A fabricante alemã da arma que matou Marielle Franco vai deixar de exportar para o Brasil

midianinja / Flickr

A vereadora brasileira Marielle Franco

A fabricante alemã da arma usada no assassinato da política brasileira Marielle Franco confirmou que não vai exportar mais armas para o Brasil. A declaração foi feita no passado dia 27 de agosto, durante a reunião anual de acionistas da Heckler & Koch, na Alemanha.

Segundo o jornal alemão Taz, a Dachverband Kritische Aktionäre (Associação de Acionistas Críticos na Alemanha) questionou a Heckler & Koch sobre a venda de armas para o Brasil, na última reunião. A associação trabalha com o objetivo de comprar ações de grandes empresas, de modo a conseguir intervir internamente em assuntos de direitos humanos e do ambiente.

A porta-voz da Heckler & Kock garante que já estão a ser tomadas medidas em relação à vendas de armas para o Brasil. “Devido às mudanças que têm ocorrido no Brasil, sobretudo a agitação política presente antes das eleições presidenciais, e a atitude violenta da polícia perante a população, foi tomada a decisão de não vender mais armas para o Brasil”, remata.

Só em dois anos foram assassinadas quase 40 pessoas ligadas a cargos políticos no Brasil – entre as quais vereadores, ex-vereadores, autarcas e antigos autarcas.

Em dois anos, 37 vereadores brasileiros foram assassinados

Em 2019, durante a reunião de acionistas, a associação já tinha questionado a Heckler & Koch sobre a relação comercial com o Brasil, relata o Taz. Na altura a empresa assumiu que, em anos anteriores, realizou centenas de exportações de armas para o país. Contudo, na altura o presidente da H&K, Jens Bodo Koch, já tinha definido que não se deveria “fornecer mais armas ao Brasil, sobretudo depois da eleição de Jair Bolsonaro”.

No entanto, o jornal alemão afirma que não ficou claro se a decisão foi tomada apenas pela eleição de Bolsonaro, ou se a empresa também não estava a receber encomendas do Brasil. Por isso os acionistas colocaram novamente a questão este ano, e acabaram por receber a confirmação da paralisação das exportações para o país.

Em 2018 o caso de Marielle Franco chamou a atenção dos ativistas, sobretudo dos mais radicais, que defendem um maior controlo na exportação de armas feita pela Alemanha, e a proibição de vendas para países que são frequentemente acusados de violação de direitos humanos.

A vereadora de 38 anos era conhecida por fazer duras críticas à atuação da Polícia Militar e da intervenção do Exército na segurança do Rio de Janeiro.

De acordo com a Polícia Civil do Rio de Janeiro, a ativista Marielle Franco foi atingida por dois tiros de uma arma fabricada pela H&K – a MP5, uma sub-metralhadora de uso restrito no Brasil. Teoricamente, este tipo de arma só deveria ser encontrada no seio de instituições como a polícia Militar, Civil, Federal, e em alguns núcleos pertencentes às Forças Armadas.

Não ficou claro se a arma foi desviada de um desses núcleos que têm fácil acesso a armamento pesado. Esta é uma situação que é comum no Brasil, pois muitas vezes são encontradas armas da empresa alemã H&K na posse de civis.

Heckler & Koch / Wikipedia

Metralhadora MP5A3 da Heckler & Koch com uma coronha retrátil e guarda-mão modificado

Antes do assassinato de Marielle Franco, outros episódios ocorridos no Brasil já tinham alertado muitos ativistas na Alemanha. Em 1992, oito sub-metralhadoras da H&K foram usadas pela Polícia Militar na captura de 111 presos do Carandiru.

Não há registos detalhados sobre as últimas vendas de armas da H&K para o Brasil, uma vez que a empresa não tem tem o hábito de informar sobre os negócios que realiza. Os dados do Departamento Federal de Controlo Económico e de Exportações, na Alemanha, não são precisos no que diz respeito a este assunto.

Ainda assim, anualmente, o departamento revela relatórios sobre as exportações de armas da Alemanha, mas limita-se a clarificar o número de transações e os valores envolvidos nas mesmas. Nestes relatórios não são divulgados detalhes sobre a identificação dos fabricantes e os detalhes das armas.

Trajetória construída no pós-guerra

Na Alemanha a exportação de armas ainda é um tema bastante controverso. O ambiente pacífico em que o país habita desde o fim da Segunda Guerra Mundial, tem impulsionado muitos ativistas a pedir mais transparência nas transações. Ao mesmo tempo, o governo é regularmente acusado de dar um tratamento especial aos fabricantes, e de não tomar medidas para um controlo mais apertado.

