Lar em Matosinhos acusado de impedir contacto de idosos com familiares

O lar em Matosinhos, com quem vários familiares dizem não conseguir entrar em contacto há várias semanas, diz ter falta de recursos, mas recusa negligência.

O jornal Público dá conta, esta quarta-feira, do caso de uma familiar de um utente do Lar do Comércio, em Matosinhos, que não conseguia contactar a instituição desde 5 de abril. Dirigindo-se ao local, esperou uma hora para falar com uma enfermeira. No dia seguinte, soube que o idoso estava infetado, depois de conhecido o resultado do teste.

Tal como escreve o diário, este não é um caso isolado. A instituição, com 240 residentes, tem sido confrontada por dezenas de familiares que não sabem o que se passa dentro de portas e que relatam casos de negligência.

Os trabalhadores do lar, por seu turno, também admitem que o plano de contingência nunca foi cumprido e reclamam ter trabalhado semanas sem qualquer proteção.

É uma desgraça anunciada. Se ninguém puser a mão no Lar do Comércio vai haver muitas mortes. O próprio delegado de saúde quando foi lá disse ‘isto está tudo mal. É uma bomba relógio'”, afirma uma das funcionárias ao jornal, que acrescenta que a instituição já tem pelo menos três óbitos por suspeita de covid-19.

Nas poucas vezes em que fala com os familiares, a funcionária é obrigada a dizer que tudo está bem, caso contrário, “somos ameaçadas com processos”, conta ao matutino. “Estamos cansadas, mas precisamos de trabalhar. Estamos de mãos atadas. Por isso gritamos por ajuda anonimamente”.

Esta terça-feira, num comunicado de resposta a uma reportagem do Porto Canal, o Lar do Comércio defendeu-se das acusações e diz estar a ser alvo de “notícias difamatórias e falsas”.

A instituição diz estar a trabalhar com “recursos humanos escassos”, uma vez que mais de 60 funcionários estarão em casa infetados ou à espera do resultado dos testes. Relativamente ao material de proteção, o lar diz que “não existe em quantidades elevadas” e, por isso, é necessário uma “gestão eficaz” do mesmo.

Sobre a falta de comunicação com os familiares, o lar defende-se, considerando que “receber pedidos de informações diários e constantes torna-se, na maioria dos momentos, incompatível com a árdua tarefa de cuidar de tantas pessoas, tão dependentes, ao mesmo tempo que tantas outras exigências são impostas, a cada minuto”.

Em declarações ao jornal, a Câmara de Matosinhos referiu que foram entregues no Lar do Comércio “500 máscaras cirúrgicas, 100 máscaras FFP2, 40 viseiras e cinco litros de álcool gel”, tendo disponibilizado ainda “serviços de limpeza para as suas viaturas e líquidos desinfetantes para superfícies interiores e exteriores e líquidos para higiene pessoal”.

A autarquia também já conseguiu, através da sua unidade de rastreio móvel, testar 180 utentes e 40 funcionários, sendo que o processo vai continuar esta quarta-feira.

De acordo com o Público, o lar já estava referenciado por outras situações, mesmo antes da pandemia de covid-19. No ano passado, uma queixa da Ordem dos Enfermeiros levou a Segurança Social a visitar o espaço e as queixas acabaram no Ministério Público.

O Instituto de Segurança Social está a investigar o lar por suspeitas de “pagamento como critério de admissão de utentes” e de “vantagem patrimonial indevida” e o departamento de investigação e ação penal também tem inquéritos a decorrer, em segredo de justiça.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Redes sociais apertam Trump. Facebook elimina publicação, Twitter deixa ultimato

A rede social Facebook apagou esta quarta-feira, pela primeira vez, uma publicação do Presidente norte-americano, Donald Trump, alegando que em causa estava um conteúdo com afirmações falsas sobre a covid-19. Em causa está um vídeo …

Morreu a atriz e encenadora Fernanda Lapa

A atriz e encenadora faleceu, esta quinta-feira, aos 77 anos, em Cascais, onde estava hospitalizada, anunciou a Escola de Mulheres, companhia que dirigiu desde a sua fundação. "É com profundo pesar e imensa tristeza que a …

PJ acredita ter detido homem que ateou fogo que matou animais em canil de Santo Tirso

A Polícia Judiciária (PJ) está "convencida" de que o autor do fogo que teve origem em Valongo e se estendeu a Santo Tirso, onde dezenas de animais morreram, é um eletricista que foi esta quarta-feira …

O nosso cabelo sabe o que comemos, onde moramos e quanto custou o corte

Milímetro a milímetro, o cabelo constrói um registo da nossa dieta. Como os fios de cabelo são construídos a partir de aminoácidos, preservam os traços químicos da proteína da comida que ingerimos. Os fios de cabelo …

Não foram meteoros. Uma forte atividade vulcânica arrefeceu a Terra há 13 mil anos

Porque é que a Terra arrefeceu repentinamente há 13 mil anos? Sedimentos antigos encontrados numa caverna no Texas, nos Estados Unidos, parecem ter resolvido este grande mistério. Alguns cientistas acreditam que o fenómeno que arrefeceu repentinamente …

Novo método prevê erupções solares com algumas horas de antecedência

Um novo método capaz de prever explosões solares poderia ajudar a Humanidade a preparar-se contra possíveis desastres causados por este fenómeno explosivo da nossa estrela. As erupções solares são explosões que ocorrem na superfície do Sol …

Mulan a preço premium estreia na Disney+ em setembro

A adaptação live-action de Mulan tem nova data de estreia. O anúncio foi feito pela Disney nesta terça-feira (4). O filme chega à plataforma de streaming Disney+ no dia 4 de setembro, estando disponível em …

Belgas trocam as voltas à pandemia e passam férias nas árvores

Enquanto uns passam o verão em casa, outros atrevem-se a ter uma experiência diferente. Alguns belgas estão a passar as noites de verão pendurados em árvores, em tendas em forma de lágrima. A pandemia de covid-19 …

Máscara inteligente traduz até oito línguas (mas não protege do coronavírus)

Esta máscara inteligente, criada por uma empresa japonesa, consegue traduzir o discurso do seu utilizador em várias línguas (mas, por si só, não o protege do novo coronavírus). Quando a pandemia de covid-19 transformou as máscaras …

Empresa fica com excedente de 40 mil quilos de frutos secos devido à covid-19

A GNS Foods, a empresa que nos últimos 30 anos forneceu os frutos secos à American Airlines, ficou com um excedente de 40 mil quilos por causa de restrições impostas devido à covid-19. Servir frutos secos …