Tancos. António Costa faz novo depoimento por escrito

Paulo Cunha / Lusa

O primeiro-ministro António Costa vai voltar a prestar depoimento por escrito na fase de julgamento do caso Tancos, que arranca a 2 de novembro. 

De acordo com o Observador, o Tribunal de Santarém, onde o julgamento do caso Tancos arranca a 2 de novembro, pediu esta terça-feira que o Conselho de Estado autorize o primeiro-ministro a testemunhar por escrito, à semelhança daquilo que sucedeu durante a fase de instrução.

Após ter sido acusado pelo Ministério Público (MP), Azeredo Lopes, ex-ministro da Defesa, chamou António Costa como testemunha de defesa, o que deu origem a um conflito com o juiz Carlos Alexandre.

O magistrado insistiu na importância de ouvir presencialmente o primeiro-ministro António Costa, mas o governante acabou por ser interrogado por escrito depois de o Conselho de Estado não ter autorizado o primeiro-ministro a fazê-lo presencialmente.

Costa respondeu por escrito às 100 perguntas formuladas pelo juiz que dirige a fase de instrução do processo sobre o furto e a recuperação das armas dos paióis de Tancos. Em 100 perguntas, o primeiro-ministro respondeu com “não” a 32. “Considero que o professor doutor Azeredo Lopes sempre desempenhou com lealdade as funções de ministro da Defesa Nacional”, garantiu.

O processo de Tancos tem 23 acusados, incluindo o ex-ministro da Defesa, o diretor nacional da Polícia Judiciária Militar (PJM) Luís Vieira, o ex-porta-voz da PJM Vasco Brazão e o ex-fuzileiro João Paulino, que segundo o Ministério Público foi o mentor do furto, os quais respondem por um conjunto de crimes que vão desde terrorismo, associação criminosa, denegação de justiça e prevaricação até falsificação de documentos, tráfico de influência, abuso de poder, recetação e detenção de arma proibida.

Nove dos arguidos são acusados de planear e executar o furto do material militar dos paióis nacionais e os restantes 14, entre os quais Azeredo Lopes, que se demitiu do cargo político no seguimento do processo, e os dois elementos da PJM, da encenação que esteve na base da recuperação do equipamento.

O Ministério Público (MP) tinha pedido que todos os arguidos fossem a julgamento nos exatos termos em que foram acusados e o juiz concordou.

Por sua vez, a defesa do antigo ministro da Defesa considerou que a acusação do Ministério Público era um caso político e um “exercício de ficção”.

O caso do furto das armas foi divulgado pelo Exército em 29 de junho de 2017 com a indicação de que ocorrera no dia anterior, tendo a alegada recuperação do material de guerra furtado ocorrido na região da Chamusca, Santarém, em outubro de 2017, numa operação que envolveu a PJM, em colaboração com elementos da GNR de Loulé.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

BdP prevê taxa de desemprego de 7,2% e crescimento económico de 4,8%

O Banco de Portugal (BdP) prevê que a taxa de desemprego atinja 7,2% em 2021, recuando para 7,1% em 2022 e 6,8% em 2023, e que o emprego cresça 1,3% este ano. No Boletim Económico de …

Finlândia 0-1 Rússia | Miranchuk recoloca russos na corrida

A anfitriã Rússia conseguiu hoje uma determinante vitória na luta pelo apuramento para os oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao bater a Finlândia por 1-0, em São Petersburgo. No primeiro jogo da segunda jornada …

Nove militares da GNR acusados de tortura

O Ministério Público (MP) do Porto acusou nove militares da GNR dos crimes de tortura e outros tratamentos cruéis, degradantes ou desumanos e sequestro agravado. O Ministério Público (MP) do Porto acusou nove militares da GNR, …

Costa garante que Lisboa terá o mesmo tratamento que os outros concelhos

Esta quarta-feira, num dia em que Portugal registou 1.350 novos casos ( 928 dos quais na região de Lisboa e Vale do Tejo), o primeiro-ministro afirmou que a capital terá o mesmo tratamento que os …

Salgado disposto a pagar à massa falida do GES para ficar isento de cumprir pena

Ricardo Salgado está disposto a pagar à massa falida do GES para ser dispensado de cumprir pena no processo que o irá julgar por três crimes de abuso de confiança, segundo a contestação da defesa …

PJ detém 12 pessoas por suspeitas de corrupção na Câmara de Loures

Entre os detidos pela Polícia Judiciária (PJ) estão dois empreiteiros, um arquiteto, um empresário ligado a uma obra particular e oito fiscais. Através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção e no âmbito de inquérito dirigido …

Casos disparam: 1350 novas infeções e seis óbitos

Nas últimas 24 horas, houve 1.350 novos casos positivos de covid-19 e morreram seis pessoas, segundo os dados do boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). Portugal registou 1.350 novos casos e seis óbitos por covid-19 …

Parlamento vai ouvir Medina e ministro dos Negócios Estrangeiros

Fernando Medina e Augusto Santos Silva vão ser ouvidos no Parlamento sobre o caso da partilha de dados pessoais de ativistas russos. O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, e o ministro dos Negócios …

Mudanças na lei laboral podem prejudicar a retoma, avisa Centeno

É crucial para a retoma que haja "estabilidade e previsibilidade na legislação laboral", de forma a estimular o investimento empresarial e o crescimento económico, afirmou esta quarta-feira o governador do Banco de Portugal (BdP), Mário …

Costa, Von der Leyen na Cimeira Social no Porto

Von der Leyen dá luz verde ao Plano de Recuperação e Resiliência português. E "não é por acaso"

O primeiro-ministro, António Costa, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciaram esta quarta-feira que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) foi aprovado por Bruxelas.  A presidente da Comissão Europeia, Ursula von …