Santos Silva rejeita apoio do PS a Ana Gomes. Polémica com embaixador “ultrapassada”

António Cotrim / Lusa

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva

Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, falou, em entrevista à TVI24 esta terça-feira, sobre a aprovação do Orçamento de Estado para 2021 e as eleições presidenciais e desvalorizou a polémica com o embaixador dos Estados Unidos em Portugal.

Em entrevista à TVI24 esta terça-feira, Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, garantiu que o PCP “não está fora da discussão” do próximo Orçamento do Estado (OE2021). “O próprio partido já o disse publicamente e o Governo continua a trabalhar com o PCP, tal como trabalha com os restantes partidos da esquerda”, disse.

Santos Silva disse ainda estar confiante quanto à aprovação do Orçamento. “Acredito que há todas as condições para que a aprovação do OE ocorra […] Creio que que há condições, mas há também a necessidade de o país manter esta vantagem que é a estabilidade.”

“Todos nós temos noção da dimensão da crise e da necessidade da estabilidade”, afirmou.

Questionado sobre a suposta pressão de Marcelo sobre o líder do PSD, Rui Rio — este pode ser o único eventual parceiro do Governo capaz de evitar uma crise política se o Orçamento não for aprovado à esquerda —, o ministro considerou as preocupações de Marcelo “naturais”.

“O Presidente da República tem dito que não podemos somar uma crise política à económica e que todos devemos assumir as nossas responsabilidades. Todos temos responsabilidade de contribuir e de olhar para este momento e medir bem os passos”. “Uns contribuem na oposição, outros na maioria”, afirmou.

Ana Gomes e as presidenciais

Sobre as eleições presidenciais de 2021, o ministro dos Negócios Estrangeiros considerou que Ana Gomes não deveria contar com o apoio do Partido Socialista (PS) nas próximas eleições presidenciais.

“Se Ana Gomes é uma boa candidata? Sim, enriquece o debate democrático. Se é uma boa candidata para ter o apoio do Partido Socialista? Na minha opinião, não“, disse o ministro.

Para Santos Silva, o apoio dos socialistas a um candidato na corrida a Belém deve ser definido em “quatro critérios muito simples”.

Em primeiro lugar, segundo o ministro, deve ser realizada uma avaliação do mandato do atual Presidente da República. Posteriormente, o partido deverá refletir sobre “o entendimento” que tem de um possível segundo mandato. O terceiro critério prende-se com “o entendimento que este terá da projeção do Presidente da República como um garante do espaço democrático e da vida institucional em Portugal”. Por último, é necessário ter em conta “a consonância do PS com o seu próprio eleitorado”.

Assim, o ministro dos Negócios Estrangeiros defendeu que, nas eleições presidenciais, os extremismos não devem ser combatidos com extremismos e deixou claro que espera “pessoalmente” uma recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa.

Declarações do embaixador dos EUA “ultrapassadas”

Santos Silva voltou a falar do facto de George Glass, embaixador dos Estados Unidos em Portugal, ter dito, em declarações ao semanário Expresso, que “Portugal tem de escolher agora entre os aliados e os chineses”.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, na altura, respondeu que “quem toma as decisões é Portugal”. No entanto, agora, Santos Silva garante que o tema foi “ultrapassado”. “São circunstâncias completamente ultrapassadas”, afirmou. “Trabalhamos com a proximidade que os aliados trabalham”.

Questionado sobre a possibilidade de as declarações do embaixador norte-americano serem uma ingerência nos assuntos internos de Portugal, o ministro dos Negócios Estrangeiros respondeu negativamente, recordando a “profunda amizade que liga os dois países” e a sua “colaboração íntima” – “no plano bilateral, seja em organizações multilaterais”.

Em relação à exclusão de Portugal dos corredores aéreos de vários países, Santos Silva admitiu: “É evidente que a responsabilidade política é minha”. Porém, não considera, ainda assim, que tenha havido uma falha por parte dos diplomatas portugueses.

Sobre a exclusão dos corredores do Reino Unido, Santo Silva considera que “o país assumiu um método que é errado. Entendeu que se evitasse a entrada de pessoas estaria a salvo, o que não veio a acontecer”.