A Alemanha é o quinto maior exportador de armas do mundo, e o setor emprega cerca de 80 mil pessoas.

A H&K é a empresa com mais funcionários de Oberndorf am Neckar, uma pequena cidade no sul do país. Fundada em 1949, por ex-engenheiros que trabalhavam para a Mauser, a empresa fabricou fuzis para o regime nazista. A fabricante alemã teve o seu primeiro impulso no mercado ao vender armamento para a Bundeswehr, as Forças Armadas da Alemanha Ocidental.

Nos anos 50, a empresa desenvolveu o fuzil HK G3, que passou a rivalizar com o soviético AK-47 – também conhecido como Kalashnikov –  no mercado internacional. O G3 passou a ser facilmente encontrado em dezenas de conflitos do terceiro mundo durante a Guerra Fria.

Entre os anos 60 e 80, a Alemanha Ocidental autorizou a H&K a emitir licenças de fabricação do G3 para 16 países. Entre eles estão o Irão e do Paquistão, e outros países que regularmente se destacam pelo incumprimento dos direitos humanos.

Nos anos 90, H&K desenvolveu o sucessor do G3 –  o HK G36. Em 2008, Berlim autorizou um acordo de licenciamento para a instalação de uma fábrica na Arábia Saudita.

A empresa fabrica produtos para os EUA, que recebeu 33% das suas exportações entre 2012 e 2016. Em feiras americanas, representantes da H&K apresentam as armas a cidadãos comuns com uma naturalidade que seria impensável na Alemanha, onde o controlo da venda de armas é muito rígido.

PARTILHAR

RESPONDER

Secreto e lucrativo, o mercado de venda de "fezes de cachalote" pode também ser violento

O âmbar cinza é altamente raro, mas também altamente valioso. Usada na indústria dos perfumes, o mercado deste material pode ser muito perigoso. Deixa na pele uma resina oleosa e tem um cheiro a tabaco, madeira, …

Empresa norueguesa garante que pode "parar" furacões antes que estes se tornam destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de "cortina de bolhas" proposto pela empresa pode provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, uma startup norueguesa, assegura que a sua nova tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem …

Afeganistão: Familiares consideram "insuficientes" pedido de desculpas dos EUA

Familiares dos civis afegãos mortos por "engano" durante um ataque de um avião não tripulado 'drone' norte-americano no final de agosto em Cabul consideraram este sábado "insuficiente" o pedido de desculpas de Washington, numa entrevista …

Descoberta de pegadas fossilizadas em Espanha revela a existência de um "berçário" de elefantes

Pegadas fossilizadas foram encontradas numa praia no sul da Espanha e mostram o que pode ter sido o berçário de uma espécie extinta de elefantes. O local costeiro, situado na região de Huelva, estava normalmente coberto …

Morreu aos 98 anos o historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França

O historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França morreu este sábado, aos 98 anos, na casa de saúde de Jarzé, perto da cidade francesa de Angers, disse à Lusa a pintora Emília Nadal, sua …

Ventura: "Não vejo outra possibilidade senão a ministra da Saúde ou pedir desculpa ou ser afastada"

O Chega vai questionar formalmente o Governo pelo “facto de a ministra da Saúde ter utilizado um carro do Estado” para ir a uma ação de campanha no Porto na sexta-feira, anunciou este sábado André …

Ouvir 30 segundos de uma sonata de Mozart pode reduzir ataques de epilepsia

Ouvir a Sonata para Dois Pianos em Ré Maior (K448), de Wolfgang Amadeus Mozart, durante pelo menos 30 segundos, ajuda a reduzir a atividade elétrica cerebral associada à epilepsia resistente a medicação. Os resultados também sugerem …

Astrónomos resolvem mistério cósmico com 900 anos

Um mistério cósmico com 900 anos, em torno das origens de uma famosa supernova observada pela primeira vez na China no ano 1181, foi finalmente resolvido. Uma nova investigação, publicada dia 15 de setembro no The …

Bons hábitos alimentares podem reduzir a probabilidade de contrair covid-19

Um novo estudo indica que as pessoas que comem muitas frutas e vegetais podem ter menos probabilidades de contrair covid-19. Num pesquisa que envolveu 590 mil adultos, os investigadores descobriram que as pessoas que eram adeptas …

Inteligência Artificial está a "alimentar" a violação dos direitos humanos, alerta ONU

Num novo relatório, a Organização das Nações Unidas (ONU) alertou os países que o uso imprudente de Inteligência Artificial (IA) pode estar a pôr em causa o respeito pelos direitos humanos. Michelle Bachelet, Alta Comissária das …