/

Simulação mostra como é que os vírus se espalham quando se tosse

Uma nova simulação renderizada em 3D por investigadores da Finlândia mostra como as partículas de aerossol tossidas por uma pessoa num local fechado se podem espalhar – e podem chegar muito longe.

A investigação tinha como objetivo determinar a forma como o coronavírus se pode espalhar pelo ar. De acordo com as conclusões, citadas em comunicado, “as partículas de aerossol que carregam o vírus podem permanecer no ar durante mais tempo do que se pensava inicialmente, por isso é importante evitar locais públicos fechados movimentados”.

O ambiente em 3D refere-se a um local como um supermercado médio, com ventilação comum. “No modelo 3D, uma pessoa tosse num corredor delimitado por prateleiras sob condições representativas de fluxo de ar de ventilação interna”, lê-se no vídeo. “Como resultado da tosse, uma nuvem de aerossol viaja no ar para o corredor. São necessários alguns minutos para a nuvem se espalhar e dispersar”.

“Alguém infetado pelo coronavírus, pode tossir e afastar-se, mas deixa partículas de aerossol extremamente pequenas que carregam o coronavírus”, explicou Ville Vuorinen, professor da Universidade de Aalto. “Estas partículas podem acabar no trato respiratório de outras pessoas nas proximidades”.

As partículas de aerossol de uma tosse seca têm menos de 15 micrómetros e são tão pequenas que flutuam no ar em vez de se afundarem no chão. As correntes de ar podem ajudá-las a espalharem-se.

O modelo enfatiza que evitar locais lotados ou “pontos nodais” pode ser uma maneira eficaz de conter a propagação do vírus.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.