Cientistas acreditam ser possível manter o ar limpo após a pandemia

A restrição na circulação de veículos pesados ​​devido ao confinamento e às medidas para combate da pandemia melhorou a qualidade do ar. Uma equipa de investigadores norte-americanos acredita que será possível manter o ar limpo depois do regresso à normalidade.

Segundo noticiou o Explorist na terça-feira, um estudo desenvolvido por investigadores da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), nos Estados Unidos (EUA), apontou para uma série de estratégias que podem manter a qualidade do ar e reduzir drasticamente as emissões de gases de efeito estufa e a poluição atmosférica até 2050.

“Não é necessário uma pandemia global para criar um ar mais limpo e vidas mais saudáveis. As pessoas beneficiam diretamente da ação climática, a escala local e regional. Os benefícios de saúde pública são imediatos e de longo prazo, e podemos salvar milhares de milhões de dólares a cada ano”, disse Yifang Zhu, um dos autores do estudo e professor da Faculdade de Saúde Pública da UCLA.

Para controlar o aumento global da temperatura de dois graus Celsius até 2100, o Painel Intergovernamental das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas adverte que as emissões causadas por humanos precisam ser reduzidas para quase zero, e quaisquer outras emissões têm que ser capturadas e armazenadas – emissões líquidas zero ou neutralidade de carbono.

Contudo, como lembrou o Explorist, alcançar essa meta a nível global não será uma tarefa fácil, mas é possível na Califórnia. Seguindo essa linha, os cientistas criaram o primeiro roteiro para o estado, através de políticas e tecnologias já existentes.

“Nada do que estamos a sugerir é ficção científica, mas será necessário muito mais do que aquilo que estamos a fazer agora”, referiu o co-autor do estudo, Tony Wang, engenheiro do Conselho de Recursos Aéreos da Califórnia.

Em colaboração com o Instituto Conjunto da UCLA para Ciência e Engenharia do Sistema Terrestre Regional, os investigadores criaram um modelo que analisa as mudanças na qualidade do ar num cenário de emissões líquidas zero. Combinaram depois o modelo com dados epidemiológicos, estimando o impacto de um ar mais limpo na saúde pública.

Os resultados sugerem que quase 14 mil mortes prematuras poderiam ser evitadas a cada ano na Califórnia até 2050.

Os cientistas descobriram também que atingir emissões líquidas zero poderia reduzir os sintomas respiratórios agudos em 8,4 milhões de adultos; diminuir o agravamento da asma em um milhão de crianças; diminuir o número de dias de trabalho perdidos em 1,4 milhões e baixar os internamentos por complicações cardiovasculares em 4.500.

“Ficamos contentes ao constatar que, reduzindo essas emissões, são conseguidos níveis desproporcionalmente mais altos de benefícios da qualidade do ar para as comunidades desfavorecidas”, indicou Yifang Zhu.

E acrescentou: “Diferentemente do que está a acontecer na atual crise de covid-19, atingir emissões líquidas zero após a pandemia beneficiaria a economia”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Espanha sem mortes pelo segundo dia consecutivo. Há 41 mil profissionais de saúde infetados

Espanha registou esta terça-feira o segundo dia consecutivo sem mortes associadas à covid-19, mantendo-se o total 27.127 de óbitos desde o início da pandemia, anunciaram as autoridades de saúde. O ministério da Saúde de Espanha informou …

Petição pela "anulação imediata" do Avante já conta com mais de 16 mil assinaturas

Uma petição online para a "anulação imediata" da Festa do Avante!, a festa anual organizada pelo PCP, conta já com mais de 16 mil assinaturas. Às 10:30 desta quarta-feira, a petição, disponível no portal Petição Pública, …

Venda de Wendel ao Everton sofre revés. Nápoles e Nice entram em jogo

A licença de trabalho pode deitar por terra uma eventual transferência de Wendel para o Everton. O Nápoles é o favorito na corrida à sua contratação, mas o Nice também está atento. As negociações entre o …

Celebrações do 10 de junho só terão oito pessoas. “É como achei que devia ser o 25 de abril e o 1º de maio”

A “cerimónia simbólica” comemorativa do Dia de Portugal que se realizará no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, terá apenas oito presenças, incluindo o chefe de Estado e o presidente desta edição do 10 de Junho, …

O futebol português está de volta. Uma corrida de dois cavalos e a montra para Amorim

A bola volta hoje a rolar em Portugal após a interrupção devido à pandemia de covid-19. Regresso o futebol que tão bem conhecemos, mas de uma forma como nunca vimos antes. Estádios desertos e jogos quase …

Cientistas identificam fóssil do inseto mais antigo do mundo

Um fóssil de um milípede descoberto em 1899 é o inseto mais antigo do mundo, concluiu um novo estudo. O espécime em causa tem 425 milhões de anos. Uma equipa de investigadores da Universidade do Texas …

Jorge Jesus renova com o Flamengo por mais uma época

O treinador português anunciou, esta quarta-feira, que vai ficar mais uma época nos brasileiros do Flamengo, até junho de 2021. "Digam à nação que fico!". É esta a frase que acompanha a fotografia publicada, esta quarta-feira, …

Governo deixa cair lay-off simplificado. Novo apoio vai variar em função da quebra de faturação

O apoio às empresas em lay-off que retomarem a atividade será diferenciado em função da quebra de faturação, com vista a direcionar as ajudas públicas “a quem mais precisa”, afirmou esta terça-feira a ministra do …

Grupo de precários da Casa da Música dispensado de serviço via e-mail "meia hora depois" de uma vigília de protesto

Cerca de 13 trabalhadores "precários" da Casa da Música, no Porto, foram dispensados dos concertos que tinham alocados para o mês de junho. Em declarações à Lusa, Hugo Veludo, um dos 13 assistentes de sala …

Sete detidos em operação na Quinta da Fonte ficam em prisão preventiva

Os sete homens que foram detidos numa operação policial no bairro da Quinta da Fonte, em Loures, na segunda-feira, ficaram em prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa, revelou à agência Lusa a Polícia …