Governo garante que não haverá limite de idade na vacinação. Marcelo fala em “ideia tonta”

José Sena Goulão / Lusa

O secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde garantiu, esta sexta-feira, que a vacinação para a covid-19 não terá qualquer limite de idade e que os idosos e doentes com comorbilidades serão uma prioridade.

Numa conferência de imprensa na Base Aérea n.º 11 de Beja, António Lacerda Sales insistiu que as faixas mais vulneráveis da população, como os idosos, nomeadamente aqueles que são residentes de lares, têm sido “uma prioridade” para o Governo, o que se vai manter quanto ao plano de vacinação para a covid-19.

“Os idosos, como os doentes com comorbilidades, serão uma prioridade para este Governo, aliás, como tem sido uma prática sempre deste Governo priorizar as faixas mais vulneráveis”, afirmou aos jornalistas, frisando: “Não há limite para a idade”.

“Temos o exemplo de todo o trabalho que temos feito em lares, em estruturas residenciais para idosos, e, portanto, não seria agora, e não será com certeza, que a idade será um limite para vacinação”, afiançou.

Esta sexta-feira, a imprensa avançou que os especialistas da Direção-Geral da Saúde (DGS) propõem que as primeiras pessoas a ser vacinadas contra a covid-19 sejam pessoas entre os 50 e os 75 anos com doenças graves, funcionários e utentes de lares e os profissionais de saúde envolvidos na prestação direta de cuidados.

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde disse que o Governo recebeu uma proposta da DGS relativa à vacinação que “inclui todos os idosos dos lares, sem limite de idade“, tal como “profissionais desses lares, profissionais de saúde, forças da autoridade, doentes com comorbilidades”.

“Portanto esta é que é a realidade da proposta que recebemos”, a qual “ainda não foi analisada pelo Ministério da Saúde”, mas que, “a seu tempo, com ponderação e serenidade”, será alvo de análise e de “decisão política”, disse.

“Queremos fazer uma grande campanha de vacinação e o objetivo é ter a maior cobertura possível”, disse ainda o secretário de Estado, acrescentando que o país tem já “seis contratos aprovados e quatro fechados com a AstraZeneca, a Pfizer a Jonhson e a Sanofi”, o que corresponde a 16 milhões de doses, segundo o jornal online Observador.

Questionado pelos jornalistas sobre se Portugal tem capacidade de armazenar as vacinas, tendo em conta que algumas têm de ser conservadas a temperaturas muito baixas, Lacerda Sales explicou que “existem no país estruturas em que pode ser armazenada essa vacina a -75ºC”.

“Não há decisão nenhuma, muito menos uma tonta”

“Não há decisão nenhuma, muito menos há uma decisão que seja uma decisão tonta“, afirmou o Presidente da República, em declarações à agência Lusa, à entrada para um almoço com empresários da restauração, em Évora.

Marcelo Rebelo de Sousa disse que tem acompanhado com o primeiro-ministro os trabalhos preparatórios do plano de vacinação e vincou que o documento, “antes de ser aprovado, tem de ser submetido ao Governo” e, depois, “o primeiro-ministro dará conhecimento ao Presidente da República”.

“Aquilo que tenho visto especular, nalguns aspetos, é, no fundo, dizer que há fatias do povo português pela sua idade que não têm acesso urgente ou prioritário à vacina, como tenho visto formulado, é uma ideia tonta“, referiu.

O chefe de Estado notou que “é de presumir que as pessoas responsáveis não tenham ideias tontas”, insistindo que “até agora não há plano aprovado” e que “tudo o que seja dito é pura especulação técnica, científica, social, política”.

Não há plano nenhum aprovado, muito menos nos termos que tem vindo ser anunciado e que são muito diferente daquilo que se tem feito ou está a ser feito por toda a Europa”, acrescentou.

Esta manhã, o primeiro-ministro, António Costa, também já tinha transmitido esta mensagem, assim como o coordenador da task force criada pelo Governo, Francisco Ramos, que explicou à agência Lusa que a proposta apresentada pela DGS “não tem qualquer limite de idade para as pessoas internadas em lares”.

