Um em cada cinco jovens perdeu o emprego com a pandemia

 

Um em cada cinco jovens deixou de trabalhar desde o início da pandemia de covid-19 e os que mantiveram o emprego viram o seu horário de trabalho reduzido em 23%, afirmou hoje a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

De acordo com a 4.ª edição do Observatório OIT/Covid, que monitoriza os efeitos da pandemia no mundo laboral, os jovens são os que estão a ser mais afetados pela pandemia e “o aumento considerável e rápido do desemprego jovem”, verificado desde fevereiro, está a atingir mais as mulheres do que os homens.

“A pandemia está a causar um triplo choque na população jovem. Não só está a destruir o seu emprego, como a perturbar os estudos e a formação, e a colocar grandes obstáculos a quem procura entrar no mercado de trabalho ou mudar de emprego”, referiu o relatório hoje apresentado em Genebra, Suíça.

Segundo o documento, a nível global, cerca de 267 milhões de jovens não estão nem a trabalhar, nem a estudar ou a frequentar qualquer tipo de formação.

O relatório salientou que o desemprego jovem era já mais elevado do que a de qualquer outro grupo, com uma taxa de desemprego de 13,6% em 2019.

A 4.ª edição deste observatório da OIT defendeu a necessidade de respostas políticas “urgentes, de grande envergadura e direcionadas para apoiar a população jovem”, incluindo programas de garantia de emprego/formação nos países desenvolvidos, e programas e garantias de emprego intensivo nas economias de baixo e médio rendimentos.

Esta nova edição analisou ainda as medidas para criar um ambiente seguro para o regresso ao trabalho.

Segundo o documento, “testes rigorosos e o rastreio das infeções por covid-19 estão fortemente relacionados com uma menor perturbação do mercado de trabalho” e com menores perturbações sociais do que as resultantes das medidas de confinamento.

De acordo com o relatório, em países com uma forte capacidade de realização de testes e rastreabilidade, a diminuição média do horário de trabalho é reduzida em 50% porque os testes minoram “o recurso a medidas rigorosas de confinamento, promovem a confiança do público, incentivando o consumo e apoiando o emprego, e ajudam a minimizar as perturbações de funcionamento no local de trabalho”.

O custo dos testes é um fator a considerar, mas a relação custo-benefício “é altamente favorável”, segundo a OIT.

A 4.ª edição do Observatório OIT/Covid atualizou ainda as estimativas quanto à perda de horas de trabalho devido à pandemia no primeiro e segundo trimestres de 2020 em comparação com o quarto trimestre de 2019.

A OIT estimou que foram perdidas 4,8% das horas de trabalho durante o primeiro trimestre de 2020, o equivalente a cerca de 135 milhões de empregos a tempo completo. O número estimado de postos de trabalho perdidos no segundo trimestre mantém-se nos 305 milhões.

O observatório reiterou o seu apelo para a criação de medidas imediatas e urgentes de apoio aos trabalhadores e às empresas para estimular a economia e o emprego.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Então e se uma pessoa tiver tido Covid? Vai para o CV? Para SE estiver no escritório do call center começar tudo a olhar? A discriminar? Rico serviço, o da Nova Ordem mundial. Esses banqueiros e bilionários deviam ser forçados a pagar isto.

RESPONDER

"Tão lentamente quanto humanamente possível". Site simula como era usar a Internet nos anos 90

Se é jovem e gostaria de experimentar as velocidades lentas da Internet dos anos 90, está com sorte. Um novo site simula a experiência dolorosa à qual já não estamos habituados com as redes atuais. Nos …

Novembro vai ser “muito duro e muito exigente” (e fechar escolas seria uma "grande falta de respeito")

O primeiro-ministro, António Costa, avisou hoje que “convém não criar falsas expectativas”, porque novembro vai ser “muito duro e muito exigente”, sendo maior a probabilidade de, daqui a 15 dias, acrescentar mais concelhos à lista …

O Torsus Praetorian é o autocarro mais radical de sempre (e não permite faltas à escola)

Cheias, árvores caídas ou tempestades. Há muitas razões para faltar à escola ou, neste caso, haviam. É que a Torsus lançou um novo autocarro capaz de enfrentar todos os obstáculos e transportar as crianças até …

Spot, o cão-robô, visitou Chernobyl (e analisou os seus níveis de radiação)

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Bristol visitou a Central Nuclear de Chernobyl na semana passada para testar Spot, um robô de quatro patas feito pela empresa norte-americana Boston Dynamics. O Spot é o robô …

Sangue de porco é mais proteico do que qualquer proteína do mercado (e pode ser consumido em smoothies)

Uma equipa de investigadores do departamento de ciência alimentar da Universidade de Copenhaga desenvolveu um método para extrair proteínas do sangue de porco. O resultado é um pó fino, branco, com sabor neutro e com …

Costa anuncia cinco medidas restritivas para 121 concelhos "de elevado risco" e reforços da capacidade de resposta

Após um Conselho de Ministros extraordinário que durou mais de 8 horas, o primeiro-ministro anunciou este sábado novas "medidas imediatas" de combate à pandemia de covid-19. Concelhos "de elevado risco" estão sujeitos a medidas restritivas, …

Escola na China transformou-se num "edifício andante" para evitar a demolição

Os residentes da cidade chinesa de Xangai que, no início deste mês, passaram pelo distrito de Huangpu podem ter encontrado uma visão incomum: um "edifício andante". De acordo com a cadeia de televisão CNN, uma escola primária …

Joke Boon, a chef holandesa que não tem olfato nem paladar

Joke Boon perdeu o paladar e o olfato quando ainda era criança, mas isso não a impediu de viver da culinária, área na qual estes requisitos são, à partida, essenciais.  "Como seria a minha vida se …

Portugal com mais 39 mortos, mais 4007 casos e recorde de internamentos graves

Portugal registou hoje 39 mortos e mais 4.007 casos de novas infeções pelo novo coronavírus, tendo alcançado um novo recorde de 286 doentes internados nos cuidados intensivos por covid-19, segundo a Direção-Geral da Saúde. Registou-se este …

Leiloada carta de Nobel antissemita a desprezar Einstein e os judeus

Uma carta escrita em 1927 pelo Prémio Nobel Philipp Lenard a um colega a reclamar das conquistas de Einstein e do suposto domínio judaico da ciência foi a leilão no Nate D. Sanders Auctions, em …