/

Portugal com três mortes e 573 novos casos nas últimas 24 horas

Filipe Araujo / Fotos Publicas

Portugal registou três mortes relacionadas com a doença covid-19 e 573 novos casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, divulgou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim epidemiológico de hoje, a região de Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a que tem mais novos casos confirmados, com 334 dos 573 registados no período em análise.

Relativamente aos internamentos, hoje estão menos duas pessoas em enfermaria, totalizando 265 doentes. Nas unidades de cuidados intensivos (UCI), estão 51 pacientes, menos dois em relação à véspera.

Os dados divulgados pela DGS mostram também que estão ativos menos 111 casos, para um total de 23.362, e que 681 pessoas foram dadas como recuperadas nas últimas 24 horas, o que aumenta o total nacional para 811.640 recuperados.

Lisboa e Vale do Tejo voltou a ser a zona do país com mais novos casos de covid-19, tendo registado 334 nas últimas 24 horas. O total de casos registados nesta região do país é agora de 322.765. Lisboa registou também o maior número de novos óbitos, com duas mortes, que totalizam agora as 7.216.

A região Norte registou 120 novos casos nas últimas 24 horas, somando agora 341.229 desde o início da pandemia. Não houve mortes a lamentar na região, que mantém os 5.356 óbitos registados.

A terceira morte registada ocorreu na região Centro, onde se contam agora 3.024 óbitos. A região registou nas últimas 24 horas mais 65 novos casos, que elevam o total de casos registados para os 120.094.

Desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram em Portugal 17.032 pessoas e foram diagnosticados 852.034 casos de infeção.

DGS

Pandemia já matou 3,71 milhões de pessoas no mundo

A pandemia de covid-19 matou, até hoje, pelo menos 3.714.923 pessoas no mundo desde o final de dezembro de 2019, segundo um levantamento realizado pela agência de notícias francesa AFP a partir de fontes oficiais.

Mais de 172.499.930 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia. Os números são baseados em relatórios diários das autoridades de saúde de cada país até às 11:00 em Lisboa, e excluem revisões posteriores de agências estatísticas, como ocorre na Rússia, Espanha e Reino Unido.

A OMS estimou que, levando em consideração o excesso de mortalidade direta e indiretamente vinculado à covid-19, os resultados da pandemia podem ser duas a três vezes superiores aos registados oficialmente. Na sexta-feira, 9.916 novas mortes e 427.592 novos casos foram registados em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de novas mortes em seus levantamentos mais recentes são a Índia com 3.380 óbitos, o Brasil (1.454) e os Estados Unidos (605).

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Os Estados Unidos são o país mais afetado em termos de mortes e casos, com 597.001 mortes para 33.346.365 casos, segundo o levantamento mais recente realizado pela Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 470.842 mortes e 16.841.408 casos, a Índia com 344.082 óbitos (28.694.879 casos), o México com 228.568 mortes (2.429.631 casos) e o Peru com 185.813 óbitos (1.976.166 casos).

Desde o início da pandemia, o número de testes realizados aumentou substancialmente e as técnicas de rastreamento e despistagem melhoraram, levando a um aumento no número dos contágios declarados.

O número de casos diagnosticados, no entanto, reflete apenas uma fração do total real dos contágios, com uma proporção significativa dos casos menos graves ou assintomáticos não detetados.

Esta avaliação foi realizada com base em dados recolhidos pela AFP junto das autoridades nacionais competentes e informações da Organização Mundial de Saúde.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.