Santos Silva rejeita apoio do PS a Ana Gomes. Polémica com embaixador “ultrapassada”

António Cotrim / Lusa

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva

Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, falou, em entrevista à TVI24 esta terça-feira, sobre a aprovação do Orçamento de Estado para 2021 e as eleições presidenciais e desvalorizou a polémica com o embaixador dos Estados Unidos em Portugal.

Em entrevista à TVI24 esta terça-feira, Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, garantiu que o PCP “não está fora da discussão” do próximo Orçamento do Estado (OE2021). “O próprio partido já o disse publicamente e o Governo continua a trabalhar com o PCP, tal como trabalha com os restantes partidos da esquerda”, disse.

Santos Silva disse ainda estar confiante quanto à aprovação do Orçamento. “Acredito que há todas as condições para que a aprovação do OE ocorra […] Creio que que há condições, mas há também a necessidade de o país manter esta vantagem que é a estabilidade.”

“Todos nós temos noção da dimensão da crise e da necessidade da estabilidade”, afirmou.

Questionado sobre a suposta pressão de Marcelo sobre o líder do PSD, Rui Rio — este pode ser o único eventual parceiro do Governo capaz de evitar uma crise política se o Orçamento não for aprovado à esquerda —, o ministro considerou as preocupações de Marcelo “naturais”.

“O Presidente da República tem dito que não podemos somar uma crise política à económica e que todos devemos assumir as nossas responsabilidades. Todos temos responsabilidade de contribuir e de olhar para este momento e medir bem os passos”. “Uns contribuem na oposição, outros na maioria”, afirmou.

Ana Gomes e as presidenciais

Sobre as eleições presidenciais de 2021, o ministro dos Negócios Estrangeiros considerou que Ana Gomes não deveria contar com o apoio do Partido Socialista (PS) nas próximas eleições presidenciais.

“Se Ana Gomes é uma boa candidata? Sim, enriquece o debate democrático. Se é uma boa candidata para ter o apoio do Partido Socialista? Na minha opinião, não“, disse o ministro.

Para Santos Silva, o apoio dos socialistas a um candidato na corrida a Belém deve ser definido em “quatro critérios muito simples”.

Em primeiro lugar, segundo o ministro, deve ser realizada uma avaliação do mandato do atual Presidente da República. Posteriormente, o partido deverá refletir sobre “o entendimento” que tem de um possível segundo mandato. O terceiro critério prende-se com “o entendimento que este terá da projeção do Presidente da República como um garante do espaço democrático e da vida institucional em Portugal”. Por último, é necessário ter em conta “a consonância do PS com o seu próprio eleitorado”.

Assim, o ministro dos Negócios Estrangeiros defendeu que, nas eleições presidenciais, os extremismos não devem ser combatidos com extremismos e deixou claro que espera “pessoalmente” uma recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa.

Declarações do embaixador dos EUA “ultrapassadas”

Santos Silva voltou a falar do facto de George Glass, embaixador dos Estados Unidos em Portugal, ter dito, em declarações ao semanário Expresso, que “Portugal tem de escolher agora entre os aliados e os chineses”.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, na altura, respondeu que “quem toma as decisões é Portugal”. No entanto, agora, Santos Silva garante que o tema foi “ultrapassado”. “São circunstâncias completamente ultrapassadas”, afirmou. “Trabalhamos com a proximidade que os aliados trabalham”.

Questionado sobre a possibilidade de as declarações do embaixador norte-americano serem uma ingerência nos assuntos internos de Portugal, o ministro dos Negócios Estrangeiros respondeu negativamente, recordando a “profunda amizade que liga os dois países” e a sua “colaboração íntima” – “no plano bilateral, seja em organizações multilaterais”.

Em relação à exclusão de Portugal dos corredores aéreos de vários países, Santos Silva admitiu: “É evidente que a responsabilidade política é minha”. Porém, não considera, ainda assim, que tenha havido uma falha por parte dos diplomatas portugueses.

Sobre a exclusão dos corredores do Reino Unido, Santo Silva considera que “o país assumiu um método que é errado. Entendeu que se evitasse a entrada de pessoas estaria a salvo, o que não veio a acontecer”.

