder do Chega defende que esse plano específico para a comunidade cigana “em matéria de saúde e segurança durante a pandemia” deveria prever “mais policiamento junto das zonas de residência dessas comunidades, maior investimento em ações de formação e sensibilização e regras de confinamento específicas”, a par de “um levantamento urgente, já no segundo semestre de 2020, da composição, quantificação e localização das comunidades ciganas em Portugal”.

Na carta enviada ao presidente do PSD, Rui Rio, André Ventura pede o “apoio do PSD para a apresentação de uma proposta comum a apresentar por toda a direita parlamentar relativamente à comunidade cigana” e pede uma reunião “tão breve quanto possível”.

Ainda que reconheça diferenças entre os dois partidos, o líder do Chega identifica “vários pontos em comum, quer a nível da forma de pensar Portugal, quer nas atitudes perante os problemas”, e alega que as comunidades ciganas, “não caindo em generalizações de qualquer tipo, representam hoje um forte problema de segurança e saúde pública nalgumas regiões do país”.

“Sei, porque o vivi na pele, a oposição que existe dentro do PSD a tratar da questão cigana de forma frontal, direta e objetiva, a pensar sobretudo em resolver problemas. Sempre que se levanta o problema, um coro de críticas e indignações se levantam imediatamente, como se falássemos de Auschwitz ou dos extermínios soviéticos”, assinala Ventura, que foi autarca eleito pelo PSD, admitindo que a proposta poder ser “muito controversa”.

Esta quarta-feira, várias associações e figuras públicas,  subscreveram um abaixo-assinado a repudiar as declarações do deputado do Chega sobre a comunidade cigana.

Entre os nomes que subscreveram o comunicado de repúdio estão Ricardo Quaresma, Leonor Teles, Luís Filipe Menezes, Ana Gomes, Carlos Narciso, Pedro Bacelar de Vasconcelos, Francisco Louçã e Marisa Matias e o elenco do Teatro da D. Maria II.

O documento refere que “todas as pessoas, ciganas e não ciganas, estão sujeitas à contaminação pela covid-19” e que “todas as pessoas, incluindo as pessoas ciganas e não ciganas, estão sujeitas às regras de confinamento, quer as que foram impostas pelo estado de emergência quer as que estão em vigor com o estado de calamidade”.

Através de uma publicação na sua conta oficial da rede social Facebook, o futebolista Ricardo Quaresma critica que “o populismo racista do André Ventura apenas serve para virar homens contra homens em nome de uma ambição pelo poder, que a história já provou ser um caminho de perdição para a humanidade”.

“Eu sou cigano, cigano como todos os outros ciganos e sou português como todos os outros portugueses, e não sou nem mais nem menos por isso”, acrescenta o jogador, em declarações que André Ventura entretanto lamentou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. A comunicação social não devia servir de caixa de ressonância, as propostas provocadores do Chega, senão imos ter em breve um Bolsonaro no poder e toda a gente a perguntar : Como foi possível !!!

  2. Caro Xico
    Neste caso, o André Ventura afirma aquilo que uma maioria pensa, mas não tem coragem de dizer.
    Se a comunidade cigana pretende ser tratada de forma igual, então que assuma comportamentos também iguais aos dos restantes cidadãos.
    Não é invulgar irmos a uma urgência do hospital e depararmo-nos com um sem número de ciganos na entrada, quando um seu familiar está a ser atendido. E ai do médico que se atreva a negar o acesso a algum deles quando se insurge! Há casos em que nos hospitais, são forçados a infringir regras porque temem pela sua própria integridade física. Todos nós sabemos que, infelizmente, é assim.
    Usufruem de habitações camarárias gratuitas. E nós temos de pagar.
    Já experimentou ter um acidente de viação com algum cigano? Tente contradize-lo…
    Já experimentou a ameaçadora “justiça” cigana praticada pelas próprias mãos?
    É evidente que não há regra sem exceção. E ainda bem que sim! Conheço pessoalmente alguns ciganos com excelente formação cívica e moral, mas são, infelizmente, uma minoria.
    É lamentável que esta seja a realidade, pois todos nós ambicionamos harmonia e equidade social.

