/

Moratória pode trazer alívio mensal médio de 200 euros por família no crédito à habitação

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) vai conceder uma moratória aos seus clientes de crédito à habitação que lhes permitirá, durante seis meses, adiar o pagamento da parte de capital do crédito, suportando apenas juros.

Segundo noticiou o Expresso, essa medida – que está a ser estudada pela banca – poderá ajudar sobretudo famílias que fiquem sujeitas à perda de rendimento por causa da crise económica provocada pela pandemia de Covid-19.

Esse alívio dependerá das condições de crédito de cada família. De acordo com a informação do Instituto Nacional de Estatística (INE), uma eventual moratória sobre o capital permitiria um alívio mensal médio superior a 200 euros por família.

Esta semana, o INE divulgou dados que mostram que, em fevereiro, a prestação média de crédito à habitação em Portugal era de 247 euros por mês, para uma média de capital em dívida de 53.755 euros. A prestação incluía perto de 203 euros de amortização de capital e quase 45 euros de juros.

Se toda a banca seguir esta medida, a adesão a essa moratória permitiria ao cliente ficar a pagar apenas 45 euros de juros, deixando para depois a amortização de capital, em condições a definir com o banco.

 

Na sexta-feira, o Jornal Económico avançou que os bancos se preparam para dar uma moratória no crédito à habitação até ao final do ano, algo que depende do acordo entre todas as partes, incluindo a Associação Portuguesa de Bancos e o Banco de Portugal.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.