Director da PJ Militar e comandante da GNR de Loulé detidos no caso do roubo de Tancos

Paulo Novais / Lusa

Entrada dos Paióis Nacionais do Polígono Militar de Tancos

A Polícia Judiciária deteve, nesta terça-feira, o director da Polícia Judiciária Militar, coronel Luís Augusto Vieira, e o comandante da GNR de Loulé, sargento Lima Santos, numa investigação relacionada com o furto de armas de guerra em Tancos.

A TSF adianta que, até ao momento, já foram detidas cinco pessoas no âmbito deste processo que levou também a buscas em vários locais nas zonas da Grande Lisboa, Algarve, Porto e Santarém.

A estação acrescenta que “há oito mandatos de detenção para levar a cabo ainda esta terça-feira”.

Segundo um comunicado da Procuradoria-Geral da República (PGR), neste inquérito “investigam-se as circunstâncias em que ocorreu o aparecimento, em 18 de Outubro de 2017, na região da Chamusca, de material de guerra furtado em Tancos“.

Em causa, adianta o comunicado, estão “factos susceptíveis de integrarem crimes de associação criminosa, denegação de justiça, prevaricação, falsificação de documentos, tráfico de influência, favorecimento pessoal praticado por funcionário, abuso de poder, receptação, detenção de arma proibida e tráfico de armas“.

Entretanto, fonte da GNR disse à agência Lusa que estão a decorrer buscas no Núcleo de Investigação Criminal da Guarda em Loulé, em busca de provas sobre o comportamento de três militares desta força policial.

Na Operação Húbris, participaram cinco magistrados do Ministério Público e cerca de uma centena de investigadores e peritos da Polícia Judiciária.

Segundo a PGR, o inquérito corre termos no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), sendo o Ministério Público coadjuvado pela Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT).

Os detidos serão presentes ao Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa.

O furto de material militar dos paióis de Tancos – instalação entretanto desactivada – foi revelado no final de Junho de 2017. Entre o material furtado estavam granadas anti-tanque, explosivos de plástico e uma grande quantidade de munições.

Em 18 de Outubro, a Polícia Judiciária Militar recuperou, na zona da Chamusca, quase todo o material militar que tinha sido furtado da base de Tancos, à excepção das munições de 9 milímetros.

Contudo, entre o material encontrado, num campo aberto a 21 quilómetros da base de Tancos, havia uma caixa com cem explosivos pequenos, de 200 gramas, que não constava da relação inicial do material que tinha sido furtado, o que foi desvalorizado pelo Exército e atribuído a falhas no inventário.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Caça às bruxas… para lavar a barra suja do ministro da defesa, que é politicamente responsável pelo que se passou.
    Os dois bodes expiatórios agora detidos, dificilmente terão alguma responsabilidade na habitual bagunça em que vivem as instalações militares do país.
    Mais importante do que andar a descobrir culpados (que serão muitos mais a começar nos anteriores e actual ministro e nos generais) era necessário apresentar ao país as medidas concretas para esta pouca vergonha não voltar a acontecer.
    Não foi a primeira. Quem não se lembra do roubo das pistolas Glock até hoje sem resposta ??

    • Só palermices!…
      Pois, coitadinhos… e foram logo escolher um Coronel para bode expiatório!…
      Brilhante…
      O que interessa são os responsáveis de facto; os responsáveis políticos só interessam aos outros políticos – que são tão bons ou piores do que estes!!
      Ou agora, se calhar, os ministros (ou generais) é que vão fazer segurança aos paióis e controlar a armas – enquanto os comandantes das unidades só vão lá dormir a sesta!…
      As pistolas Glock furtadas eram da PSP e nada tem a ver com os militares ou com o Ministério da Defesa!!

  2. Sempre pensei que os assaltantes estavam dentro do próprio exército. E possivelmente isso vai-se confirmar. Por isso é que o Ministro respetivo até tinha vergonha de contar a história ao chefe supremo das forças armadas. A confirmar-se, devia também ser corrido.