    • Caro “É assim” e nas escolas é a mesma coisa. Os ciganos PROVAM-NOS NO DIA-A-DIA, com o seu comportamento desviante, que não aceitam viver, nem reger-se, segundo as nossas Leis e regras; então…

  3. CHEGA esta fazendo trabalho honesto que outros partidos sabem e nao querem fazer porque é antipopular….muito bem André Ventura, parabens, va para frente povo agradece… os desaligados nao contao porque nao pagam factura, so querem é serem reconhecidos e promovidos….

    Va para frente André e com forca porque ja vem tarde.

RESPONDER

Espanha supera um milhão de infetados. França pondera estado de emergência até fevereiro

Espanha ultrapassou esta quarta-feira um milhão de infetados por covid-19, no mesmo dia em que o Governo francês admitiu estar a ponderar manter o estado de emergência até fevereiro e algumas medidas até abril. Espanha …

Há 49 escolas com surtos ativos de covid-19

Cerca de meia centena de escolas têm surtos ativos de covid-19, avançou esta quarta-feira a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, que fez um balanço positivo das primeiras semanas de aulas. "Neste momento, estão ativos 49 surtos …

Índia pode atingir os 600 milhões de casos de covid-19 em fevereiro, dizem especialistas

Mais de 600 milhões de indianos, mais da metade da população do país, provavelmente serão infetados com o novo coronavírus até fevereiro de 2021, segundo um painel de especialistas que aconselha o Governo do país. Segundo …

Ficheiro apreendido a Rui Pinto tinha número de telemóvel da procuradora

Um ficheiro de um dos dispositivos apreendidos ao criador do ‘Football Leaks’, Rui Pinto, contém o número de telemóvel da procuradora do Ministério Público (MP) envolvida no julgamento, Marta Viegas, confirmou a própria na 15.ª …

Rio anuncia vota contra no OE. "O PSD é mais responsável na oposição do que o PS no Governo"

O presidente do PSD anunciou esta quarta-feira o voto contra do partido na proposta de Orçamento do Estado para 2021, dizendo que esse é “o único voto coerente” e porque outra votação nem sequer “evitaria …

"A pandemia derrubou-me." "Pepe" Mujica, ex-Presidente do Uruguai, abandona a política

O ex-presidente uruguaio José "Pepe" Mujica disse que continuará a ser "conselheiro" dos companheiros de partido. José "Pepe" Mujica, ex-Presidente do Uruguai, renunciou esta terça-feira ao seu lugar no Senado e abandonou definitivamente a política ativa. …

Milhares de reclusos na Nigéria fugiram depois de invasões a prisões

De acordo com as autoridades nigerianas, cerca de 2000 presos fugiram de prisões na Nigéria, após os locais terem sido invadidos por multidões. Foi imposto um recolher obrigatório em resposta à agitação resultante de duas …

Manuel Maria Carrilho absolvido pela terceira vez do crime de violência doméstica

O ex-ministro Manuel Maria Carrilho foi esta quarta-feira novamente absolvido do caso de violência doméstica em que era suspeito de ter agredido a apresentadora de televisão Bárbara Guimarães. Em comunicado Manuel Maria Carrilho explica que o …

Maiores construtoras portuguesas juntam-se contra a "armada espanhola"

As duas maiores construtoras portuguesas, Mota-Engil e Teixeira Duarte, aliaram-se num consórcio, no âmbito de um concurso público lançado pela Infraestruturas de Portugal (IP), para tentar derrotar a concorrência espanhola. Habitualmente concorrentes na disputa pelas grandes …

Novo recorde: SNS24 recebeu mais de 23 mil chamadas só esta segunda-feira

O centro de contactos SNS24 bateu um novo recorde de atendimentos no dia 19 de outubro, com 23.373 chamadas atendidas, revelaram os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) ao Público. Os picos de chamadas …