Relativamente ao novo pacto para as migrações, que prevê que os Estados-membros da União Europeia possam escolher se recebem ou não pessoas – recebendo 10 mil euros por cada adulto -, o ministro referiu que se trata “de uma boa base de trabalho”, embora a considere insuficiente “para se chegar a um compromisso”.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. É totalmente incapaz de uma tomada clara de posição sobre o que quer que seja. O mundo e Portugal em particular não precisa mais de pessoas demagogas e de ambiguidade na política.

    “O PCP não está fora da discussão”; “o PSD poderá ser o único parceiro político”; Apoio do PS a Ana Gomes: “na minha *opinião*, não”; os EUA exigem “Ou nós ou a China”. Resposta dele: “Trabalhamos com a proximidade que os aliados trabalham” -qual é essa proximidade? Grande? Pequena? Total? Exclusiva? Não se pode trabalhar com a China e manter “proximidade aos aliados”?

    Enfim, tudo vago! Tem de ser claro e de se ter palavra. Políticos como Ventura são claros mas não cumprem a palavra nem praticam o que apregoam. Políticos como Santos Silva são ambíguos para nunca se poder dizer que não fazem o que apregoam. Nem uma nem outra posição serve mais.

RESPONDER

Os planetas formam-se em sopas orgânicas — e não há duas iguais

Uma série de novas imagens revela que os planetas formam-se em sopas orgânicas — e não há duas sopas iguais. Astrónomos mapearam os produtos químicos dentro dos berços planetários com detalhe extraordinário. Os mapas revelam a …

O Hawaii quer remover a sua "escadaria para o paraíso" - e a culpa é dos turistas

Em causa estão preocupações com a segurança e vandalismo, que têm aumentado com a explosão de popularidade da escadaria Ha‘ikū nas redes sociais. É caso para dizer que a Stairway to Heaven vai para o inferno …

Inventou o ZX Spectrum e mudou o mundo. Morreu Clive Sinclair

O empresário britânico e inventor do computador doméstico ZX Spectrum, Clive Sinclair, morreu hoje aos 81 anos na sua casa, em Londres (Reino Unido), devido a doença prolongada, informou a filha ao jornal “The Guardian”. Morreu …

Esta torre construída na Suécia não é gigante em altura, mas em sustentabilidade

Para além de ser feito de um material sustentável — fornecido por florestas locais com gestão consciente e transformado por uma serração nas proximidades, o Centro Cultural dispõe de múltiplas tecnologias que fazem dele mais …

Empresa canadiana debaixo de fogo por publicar anúncios de emprego destinados a não vacinados

Uma empresa de canoagem, sediada no Canadá, está debaixo de fogo depois de ter colocado anúncios de emprego destinados, exclusivamente, a pessoas não vacinadas contra a covid-19. "Por favor, NÃO se candidate se tiver tomado quaisquer …

Disparam ataques a jornalistas. Bruxelas insta países da UE a aumentar proteção

Os países da União Europeia (UE) foram instados por Bruxelas a tomar medidas para proteger os jornalistas, após um aumento no número de ataques a membros da imprensa. A Comissão Europeia exortou os governos a criarem …

Facebook e Google criticados por anúncios de "reversão do aborto"

O Facebook já veiculou anúncios de "reversão do aborto" 18,4 milhões de vezes desde janeiro de 2020, de acordo com um relatório do Center for Countering Digital Hate (CCDH), promovendo um procedimento "não comprovado, antiético" …

Líder militar dos EUA temeu que Trump iniciasse guerra nuclear com a China - e chegou a ligar aos chineses

As revelações aparecem em Peril, o novo livro de Bob Woodward e Robert Costa sobre os bastidores da Casa Branca. Trump já respondeu. O General Mark Milley, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas dos EUA, …

França suspende 3.000 profissionais de saúde que recusaram vacina contra covid-19

A França suspendeu 3.000 profissionais de saúde sem remuneração por se recusarem a tomar a vacina contra a covid-19, revelou o ministro responsável pela pasta, Olivier Véran. Segundo Véran, citado esta quinta-feira pelo Guardian, "várias dezenas" …

Austrália, Reino Unido e EUA assinam pacto de defesa para conter China

A Austrália, os Estados Unidos (EUA) e o Reino Unido anunciaram o "Pacto de Aukus", que visa frente às pretensões territoriais da China no Indo-Pacífico e envolverá a construção de uma frota de submarinos com …