  3. É de uma gritante irresponsabilidade e má fé o vosso título!…

    Independentemente de tudo o resto, “abreviar” no título “Comandante da GNR de Loulé” (um sargento), para apenas “Comandante da GNR”, transmitindo a ideia subliminar de se poder tratar do “Comandante (Geral) da GNR” (um General), é de uma falta de honestidade que só vos diminui como órgão de Comunicação Social!… Espero que corrijam este erro crasso, com a mesma notoriedade do vosso título inclassificável!…

  4. Passado tanto tempo andam agora a encontrar pistas? Quanto a mim o único culpado foi o básico lá do quartel que normalmente faz a limpeza da parada, foi aos paióis fazer limpeza meteu tudo em sacos do lixo e no dia seguinte passou o carro do lixo e levou tudo para a lixeira que pelos vistos até é lá na zona onde foram encontradas armas, daí ao ar angélico do senhor ministro da tutela em não querer molestar o pobre soldado.

  5. O Sr Ministro da Defesa Nacional andou, anda e andará a apanhar bonés desde sempre.

    Os militares fazem o que querem e bem lhes apetece e o Ministro ainda os Condecora por tudo e por nada.

    Lembram-se das “brilhantes” conclusões a que a investigação da PJM tinha chegado?

    Isto não são umas F Armadas, é um grupo de bandoleiros.

Responder a Eu! Cancelar resposta

Governo vai monitorizar discurso de ódio na Internet

O Governo vai monitorizar o discurso de ódio nas plataformas online, estando "em vias" de dar início à contratação pública de um projeto que deverá traduzir-se num barómetro mensal de acompanhamento e identificação de sites. Segundo …

Tribunal britânico decide que é Guaidó (e não Maduro) quem manda nas reservas de ouro da Venezuela

A justiça britânica decidiu esta quinta-feira que é o líder da oposição venezuelana Juan Guaidó e não o Presidente Nicolás Maduro quem tem autoridade sobre as reservas de ouro da Venezuela depositadas no Banco de …

Mistério resolvido. Cientistas descobriram como é que as cobras "voam"

Nem todas as cobras se movem arrastando-se discretamente pelo chão. Há uma cobra do género Chrysopelea que parece voar de árvore em árvore. Agora, os cientistas descobriram como é que estes animais se movem pelo …

Mais de 80 mil pessoas registaram-se na Segurança Social desde janeiro

O programa “Segurança Social na Hora”, criado em janeiro deste ano, abrangeu até ao momento 80.700 pessoas, de acordo com os dados divulgados pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS). Ana Mendes Godinho avançou …

Douro. Poluição regressa a valores anteriores ao estado de emergência

Os valores de contaminação do estuário do rio Douro, que durante o estado de emergência baixaram a níveis só vistos há mais de 30 anos, já regressaram aos valores pré-pandemia. As boas notícias "rapidamente se esfumaram". …

Reino Unido deixa cair pontes aéreas e prepara levantamento da quarentena para dezenas de países

O Reino Unido vai deixar cair o plano para a criação de pontes aéreas e prepara-se para substituir a medida pela isenção de quarentena para dezenas de países. Dezenas de países vão ficar isentos de restrições …

Medina clarifica críticas em público: eram para chefias regionais (e não para Temido)

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Media, veio esta quarta-feira a público esclarecer as duras críticas que vez relativamente à atuação das autoridades de saúde no combate à pandemia de covid-19. No seu habitual espaço …

Fraude nas viagens entre ilhas e continente. PJ desmantela mais uma rede criminosa

Esta quarta-feira, foi desmantelada mais uma rede criminosa que se aproveitava de forma fraudulenta do subsídio que financia as deslocações dos habitantes dos Açores e da Madeira ao continente. Existem fraudes nos subsídios das viagens entre …

Nova reviravolta. Livro polémico da sobrinha de Trump com luz verde para publicação

Um juiz do Tribunal de Recurso de Nova Iorque levantou na noite de quarta-feira uma proibição temporária de publicação de um livro escrito pela sobrinha do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contendo revelações polémicas. Segundo …

Epidemiologista chefe da DGS abandona cargo. Saída foi "programada"

A chefe da divisão de Epidemiologia e Estatística da Direção-Geral da Saúde, Rita Sá Machado, vai integrar a equipa da Missão Permanente de Portugal junto dos Organismos e Organizações Internacionais das Nações Unidas, em Genebra. A …