/

Sem máscara nem distanciamento. Wuhan regressa à vida normal e junta milhares em festival de música

Wuhan, a cidade chinesa que foi o epicentro do novo coronavírus antes de este se espalhar pelo resto do mundo, parece ter superado a pandemia, com milhares de pessoas a juntar-se num parque aquático ao ar livre para um festival de música eletrónica.

No fim de semana passado, o Wuhan Maya Beach Water Park estava cheio de pessoas em fatos de banho amontoados ombro a ombro, acenando com a batida da música enquanto se refrescavam na água até a cintura.

A cena da festa lotada é impensável em muitas partes do mundo que ainda lutam contra a covid-19. Mais de 21 milhões de pessoas foram infetadas em todo o mundo, com dezenas de milhares de novos casos relatados todos os dias nos Estados Unidos, Brasil e Índia.

Porém, na cidade chinesa de Wuhan, a vida voltou ao normal desde que a metrópole de 11 milhões de habitantes na província de Hubei suspendeu um rígido bloqueio de 76 dias no início de abril. A cidade não registou nenhum novo caso desde meados de maio, de acordo com a CNN.

O Wuhan Maya Beach Water Park reabriu no final de junho, mas mais de um mês de chuva sazonal desencorajou as multidões. O número de visitantes no início de agosto representou apenas metade do nível no mesmo período do ano passado- Atualmente, o parque aquático recebe uma média de 15 mil visitantes diários durante os fins de semana e está a dar descontos pela metade do preço a alguns visitantes.

O novo coronavírus foi detetado pela primeira vez em Wuhan em dezembro do ano passado. Como epicentro original do surto, as infeções na cidade representam quase 60% do total de mais de 84 mil casos confirmados em toda a China.

Em 23 de janeiro, Wuhan foi isolada num bloqueio estatal sem precedentes para conter o vírus que se espalhava rapidamente. Todos os voos, comboios e autocarros foram cancelados e as entradas das rodovias bloqueadas. Os moradores foram proibidos de deixar as suas comunidades – até mesmo para fazer compras.

Cidades na província de Hubei seguiram o exemplo, adotando restrições semelhantes.

As medidas radicais, que afetaram mais de 60 milhões de residentes de Hubei, foram anunciadas na China como tendo ajudado o país a superar o vírus. Numa demonstração de confiança, o presidente chinês Xi Jinping visitou Wuhan em 10 de março, três meses depois que o surto ter sido detetado pela primeira vez na cidade.

No entanto, o vírus ressurgiu brevemente em meados de maio, quando seis novos casos foram descobertos numa comunidade residencial da cidade. As autoridades municipais lançaram uma ambiciosa campanha de testes de ácido nucléico em toda a cidade, que viu mais de 6,5 milhões de testes realizados em apenas nove dias.

Desde então, não houve novos casos registados em Wuhan, que regressou à vida normal.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.