Vacinas chinesa e russa ainda sem aprovação. Mas há países que planeiam usá-las de qualquer forma

Embora os esforços da China e da Rússia para desenvolverem uma vacina contra o coronavírus tenham sido vistos inicialmente com ceticismo, uma lista crescente de países espera essas imunizações para diminuir a propagação do vírus.

Segundo um artigo dos jornalistas Emily Rauhala, Eva Dou e Robyn Dixon, publicado no sábado no Washington Post, muita dessa procura tem a ver com escassez, visto que os países ricos reservaram a maioria das primeiras doses das vacinas desenvolvidas pelas farmacêuticas Moderna e Pfizer. Para alguns, a China e a Rússia são as únicas opções.

“A ideia de que os russos e os chineses não são tão bons nisso como nós é apenas o nacionalismo das vacinas”, disse Naor Bar-Zeev, médico infeciologista e epidemiologista, professor na Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health. “Não há razão para pensar que essas vacinas não funcionarão”, disse.

O primeiro-ministro cambojano, Hun Sen, indicou na terça-feira que o seu país não está a encomendar a vacina da chinesa Sinovac porque esta não foi certificada por um organismo global. Já os Emirados Árabes Unidos e o Barém aprovaram, na semana passada, a vacina da chinesa Sinopharm, com uma eficácia de 86%. Em novembro, a farmacêutica pediu a aprovação final dos reguladores.

“Está tudo relacionado com resultados da Fase 3”, disse Jennifer Huang Bouey, investigadora da Rand Corp com foco na China e na Saúde Global. “Não vimos nada ainda”.

De acordo com os três jornalistas, a China está a apostar na melhoria das suas credenciais científicas através da criação de vacinas, aliada a outros esforços para expandir os seus laços políticos e económicos. O país tem agora cinco vacinas em fase final de testes, que estão a decorrer em cerca de doze de países, incluindo o Paquistão, a Turquia, o Egito, a Arábia Saudita, a Indonésia e o Brasil.

A vacina da Sinovac tem causado divisões políticas em países como o Brasil, tendo o apoio do governador de São Paulo, João Doria, e a oposição do Presidente, Jair Bolsonaro, cético em relação ao coronavírus e crítico frequente da China. Um governador brasileiro avançou esta semana que o país planeia comprar 46 milhões de doses da vacina.

A decisão da China em realizar os testes de Fase 3 em todo o mundo ajudou a construir confiança nas vacinas, visto que dessa forma a governos estrangeiros podem supervisionar e observar. A realização dos testes noutros países são úteis devido à história da indústria de vacinas da China. A Sinopharm teve problemas com a qualidade de vacinas, enquanto o CEO da Sinovac admitiu em tribunal ter subornado o regulador chinês no passado.

Doug Mills / POOL / EPA

O vice-Presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, já foi vacinado contra a covid-19

Contudo, a indústria de vacinas da China desenvolveu proficiência técnica ao longo dos anos, em parte devido à transferência de tecnologia e aos cientistas que retornam à China após trabalhar e estudar no exterior.

“Algum ceticismo sobre as vacinas russas e chinesas pode ser justificado, mas descartar automaticamente essas vacinas como ineficazes ou inseguras seria um erro”, apontou Stephen Evans, professor de farmacoepidemiologia dna London School of Hygiene and Tropical Medicine. “Esses países têm cientistas muito bons, incluindo experiência em vacinas e imunologia”, rematou.

A AstraZeneca revelou, a 11 de dezembro, que começaria a trabalhar com o Centro Nacional de Epidemiologia e Microbiologia de Gamaleya, na Rússia – responsável pela vacina Sputnik V – para explorar a combinação de componentes de ambas as vacinas, tendo por base o vírus da gripe comum.

Os responsáveis pela Sputnik V também se ofereceram para partilhar a vacina russa com a francesa Sanofi e a britânica GSK, após estas terem anunciado que a sua vacina seria adiada até o final do próximo ano porque os resultados dos ensaios das Fases 1 e 2 demonstraram uma resposta imunológica baixa em idosos.

De acordo com a última atualização do Fundo Russo de Investimento Direto, a eficácia do Sputnik V na prevenção da infeção é de 91,4% e os que contraírem a doença após a vacinação não terão um sintomas graves. Até agora, 20 mil pessoas receberam ambas as doses da vacina na Fase 3 dos testes.

Na semana passada, o ministro da Saúde turco, Fahrettin Koca, indicou que a Turquia tinha abandonado os planos de encomendar a vacina russa. No mesmo dia, voltou atrás nas declarações, referindo que o país “não tem problema em adquirir a vacina produzida da Rússia” se os testes forem “bem-sucedidos”.

O primeiro-ministro russo, Mikhail Mishustin, disse na semana passada que esperava uma “demanda explosiva” no exterior.

Taísa Pagno //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Stonehenge pode perder estatuto de património mundial da UNESCO

Depois de Liverpool, também Stonehenge pode perder o estatuto de património mundial da UNESCO. O aviso surge após o secretário dos transportes, Grant Shapps, ter dado luz verde aos planos de construção de um túnel …

Mais 20 mortes e 3396 casos de covid-19. Não havia tantos óbitos desde março

Portugal registou, este sábado, mais 20 mortes e 3396 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3396 novos …

"Integral confiança". Chega segura militantes acusados de agredir homossexual

O Chega anunciou, esta sexta-feira, que mantém "integral confiança" nos candidatos e estruturas local e distrital de Viseu, referindo que só se pronunciará sobre alegadas agressões de motivação homofóbica naquela cidade depois de apurados os …

Há dezenas de autarcas envolvidos em processos sem fim à vista

Dezenas de autarcas foram neste mandato acusados por corrupção, negócios imobiliários duvidosos e abuso de poder, entre outros, em processos judiciais que se arrastam, na maioria, sem desfecho à vista a dois meses de novas …

Milhares de pessoas manifestam-se na Austrália contra o confinamento

Milhares de australianos manifestaram-se, este sábado, em várias cidades do país contra as restrições impostas pelo Governo para controlar o aumento de casos de covid-19. Em Sidney, cerca de mil manifestantes protestaram contra o confinamento decretado …

Há 406 farmácias com testes comparticipados pelo Estado

Há 406 farmácias de 104 laboratórios em Portugal continental com testes comparticipados pelo Estado. Saiba quais. O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) atualizou recentemente a lista das farmácias e laboratórios que disponibilizam testes …

Há 33 cursos com emprego garantido. Abandono no Ensino Superior aumentou

Este ano, há 30 licenciaturas e três mestrados integrados sem recém-diplomados inscritos no Instituto de Emprego e Formação Profissional. Segundo o Observador, o número total (33) é inferior ao de 2020 e de 2019, quando foram …

Chegada de emigrantes obriga autarcas do Interior a apertar as regras

Os autarcas do Interior do país, sobretudo de regiões onde a variante Delta ainda não se impôs e o número de novos casos de covid-19 não limita o quotidiano das populações, estão preocupados com o …

Jovens com menos de 20 anos vacinados numa "happy hour" em Lisboa

Alguns jovens com menos de 20 anos foram vacinados no centro de vacinação do Altice Arena, em Lisboa, depois de terem sido informados que havia "sobras". Task force já negou essa explicação. A situação foi denunciada, …

John Textor diz que reação da SAD do Benfica é "cómica"

O empresário norte-americano que chegou a acordo com o "rei dos frangos" para comprar 25% da Benfica SAD considera que a reação à sua aproximação é "cómica". Este mês, a Benfica SAD comunicou à Comissão de …