Os residentes em lares, de qualquer idade, os funcionários destas instituições, os profissionais de saúde, das forças de segurança e os idosos com comorbilidades severas são os grupos prioritários propostos pela DGS para a vacina contra a covid-19, declarou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Fico feliz que tanto o 1o ministro e o presidente da república tenham já percebido que a diretora geral da saúde está senil

    • Enfim. Decididamente o povo não tem a quantidade mínima de neurónios para compreender o que passa à sua volta. O que foi dito na análise técnica do plano de vacinação é que de acordo com os dados atuais a vacina parece ter um grau de eficácia muito inferior na população acima dos 75 anos. De nada vale vacinar, se não funcionar! Para isso fazia sentido usar a vacina em quem funciona!
      No entanto, isso é um dado técnico que até poderá (se é que já não foi) vir a ser desmentido entretanto pela comunidade científica internacional. Não quer dizer que assim seja.

        • Que informação? A da ineficácia da vacina acima dos 75 anos?!
          Até ontem era um dado à luz dos conhecimentos científicos atuais, caro Einstein de trazer por casa.
          E já agora, a última coisa que eu pretendo é defender este desgoverno e a tonta da DGS.

RESPONDER

Influente bispo alemão não vê "por que não" se pode abençoar casais homossexuais

"Se os homossexuais pedem alguma bênção, por que não?", disse, esta sexta-feira, um bispo alemão que foi recebido pelo papa Francisco no Vaticano, a propósito da delegação da Comissão Episcopal da União Europeia (Comece). Franz-Josef Overbeck, …

Mais 789 novos casos de covid-19 e uma morte em Portugal

Portugal registou, este sábado, mais uma morte e 789 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 789 novos …

Organização dos Jogos Olímpicos estima cerca de sete casos diários

Os organizadores dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020 estimam que haverá cerca de sete casos de covid-19 por dia entre as pessoas envolvidas no evento, disse a emissora pública japonesa NHK. A estimativa foi …

Mais dois militares vão a julgamento por agressões em curso dos Comandos

Estão em causa dois cursos anteriores ao que levou à morte, em 2016, dos recrutas Hugo Abreu e Dylan da Silva. Um dos casos segue já para julgamento, o outro vai para a fase de …

Remodelação à vista (com saídas e trocas de pastas por "um Governo de combate")

O Governo de António Costa tem pela frente um mês de Julho decisivo que ficará marcado pela chegada dos fundos da bazuca europeia. E há dirigentes socialistas que acreditam que o primeiro-ministro deve aproveitar a …

Líderes da UE alertam Londres para respeitar acordo do Brexit

Os líderes da União Europeia (UE) alertaram o Governo britânico, este sábado, que os dois lados devem implementar o acordo do Brexit, numa reunião com o primeiro-ministro britânico à margem da cimeira do G7. A presidente …

Variante Delta está a crescer em Portugal. Lisboa e Vale do Tejo é a região mais afetada

As autoridades de saúde confirmam que já foi detetada, em Portugal, a transmissão comunitária da variante Delta do novo coronavírus. Esse cenário estará a ser mais evidente na região de Lisboa e Vale do Tejo. "Até …

Vírgula permite aos deputados receberem abono de exclusividade mesmo mantendo cargos em empresas

Um parecer da Comissão de Transparência permite aos deputados acumularem funções em empresas enquanto recebem o subsídio de exclusividade na Assembleia da República. Tudo por culpa de uma vírgula que desperta interpretações diversas. A situação é …

Grupo Espírito Santo só tem verbas para pagar 2,6% das dívidas

Os credores reclamam 11,5 mil milhões de euros em dívida, mas o império Espírito Santo só tem cerca de 300 milhões de euros. De acordo com o semanário Expresso, aquilo que resta do império Espírito Santo …

CTT reclamam dívidas de 67 milhões ao Estado

Os CTT iniciaram um processo de arbitragem contra o Estado, reclamando um total de 67 milhões de euros em compensações pelo impacto da pandemia de covid-19 e pela extensão unilateral do contrato de concessão. "Os CTT …