Na Argentina, paga-se aos infetados para que aceitem o isolamento social

Juan Ignacio Roncoroni / EPA

O governo da província de Buenos Aires, onde vivem 38% dos argentinos, vai pagar para os doentes de baixos rendimentos, assintomáticos ou com sintomas ligeiros, aceitarem ficar internados em centros alternativos de saúde.

“Nem todos têm as mesmas condições para se isolarem nas suas casas e não se isolam porque sentem que perdem alguma coisa. Por isso, a província vai dar 500 pesos por dia (equivalentes a 6 euros) para compensar e incentivar esse isolamento em albergues”, explicou o governador da Província de Buenos Aires, Axel Kicillof.

O pagamento diário faz parte do programa “Acompanhar” que prevê seduzir, financeiramente, contagiados por coronavírus com sintomas ligeiros.

Para compensar a perda diária de trabalho e para convencer os infetados da importância do isolamento, serão pagos 500 pesos por dia durante um período máximo de dez dias. O valor máximo de 5 mil pesos (equivalentes a 60 euros) representa metade da ajuda financeira mensal que o governo argentino concede aos cidadãos de baixos rendimentos durante a pandemia.

O anúncio do governador aconteceu durante uma visita a um centro de exposições, transformado no maior parque sanitário do país com capacidade para receber duas mil pessoas que terão atendimento médico, contenção psicológica e atividades recreativas.

Para descomprimir a ocupação de leitos da rede de Saúde pública, vários municípios argentinos condicionaram clubes, ginásios e igrejas como espaços para receberem pacientes assintomáticos ou com sintomas leves que não requeiram um internamento hospitalar.

O ginásio desportivo do Clube Português da Grande Buenos Aires no distrito de La Matanza, um dos mais populosos da Argentina, por exemplo, deu lugar a um hospital de campanha com 100 camas.

“Estamos a estender uma mão solidária a quem tem problemas habitacionais. Este centro é para os mais necessitados que não podem isolar-se em casa, mas que não estão graves ao ponto de um internamento hospitalar”, indicou à Lusa Víctor Estanqueiro, presidente do Clube Português da Grande Buenos Aires.

Esses espaços de saúde foram pensados para doentes de baixos rendimentos. Os bairros mais populares são compostos por moradias precárias com espaços reduzidos nos quais convivem várias pessoas de uma mesma família. Essa vulnerabilidade social funciona como um combustível para a propagação do vírus.

Para isso, a província de Buenos Aires criou 19.150 camas extra-hospitalares, mas apenas 10,6% estão ocupadas. Muitos dos contagiados com sintomas ligeiros negam-se ao isolamento ou porque menosprezam a doença e não se cuidam ou porque não podem deixar de trabalhar por necessidade diária de sustento. Assim, põem em risco parentes próximos e a população em geral.

“Um parte significativa dessas instalações está desocupada, mas estamos com mais contágios do que antes”, advertiu o governador de Buenos Aires, Axel Kicillof.

A Argentina tem vivido um aumento de casos e de vítimas nos últimos dias. Só nas últimas 24 horas, foram 5.782 novos casos e 98 mortes, mais de 90% na região metropolitana de Buenos Aires. No total, a quantidade de mortos chega a 2.588.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Checkmate". Rússia apresenta o seu novo jacto de combate revolucionário

O novo jacto é a aposta do governo russo para as exportações e pode vir a ditar o fim da supremacia (aérea e no mercado) do F-35 norte-americano. A Rússia apresentou o protótipo do novo jacto …

"É demasiado tarde". As palavras dos médicos aos doentes com covid-19 que recusaram a vacina

Estados Unidos da América contam com 48.49% da população totalmente vacinada, apesar de o processo ter estagnado nas últimas semanas. Os números de novas infeções crescem, assim como as mortes face ao crescimento galopante da …

"Pingdemic". Há uma nova "pandemia" a causar escassez de comida e combustível no Reino Unido

As medidas de distanciamento social no Reino Unido caíram e, como consequência, centenas de milhares de pessoas estão a ser notificadas para cumprir isolamento. A partir desta segunda-feira o uso de máscara e outras medidas de …

O lago mais improvável de Roma é um refúgio urbano (que impulsiona o ativismo ambiental)

O lago mais improvável de Roma, que nem sequer devia existir, motivou uma luta pela proteção ambiental do local. No anos 90, num local de construção a apenas alguns quilómetros a leste do Coliseu de Roma, …

Afeganistão. EUA lançam ataques aéreos enquanto Talibãs exigem a renúncia do Presidente

Os Estados Unidos (EUA) entraram num confronto pela cidade de Kandahar, realizando ataques aéreos em apoio às forças afegãs, enquanto os Talibãs apelam ao Presidente Ashraf Ghani para renunciar. O porta-voz do Pentágono, John Kirby, avançou …

A primeira casa impressa em 3D no Canadá é inspirada na sequência de Fibonacci

Depois de ter inspirado inúmeros edifícios, a sequência de Fibonacci serviu de musa à empresa de impressão em 3D Twente Additive Manufacturing (TAM), que criou a primeira casa impressa em 3D do Canadá. A Fibonacci House é …

Marcha do Orgulho de Budapeste será um protesto contra as leis anti-LGBTQI, diz organização

A marcha do Orgulho em Budapeste, que ocorrerá no sábado, será "uma celebração, mas também um protesto", disseram os organizadores, enquanto a comunidade LGBTQI húngara se prepara para desafiar a escalada da campanha anti-homossexual do …

PSD propõe máximo de 215 deputados e divisão de grandes círculos eleitorais

O PSD apresentou, esta sexta-feira, a sua proposta para a reforma do sistema eleitoral, que fixa um máximo de 215 deputados, menos 15 do que o total atualmente em vigor. A proposta do PSD para a …

Variante Lambda: o que saber sobre a nova mutação que preocupa as autoridades

Está a ter um foco mais circunscrito à América Latina, mas já houve dois casos desta mutação em Portugal. A OMS está atenta e de momento classifica a Lambda como uma variante de interesse. Foi inicialmente …

PSD força audição de Eduardo Cabrita sobre inquérito da IGAI

O PSD recorreu à figura da audição potestativa a que os partidos têm direito a usar regimentalmente para ouvir membros do Governo e entidades públicas.  O PSD requereu esta sexta-feira a audição parlamentar obrigatória do ministro …