OMS recomenda testes a doentes que tiveram pneumonia em 2019. Caso francês em dezembro era covid-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aconselhou os países que têm amostras de pacientes com suspeita de pneumonia até ao final de 2019 a analisá-las para identificar possíveis casos de covid-19.

Christian Lindmeier, porta-voz da OMS, afirmou que esses casos, anteriores à data em que a China relatou os primeiros casos da doença, podem facultar informação importante no estudo do vírus.

“Seria de grande importância que todos os países com casos não especificados de pneumonia em dezembro, ou mesmo em novembro, realizassem testes, e alguns já o fazem”, disse o porta-voz.

Esta posição da organização surge depois de relatórios médicos da França e dos Estados Unidos terem identificado possíveis casos de covid-19 nesses países desde dezembro.

“Esses casos fornecem uma visão mais clara da pandemia”, sublinhou Lindmeier, que considerou essencial que esse tipo de estudos tenha continuidade de forma a “entender melhor o potencial de contágio da covid-19”.

O porta-voz explicou ainda que não seria estranho o coronavírus estar fora da China em data tão precoce, “uma vez que os primeiros casos da doença datam do início de dezembro e é possível que alguns dos infetados tenham viajado de Wuhan para outros países”.

Médicos franceses acreditam que o coronavírus já estava ativo na França no final de dezembro, depois de terem diagnosticado retrospetivamente um doente que, a 27 de dezembro, esteve internado num hospital de Paris. O homem, que não tinha feito quaisquer viagens que levassem a desconfiar que tivesse sido infetado fora do país, esteve doente durante 15 dias e infetou os seus dois filhos, mas não a sua mulher.

  ZAP // Lusa

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.