/

Aeroporto de Lisboa já recebeu quase cem infetados (mas há estrangeiros a fugir aos testes)

3

“Infelizmente, há muita gente a viajar com sintomas e a saber que está positiva”, diz a responsável pela equipa de sanidade internacional do Aeroporto de Lisboa.

Desde o início da pandemia já foram confirmados 97 casos positivos de covid-19 em voos chegados ao aeroporto de Lisboa. Ouvida pelo Diário de Notícias, Maria João Martins, responsável pela equipa de sanidade internacional do Aeroporto Humberto Delgado, diz que um dos casos tornou-se suspeito a bordo do avião – e veio a ser confirmado.

O primeiro passo é identificar o lugar onde o passageiro seguia, quem era a tripulação e os viajantes à volta, podendo obrigar a seguir o rasto de mais de 15 pessoas. “Na pior das hipóteses podemos ter 15 a 17 contactos relacionados com um doente dentro de um avião”, diz a médica.

Dos passageiros que voaram para Lisboa infetados com covid-19, 40% deles foram nas últimas duas semanas.

“Nós não conseguimos impedir a importação de casos. Só se parássemos os voos, mas depois também não importávamos comida ou turistas. A única coisa que podemos fazer é garantir que o nosso sistema de vigilância consegue gerir estes casos por forma a minimizar o risco de cada um deles criar uma cadeia de transmissão”, explica Maria João Martins ao DN.

A especialista adverte que, em caso de suspeita de infeção, a escolha deve ser sempre não viajar, o que nem todas as pessoas têm cumprido. “Infelizmente, há muita gente a viajar com sintomas e a saber que está positiva”, lamenta.

O Jornal de Notícias escreve este sábado que há passageiros oriundos de países considerados inseguros, mas cujas viagens são autorizadas devido à presença de comunidades portuguesas, que estão a conseguir entrar no país sem realizar os testes à covid-19.

Dos 626 testes realizados nos aeroportos até ao passado dia 10 de julho, só 14 (2,2%) eram positivos, segundo o Ministério da Saúde. A Direção-Geral da Saúde (DGS) não quis comentar a eficácia dos testes nos aeroportos a passageiros oriundos de países considerados inseguros.

Não houve multas para os passageiros que viajaram sem testes, uma vez que o decreto que cria multas e permite fiscalizar ainda não foi publicado.

  ZAP //

3 Comments

  1. Façam como uma boa parte dos governantes mundiais, restrinjam a entrada de pessoas oriundas de outros países, vai tudo para quarentena…

  2. aeroporto de Lisboa – uma das grandes causas do bloqueio do momento a Portugal. identificaram 100! deviam ter sido 1000 ou mais, 626 testes ! O que é isso? Deve haver empresas que já fizeram mais testes. A mesma incompetência de sempre, mesmo com o pomposo cargo de “responsável pela equipa de sanidade internacional”

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.