Porteiro recua e diz que errou em mencionar Bolsonaro no caso Marielle

Abir Sultan / EPA

O porteiro do condomínio onde o Presidente brasileiro tem casa recuou na informação cedida anteriormente à polícia, admitindo que errou ao citar o nome de Jair Bolsonaro no caso do homicídio da vereadora Marielle Franco.

De acordo com o jornal O Globo, o porteiro do condomínio Vivendas da Barra, no Rio de Janeiro, prestou na terça-feira um novo depoimento às autoridades, tendo corrigido a versão inicial, alterando o conteúdo que dizia respeito ao atual mandatário.

Segundo O Globo, o homem disse que errou ao referir que tinha falado pelo intercomunicador com o “senhor Jair”, e que se equivocou ao anotar o número 58 [número da casa de Bolsonaro] no registo do condomínio.

Nos primeiros depoimentos cedidos à polícia, o porteiro declarou aos investigadores que um dos suspeitos do homicídio de Marielle Franco, o ex-polícia Élcio Queiroz, já formalmente acusado de ter sido um dos autores materiais do crime, afirmou à entrada do condomínio que queria visitar Jair Bolsonaro, então deputado federal.

Na ocasião, o porteiro relatou que alguém de casa de Bolsonaro autorizou a entrada, mas Queiroz acabou por dirigir-se à residência de Ronnie Lessa, um outro ex-polícia acusado de balear Marielle Franco e que vive no mesmo condomínio que Bolsonaro.

A estação televisiva Globo, responsável por divulgar o conteúdo do depoimento, assegurou que, no seu testemunho às autoridades, o porteiro informou que a autorização de entrada no condomínio havia sido concedida, via intercomunicador, por Jair Bolsonaro. Contudo, o atual chefe de Estado estava nesse dia, 14 de março de 2018, em Brasília, a mais de mil quilómetros do Rio de Janeiro, como comprovam os registos oficiais do Congresso.

O porteiro, cuja identidade não foi divulgada pela polícia, prestou nesta terça-feira novas declarações, tendo reformulado a sua versão. O depoimento cedido esta semana à Polícia Federal faz parte do inquérito que apura se o funcionário cometeu crimes de obstrução da Justiça, falso testemunho e denúncia caluniosa contra o Presidente do Brasil.

A Polícia Federal abriu no início do mês um inquérito para investigar o depoimento, após o Ministério Público do Rio de Janeiro ter afirmado que o funcionário da urbanização mentiu nas suas declarações. “(O porteiro) mentiu. Pode ter sido por vários motivos. E esses motivos serão apurados”, indicou a procuradora Simone Sibilio. A procuradora disse ainda que o Presidente brasileiro não é investigado e que é vítima de acusações caluniosas.

Sibilio afirmou que os investigadores analisaram o livro de registos da entrada na urbanização, assim como as gravações do intercomunicador, e verificaram que a entrada de Queiroz foi autorizada por Lessa, e não por alguém que estava no interior da casa de Bolsonaro. “O facto é que as evidências provam que quem autorizou (a entrada no conjunto habitacional) foi Ronnie Lessa”, frisou a procuradora.

O assassínio a tiro de Marielle Franco e do seu motorista, Anderson Gomes, ocorrido em março de 2018, gerou uma grande comoção no Brasil. A vereadora, negra, homossexual e de uma favela, destacou-se pelo seu trabalho como defensora dos direitos humanos, e pelas suas denúncias contra a violência policial no Rio de Janeiro.

Em 12 de março, a polícia brasileira prendeu dois antigos agentes da Polícia Militar no Rio de Janeiro suspeitos pelos homicídios da vereadora e do motorista Anderson Gomes. Os suspeitos são Ronnie Lessa, um ex-polícia militar de 48 anos, e Élcio Queiroz, um militar expulso do exército de 46 anos, que será quem guiava o carro.

De acordo com os promotores do Gaeco, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, o crime foi meticulosamente planeado durante os três meses que o antecederam. A investigação aponta que Ronnie fez pesquisas na Internet sobre locais que a vereadora frequentava.

Depois, o organismo que controla as movimentações financeiras no Brasil descobriu que foi feito um depósito de 100 mil reais (23.136,90 euros) na conta de um dos suspeitos.

As investigações à sua morte continuam a decorrer desde há 20 meses, mas falta ainda determinar quem foi o autor moral.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Óbvio que agora mudou a versão, já foi apertado para mudar o testemunho!
    Toda a gente sabe que o Bolsas está envolvido até ao tutano!
    BolsoM3rdas = Bosta de animal

Mário Centeno nomeado governador do Banco de Portugal

O Conselho de Ministros aprovou, esta quinta-feira, o nome do ex-ministro das Finanças para o cargo de governador do Banco de Portugal (BdP). A decisão foi revelada, esta quinta-feira, depois do Conselho de Ministros, pela ministra …

Finanças admitem queda de 9% no PIB. Governo prepara-se para rever projeção inicial de 6,9%

O Ministério das Finanças admite a possibilidade de que a queda do PIB se aproxime dos 9%, revelou esta quinta-feira o Jornal de Negócios, adiantando que o Governo se prepara para rever a projeção inicial …

Vacina de Oxford testada em humanos com "resultados promissores"

Os testes clínicos em humanos da potencial vacina contra a covid-19 que a Universidade de Oxford criou tiveram "resultados prometedores" e desencadearam a resposta imunitária que se pretendia. Os testes em humanos, que desde abril envolveram …

Goa decreta novo confinamento, com Índia a rondar um milhão de casos

Depois de ter aberto portas ao turismo, Goa decreta um novo confinamento de três dias. Registaram-se 198 novos casos nas últimas 24 horas, o número mais alto desde o início da pandemia. O estado de Goa, …

Tribunal da Concorrência confirma coima de 75 mil euros a Ricardo Salgado

O Tribunal da Concorrência confirmou, esta quinta-feira, a coima de 75 mil euros aplicada pelo Banco de Portugal a Ricardo Salgado, no caso do financiamento do Grupo Alves Ribeiro (GAR) para compra de ações da …

Mais três mortes e 339 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, esta quinta-feira, mais três mortes e 339 novos casos de infeção por covid-19 em relação a quarta-feira, mostra o boletim mais recente da DGS. Segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS), dos …

Crise entrou em nova fase mas mundo "não está fora de perigo", diz FMI

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, disse esta quinta-feira que a crise provocada pela pandemia entrou numa nova fase, que exige flexibilidade para assegurar "uma recuperação sustentável e equitativa", alertando que o mundo …

China bane importação de ovelhas portuguesas

As alfândegas chinesas baniram as importações de ovelhas e produtos relacionados de Portugal, alegando um aviso da Organização Mundial de Saúde Animal sobre um surto de paraplexia enzoótica dos ovinos na Guarda. A notícia foi avançada …

Tânia já pode abraçar os filhos. Livrou-se do coronavírus ao 16º teste após 4 meses isolada

A algarvia Tânia Poço foi, finalmente, dada como "curada" de covid-19 após quatro meses de confinamento. Aquele que terá sido o caso mais prolongado da infecção em Portugal, chegou ao fim com o 16º teste …

Exame de Matemática A criticado. Prova "infeliz" não permite "distinguir" alunos

A Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) criticou esta quinta-feira a elaboração do exame nacional de Matemática A, prova realizada por mais de 38.699 alunos que pretendem concorrer ao Ensino Superior. No entender da SPM, "o …