Relativamente ao novo pacto para as migrações, que prevê que os Estados-membros da União Europeia possam escolher se recebem ou não pessoas – recebendo 10 mil euros por cada adulto -, o ministro referiu que se trata “de uma boa base de trabalho”, embora a considere insuficiente “para se chegar a um compromisso”.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. É totalmente incapaz de uma tomada clara de posição sobre o que quer que seja. O mundo e Portugal em particular não precisa mais de pessoas demagogas e de ambiguidade na política.

    “O PCP não está fora da discussão”; “o PSD poderá ser o único parceiro político”; Apoio do PS a Ana Gomes: “na minha *opinião*, não”; os EUA exigem “Ou nós ou a China”. Resposta dele: “Trabalhamos com a proximidade que os aliados trabalham” -qual é essa proximidade? Grande? Pequena? Total? Exclusiva? Não se pode trabalhar com a China e manter “proximidade aos aliados”?

    Enfim, tudo vago! Tem de ser claro e de se ter palavra. Políticos como Ventura são claros mas não cumprem a palavra nem praticam o que apregoam. Políticos como Santos Silva são ambíguos para nunca se poder dizer que não fazem o que apregoam. Nem uma nem outra posição serve mais.

RESPONDER

Planeta Terra passa a ter (oficialmente) cinco oceanos

A National Geographic Society fez o primeiro mapeamento dos oceanos em mais de 100 anos e, desta vez, reconhece que a Terra possui cinco oceanos. Definir as fronteiras dos oceanos da Terra não é uma tarefa …

O misterioso escurecimento da Betelgeuse foi oficialmente desvendado

A causa da misteriosa perda de brilho da estrela foi causada por uma nuvem gigante de poeira, expelida pela própria supergigante vermelha. O "Grande Escurecimento da Betelgeuse", como passou a ser conhecido, foi um fenómeno que …

Entre cursos de água e "kahns", a Alemanha ainda alberga uma minoria étnica de língua eslava

As nações europeias nasceram e desvaneceram ao longo do tempo, mas há uma minoria étnica de língua eslava que permanece dentro da Alemanha. Lehde é uma pacata vila, com cerca 150 habitantes, de ilhas pantanosas interligadas …

Itália 3-0 Suíça | Squadra Azzurra volta a ganhar e a encantar

A Itália tornou-se hoje a primeira seleção a garantir o apuramento para os oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao vencer a Suíça por 3-0, em encontro da segunda jornada do Grupo A, disputado …

Sony apresenta o seu primeiro drone, o Airpeak S1

Há algum tempo que a Sony planeava lançar um drone, agora, é oficial. A empresa de tecnologia apresentou um drone chamado Airpeak S1 que será, muito provavelmente, o primeiro de muitos. A Sony anunciou oficialmente o …

Candidaturas a astronauta da Agência Espacial Europeia encerram na sexta-feira

Os candidatos têm de ter, pelo menos, um mestrado e experiência profissional, serem fluentes em inglês e ter mais de 1,30 metros.  O prazo para apresentação de candidaturas a vagas para novos astronautas da Agência Espacial …

Dois meses no escuro. Valentina Miozzo passou a quarentena sozinha no Ártico

A pandemia de covid-19 foi um duro golpe de solidão forçada para a maioria das pessoas, mas para a italiana Valentina Miozzo foi a oportunidade perfeita para usufruir de alguns momentos a sós. A meio da …

Pedras misteriosas provocam "corrida aos diamantes" na África do Sul

Uma verdadeira "febre de diamantes" assolou a vila de KwaHlathi, na província de KwaZulu-Natal, litoral da África do Sul. Centenas de pessoas, com utensílios caseiros a servir de engenhos de mineração, ocuparam um terreno à …

Designer cria um "terceiro olho" para quem vive agarrado ao telemóvel

Um designer industrial sul-coreano criou, recentemente, um “terceiro olho” para ajudar aqueles que, mesmo em andamento, não conseguem tirar os olhos do telemóvel. O designer industrial Minwook Paeng criou recentemente o The Third Eye ('terceiro olho' …

Depois de Ronaldo e da Coca Cola, Pogba imitou-o com a Heineken (e a UEFA podia castigar Portugal e França)

Após Cristiano Ronaldo ter removido duas garrafas de Coca Cola da mesa onde se sentou para uma conferência de imprensa no Euro 2020, foi a vez do francês Paul Pogba ter feito o mesmo com …