Matemática portuguesa diz que basta 20% da população infetada para atingir imunidade de grupo

Sebastião Moreira / Lusa

A matemática portuguesa Gabriela Gomes sugere que basta que apenas 20% da população fique infetada com o novo coronavírus para atingir a imunidade de grupo.

Vários especialistas sugerem que para atingir a imunidade de grupo é necessário que 70% da população portuguesa fique infetada com o novo coronavírus. Agora, a matemática Gabriela Gomes defende que basta apenas 20% da população para o conseguir. Se, no início da pandemia, mostrava-se algo cética, agora, com a evolução da doença, tem ainda mais confiança nos seus cálculos.

“Os indivíduos não são igualmente suscetíveis, nem estão expostos ao mesmo volume de contactos. Entre as diferentes pessoas não é igual o grau de infecciosidade caso sejam infetadas”, explicou a matemática portuguesa em declarações ao Expresso.

É com base nesta heterogeneidade que o seu modelo oferece uma perspetiva mais otimista, diferenciando-se dos outros cálculos que usam a sigla SEIR – suscetibilidade, pessoas expostas não infecciosas, pessoas já infecciosas e pessoas recuperadas. O modelo adotado pela investigadora da Universidade de Strathclyde, na Escócia, “divide cada um desses grupos em milhares de outros”.

A equipa de Gabriela Gomes limitou-se a aplicar aos dados da covid-19 os modelos cujos princípios foram anteriormente estudados em doenças como a malária, dengue e outras.

“De acordo com as previsões tradicionais, o levantamento das restrições mais duras levaria a uma subida imediata do número de casos, de forma igualmente agressiva, o que não aconteceu”, explicou ao Expresso.

Os dados de maio e junho deram ainda mais certezas à especialista de que o seu modelo, que prevê uma percentagem que é cerca de um terço daquela que os modelos tradicionais estimam, estava correto.

“Com um liminar de imunidade a rondar os 10%, como nós estimamos para Portugal, a infeção já terá pouca força e o risco será baixo. Espera-se que a força de infeção aumente um pouco no inverno, mas esse aumento será sempre proporcional ao número de pessoas que permanecerem suscetíveis. Ou seja, quando mais a suscetibilidade diminuir por infeção natural no verão menores serão os surtos no inverno”, acrescentou.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. A ideia de “Imunidade de Grupo”, em respeito a uma colectividade com alta taxa de idosos, teria efeitos colaterais, que se traduziriam em perca de vidas humanas desnecessárias, além de por em risco todo o sistema de Saúde que seria rapidamente sobrecarregado e impotente em enfrentar a situação. Não só considero esta ideia perigosa como criminosa !

RESPONDER

Sonda passa ao lado de Vénus, tira-lhe uma fotografia e surpreende cientistas da NASA

A imagem obtida pelo Wide-field Imager (WISPR) da Parker Solar Probe foi capturada a 12.380 quilómetros de Vénus. A Parker Solar Probe, da NASA, capturou vistas deslumbrantes de Vénus em julho de 2020. O alvo da …

Cientista descobre espécie extinta de ganso através de uma pintura egípcia

Uma famosa pintura que estava originalmente no túmulo do príncipe egípcio Nefermaat levou um cientista a descobrir uma espécie de ganso já extinta. A cena "gansos de Meidum", originalmente pintada no túmulo do príncipe Nefermaat, encontra-se …

Físico cria algoritmo de IA que pode provar que a realidade é uma simulação

Hong Qin, do Laboratório de Física de Plasma de Princeton (PPPL) do Departamento de Energia dos EUA, criou um algoritmo de Inteligência Artificial que pode provar que a realidade é, na verdade, uma simulação. O algoritmo …

Quase 10 anos depois, avião de Gaddafi continua parado num aeródromo em França

Quase uma década depois de ter aterrado em solo francês, o avião presidencial do ex-ditador líbio continua parado num aeródromo no sul do país, estando no meio de vários processos judiciais que parecem não ter …

Governo recebeu 1.600 ideias para a bazuca. Costa agradece mobilização

Durante a fase de discussão pública, o Plano de Recuperação e Resiliência recebeu mais de 1.600 contribuições e mais de 65 mil consultas. O primeiro-ministro António Costa disse que, durante a fase de discussão pública, …

"Honjok" é o nome do movimento sul-coreano que reivindica a solidão

A solidão tornou-se um tema recorrente devido à pandemia de covid-19. Na Coreia do Sul, existe um movimento chamado "honjok", que promove um estilo de vida solitário. O isolamento imposto pela pandemia de covid-19 está a …

Do subsolo sírio à nomeação ao Óscar: hospitais em tempos de guerra numa "era de impunidade"

The Cave é o nome de uma produção que esteve nomeada para o Óscar de Melhor Documentário de 2020. É também o lugar onde hospitais sírios se escondem para salvar vidas longe de bombardeamentos e …

Patrícia Mamona sagra-se campeã no triplo salto em pista coberta

Esta tarde, Patrícia Mamona tornou-se a terceira atleta portuguesa a garantir a medalha de ouro para Portugal no Campeonato da Europa em pista coberta. A portuguesa Patrícia Mamona conquistou, este domingo, a medalha de ouro na …

Dias de aulas mais longos, férias mais curtas e cinco períodos. Em Inglaterra, já se equacionam formas de recuperar o tempo perdido

Há três medidas em cima de mesa que podem vir a ser adotadas para combater os atrasos na aprendizagem dos alunos. Na Inglaterra, as escolas reabrem para aulas presenciais esta segunda-feira, mas já se pensa …

Índia abre centro de bem-estar para hóspedes abraçarem vacas e "esquecerem todos os problemas"

Animais de conforto e apoio emocional são cada vez mais populares em todo o mundo. Embora a maioria das pessoas use cães ou gatos, há também algumas escolhas mais bizarras, incluindo pavões, macacos e cobras. Os …