//

Temido diz que azar levou a disparo de casos em Portugal (mas conta com a ajuda de “três circunstâncias”)

6

António Pedro Santos / Lusa

A ministra da Saúde, Marta Temido

A variante Delta veio complicar a estratégia do Governo no combate à pandemia de covid-19. É a ministra da Saúde, Marta Temido, quem o diz, falando no azar de esta variante se ter começado “a espalhar” quando estávamos “mais desconfinados”. Mas, agora, conta com três factores para “achatar” a curva.

Portugal está, novamente, numa altura de crescimento dos novos casos de covid-19. E, na passada quinta-feira, o Governo anunciou mais medidas restritivas para os concelhos de maior risco devido à pandemia. Isto numa altura em que outros países, como o Reino Unido, têm anunciado o levantamento de restrições.

“Temos andado em contraciclo” com outros países, analisa Marta Temido em entrevista ao Nascer do Sol. “Tivemos um Janeiro e um Fevereiro muito maus, baixámos muito a incidência com um confinamento prolongado e quando a variante Delta se começou a espalhar já estávamos mais desconfinados do que outros países“, destaca a ministra.

Mas, depois desse azar, Temido conta agora com “três circunstâncias que poderão ter um efeito” na descida dos novos casos.

O primeiro factor é “o encerramento das aulas”, com o início das férias escolares, que “retira mais contactos” da equação.

“Nas férias escolares o movimento nas grandes cidades abranda” e isso pode ajudar a “achatar” a curva dos casos, defende a ministra da Saúde.

O segundo factor é a vacinação, com Temido a notar que “são 850 mil doses que esperamos ter a mais esta semana”. “A vacinação é o grande escudo, embora todos os escudos tenham falhas”, diz ainda.

“E em terceiro lugar, o efeito das temperaturas“, acrescenta. “Da mesma forma que ficámos muito vulneráveis com o frio, à partida, sendo um vírus respiratório, o que alguns especialistas têm dito é que seria muito estranho se não houvesse um abrandamento”, constata.

Marta Temido nota que “a estratégia [do Governo] tem sido procurar sempre formas de cortar a transmissão“. Assim, é preciso actuar em locais onde “as pessoas estão mais expostas”, como os “locais de convívio, interiores, sem máscara”, sublinha para justificar as medidas para os restaurantes.

A ministra também insiste na recusa em afastar a possibilidade de um novo confinamento geral. “Espero que não aconteça, espero que não seja necessário, mas estamos a falar de uma pandemia e de uma pandemia que tem contornos que ainda não conhecemos completamente”, alerta.

“É evidente que todas as vacinas que administramos tornam esse cenário mais longínquo e mais um cenário perfeitamente hipotético”, salienta, contudo.

De qualquer modo, Temido avisa que o confinamento geral será inevitável num “cenário de saturação do sistema de saúde” que seria “extremo e de alarme social”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

  ZAP //

6 Comments

  1. Azar ?? ou incompetência??
    Continuo a ver restaurantes e cafés, com funcionarios sem mascara assim como os clientes . Taxa de uso de mascara em Campo de Ourique , de dia
    40 a 45 % de noite 75% .
    Continua -se a fazer sala nos cafés quer na esplanada quer no interior sem mascara ! E ninguem diz nada ?!!
    Agentes da autoridade , sem mascara !! No Centro de vacinação Hindu , inclusive , na sexta-feira passada !!
    Falta de distanciamento nos restaurantes entre mesas , nos supermercados , as marcações no chao , nao estão à distancia aconselhada e quando se chama a atenção , respondem que está marcado no chão!!!
    Não há azar , há isso sim falta de coragem e de policiamento , para impor as regras e muita falta de civismo .
    Já estamos a ficar fartos destas dsculpas , sem pés nem cabeça .
    Hora dizem que l pico é para a semana , ora dizem que é daqui a 15 dias , ou …não será melhor calarem-se ??
    Vacinacao sem marcação, filas a perder de vista …
    O Senhor Oficial da Marinha, diz …
    Chega-se ao centro de vacinação, …
    Esperas infinitas , vou aguardar pela data marcada no cartão e se não houver espera de horas fico ,se não,
    vou-me embora . Ao principio da tarde , tinham começado tarde e à mas horas , havia para os idosos , 96 pessoas a espera , porque a vacinação
    Tinha começado tarde , informação fo agente no local , este tinha mascara , mas pouca educação .
    Cuidem-se é o que temos .

  2. Corrigo taxa de uso .
    Os votes indicados , são de falta de uso e não, de uso !!!
    Do erro peço as minhas desculpas .
    Cuidem-se

  3. Azar?!? Certo….
    Parece que somos governados por uma quadrilha de macacos com revólveres…

    Será que ninguém imaginava que isto pudesse acontecer face à medidas e fiscalização existentes?
    Acham mesmo que isto é o melhor que se podia fazer? Se acham que sim.. então têm andado a viver debaixo de uma pedra nos ultimos tempos!

    Mas pronto.. está tudo bem.. neste país está tudo bem (menos para aqueles que morrem ou que ficaram com mazelas permanentes.. não é?)! Incompetencia.. irresponsabilidade.. impunidade!

  4. E… num mês, tudo mudou… até já têm data para o regresso TOTAL à normalidade. Viva, carago… o Covid não nos derruba!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.