Cadáveres de vítimas de Covid-19 podem ser contagiosos

Marco Ottico / EPA

Um médico forense de Banguecoque, na Tailândia, terá sido infetado com Covid-19 após estar em contacto um cadáver. Um novo estudo recentemente divulgado indica que o profissional de saúde tornou-se no primeiro caso de infeção e morte entre o pessoal de medicina forense.

De acordo com o estudo, publicado no Journal of Forensic and Legal Medicine a 11 de abril, o médico acabou por morrer devido à infeção por coronavírus, tornando-se no primeiro caso registado de “infeção e morte por Covid-19 entre o pessoal médico de uma unidade de medicina forense”, escreveram os investigadores no relatório.

Na época em que o relatório foi escrito, a 19 de março, apenas 272 pessoas na Tailândia – incluindo o médico forense e um auxiliar de enfermagem – haviam testado positivo para o novo coronavírus, noticiou o Scientific American.

A maioria dos casos era importado, sendo improvável que o médico tenha sido infetado fora do trabalho, disseram os responsáveis. “Há uma hipótese baixa de profissionais de medicina forense entrarem em contato com pacientes infetados, mas podem ter contato com amostras biológicas e cadáveres”, escreveram no relatório.

Não é surpreendente que o corpo de um paciente com Covid-19 recentemente falecido possa ser contagioso, indicou o médico Otto Yang, professor do Departamento de Medicina e de Microbiologia, Imunologia e Genética Molecular da David Geffen School of Medicine da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA).

“Absolutamente, um corpo morto pode ser contagioso durante horas, se não dias”, disse à Live Science. “O vírus ainda estará presente em secreções respiratórias e, potencialmente, ainda se estará a reproduzir em células que ainda não morreram nos pulmões”.

A longevidade da Covid-19 pode ser um problema para as pessoas na indústria funerária. Após relatos de que templos na Tailândia se recusavam a prestar serviços funerários às vítimas do coronavírus, o chefe do Departamento de Serviços Médicos do país anunciou incorretamente, que a doença não era contagiosa após a morte dos infetados, recordou o Buzzfeed News.

Não está claro, no entanto, quanto tempo o vírus permanece infecioso num cadáver.

À luz dessa descoberta, os médicos forenses devem tomar precauções ao examinar os restos mortais de pacientes com Covid-19, referiram os investigadores. Estes profissionais devem usar equipamento de proteção, incluindo fato, luvas, óculos e máscara, podendo recorrer ainda ao procedimento de desinfeção usado nas salas de operação.

Geralmente, os agentes patogénicos não sobrevivem tempo suficiente para se espalharem após a morte da vítima, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). “Os restos humanos representam apenas um risco substancial para a saúde apenas em alguns casos, como mortes por cólera ou febre hemorrágica”, como o Ébola, informou a OMS.

Outras doenças contagiosas em restos humanos incluem tuberculose, vírus transmitidos pelo sangue (como hepatite B e C e VIH) e infeções gastrointestinais (incluindo E. coli, hepatite A, infeção por Salmonella e febre tifóide), acrescentou a organização.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Marcelo pede que não se passe do "8 para o 80" e alerta para imagem do país

O Presidente da República reiterou hoje o apelo à população para que não se passe “do 8 para o 80” nas medidas de prevenção da covid-19, alertando para os riscos da imagem do país “cá …

Só metade das crianças deverá voltar ao pré-escolar esta segunda-feira

As crianças em idade pré-escolar regressam esta segunda-feira aos jardins de infância, que voltam a funcionar com novas regras, depois de encerradas durante mais de dois meses, devido à pandemia da covid-19. Apesar do regresso, que …

Dois astronautas (e um dinossauro de peluche) chegaram à EEI à boleia da SpaceX

Para além dos astronautas Doug Hurley e Bob Behnken, seguia a bordo da Crew Dragon um dinossauro de peluche com lantejoulas. E há uma explicação para isso. Este sábado, o foguetão Falcon 9, da SpaceX, fez …

Pescadores já podem capturar sardinha, mas recuo no consumo é uma preocupação

Os pescadores voltam a poder capturar sardinha, a partir desta segunda-feira, e até 31 de julho, com limites diários e semanais, segundo um despacho publicado em Diário da República. De acordo com o diploma, assinado pelo …

Madeirense contesta quarentena obrigatória em Tribunal (e há uma sentença que lhe dá razão)

Uma cidadã madeirense que chegou no domingo à Madeira e recusa cumprir quarentena num hotel entregou um pedido de ‘habeas corpus’ no Juízo de Instrução Criminal do Tribunal do Funchal. A acompanhar o pedido está …

Idade é o maior factor de risco para se ser internado ou morrer de covid-19

As pessoas com idades entre os 70 e os 79 anos infetadas pelo novo coronavírus têm uma probabilidade de ser internadas em cuidados intensivos 10,4 vezes superior à de uma pessoa até aos 50 anos. Os …

Turismo de Portugal tem 10 milhões para apoiar campanhas de empresas que promovam o país

O Turismo de Portugal tem dez milhões de euros, que vão servir para financiar iniciativas “de valorização, inovação e promoção do destino Portugal” até 2025. A dotação de dez milhões de euros, aprovada por despacho de …

"Perdi quase tudo no casino." Daniel Kenedy explica adeus ao futebol com o vício

O ex-futebolista Daniel Kenedy, que passou por clubes como Benfica, FC Porto, Marítimo e Sporting de Braga, revela que perdeu "quase tudo" no casino por causa do vício do jogo, apontando este problema como uma …

Bolsonaro apela a "intervenção militar" e deixa ameaça de golpe de Estado

Jair Bolsonaro e o seu filho Eduardo atacam a separação de poderes em reação às investigações da Justiça. O Presidente brasileiro aludiu a uma "intervenção militar pontual". A cena política no Brasil está cada vez mais …

Uso de máscara obrigatório durante os exames nacionais, que podem durar mais de duas horas

Os alunos do ensino secundário que este ano realizem exames nacionais terão de estar durante toda a prova com a máscara de proteção pessoal. O uso de máscara, que se tornou obrigatório no regresso às …