Director da PJ Militar e comandante da GNR de Loulé detidos no caso do roubo de Tancos

Paulo Novais / Lusa

Entrada dos Paióis Nacionais do Polígono Militar de Tancos

A Polícia Judiciária deteve, nesta terça-feira, o director da Polícia Judiciária Militar, coronel Luís Augusto Vieira, e o comandante da GNR de Loulé, sargento Lima Santos, numa investigação relacionada com o furto de armas de guerra em Tancos.

A TSF adianta que, até ao momento, já foram detidas cinco pessoas no âmbito deste processo que levou também a buscas em vários locais nas zonas da Grande Lisboa, Algarve, Porto e Santarém.

A estação acrescenta que “há oito mandatos de detenção para levar a cabo ainda esta terça-feira”.

Segundo um comunicado da Procuradoria-Geral da República (PGR), neste inquérito “investigam-se as circunstâncias em que ocorreu o aparecimento, em 18 de Outubro de 2017, na região da Chamusca, de material de guerra furtado em Tancos“.

Em causa, adianta o comunicado, estão “factos susceptíveis de integrarem crimes de associação criminosa, denegação de justiça, prevaricação, falsificação de documentos, tráfico de influência, favorecimento pessoal praticado por funcionário, abuso de poder, receptação, detenção de arma proibida e tráfico de armas“.

Entretanto, fonte da GNR disse à agência Lusa que estão a decorrer buscas no Núcleo de Investigação Criminal da Guarda em Loulé, em busca de provas sobre o comportamento de três militares desta força policial.

Na Operação Húbris, participaram cinco magistrados do Ministério Público e cerca de uma centena de investigadores e peritos da Polícia Judiciária.

Segundo a PGR, o inquérito corre termos no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), sendo o Ministério Público coadjuvado pela Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT).

Os detidos serão presentes ao Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa.

O furto de material militar dos paióis de Tancos – instalação entretanto desactivada – foi revelado no final de Junho de 2017. Entre o material furtado estavam granadas anti-tanque, explosivos de plástico e uma grande quantidade de munições.

Em 18 de Outubro, a Polícia Judiciária Militar recuperou, na zona da Chamusca, quase todo o material militar que tinha sido furtado da base de Tancos, à excepção das munições de 9 milímetros.

Contudo, entre o material encontrado, num campo aberto a 21 quilómetros da base de Tancos, havia uma caixa com cem explosivos pequenos, de 200 gramas, que não constava da relação inicial do material que tinha sido furtado, o que foi desvalorizado pelo Exército e atribuído a falhas no inventário.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Caça às bruxas… para lavar a barra suja do ministro da defesa, que é politicamente responsável pelo que se passou.
    Os dois bodes expiatórios agora detidos, dificilmente terão alguma responsabilidade na habitual bagunça em que vivem as instalações militares do país.
    Mais importante do que andar a descobrir culpados (que serão muitos mais a começar nos anteriores e actual ministro e nos generais) era necessário apresentar ao país as medidas concretas para esta pouca vergonha não voltar a acontecer.
    Não foi a primeira. Quem não se lembra do roubo das pistolas Glock até hoje sem resposta ??

    • Só palermices!…
      Pois, coitadinhos… e foram logo escolher um Coronel para bode expiatório!…
      Brilhante…
      O que interessa são os responsáveis de facto; os responsáveis políticos só interessam aos outros políticos – que são tão bons ou piores do que estes!!
      Ou agora, se calhar, os ministros (ou generais) é que vão fazer segurança aos paióis e controlar a armas – enquanto os comandantes das unidades só vão lá dormir a sesta!…
      As pistolas Glock furtadas eram da PSP e nada tem a ver com os militares ou com o Ministério da Defesa!!

  2. Sempre pensei que os assaltantes estavam dentro do próprio exército. E possivelmente isso vai-se confirmar. Por isso é que o Ministro respetivo até tinha vergonha de contar a história ao chefe supremo das forças armadas. A confirmar-se, devia também ser corrido.

  3. É de uma gritante irresponsabilidade e má fé o vosso título!…

    Independentemente de tudo o resto, “abreviar” no título “Comandante da GNR de Loulé” (um sargento), para apenas “Comandante da GNR”, transmitindo a ideia subliminar de se poder tratar do “Comandante (Geral) da GNR” (um General), é de uma falta de honestidade que só vos diminui como órgão de Comunicação Social!… Espero que corrijam este erro crasso, com a mesma notoriedade do vosso título inclassificável!…

  4. Passado tanto tempo andam agora a encontrar pistas? Quanto a mim o único culpado foi o básico lá do quartel que normalmente faz a limpeza da parada, foi aos paióis fazer limpeza meteu tudo em sacos do lixo e no dia seguinte passou o carro do lixo e levou tudo para a lixeira que pelos vistos até é lá na zona onde foram encontradas armas, daí ao ar angélico do senhor ministro da tutela em não querer molestar o pobre soldado.

  5. O Sr Ministro da Defesa Nacional andou, anda e andará a apanhar bonés desde sempre.

    Os militares fazem o que querem e bem lhes apetece e o Ministro ainda os Condecora por tudo e por nada.

    Lembram-se das “brilhantes” conclusões a que a investigação da PJM tinha chegado?

    Isto não são umas F Armadas, é um grupo de bandoleiros.

RESPONDER

Boris Johnson diz que "não existem respostas fáceis" para elevada mortalidade no país

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse esta quarta-feira que "não existem respostas fáceis" para o facto de o Reino Unido ser o país na Europa com mais mortes atribuídas a covid-19, ao ultrapassar a barreira …

Biden põe termo a contratos com as prisões privadas

A conselheira em política interna do Presidente dos Estados Unidos (EUA), Susan Rice, informou que Joe Biden iria assinar na terça-feira um decreto para pôr termo à utilização das prisões privadas do país no sistema carcerário …

Rodrigues dos Santos quer dar a mão ao PSD para derrotar Medina em Lisboa

Francisco Rodrigues dos Santos considera que uma coligação PSD/CDS-PP nas eleições autárquicas é a “única hipótese” para derrotar o atual presidente da Câmara de Lisboa, o socialista Fernando Medina, mas recusa adiantar quem poderá ser …

Patrões não podem recusar apoio nem faltas justificadas aos pais

Especialistas destacam que as entidades empregadoras não podem opor-se às faltas justificadas de pais que fiquem em casa para tomar conta dos filhos, nem recusar-se a prestar o apoio excecional à família. Com o encerramento das …

Voos e 2 mil libras. Reino Unido oferece incentivos a cidadãos da UE que queiram abandonar o país

O Governo britânico está a oferecer incentivos financeiros para os cidadãos da União Europeia (UE) deixarem o Reino Unido, meses antes do prazo para solicitar o estatuto de residente permanente De acordo com o jornal britânico …

Novo máximo diário de mortes por covid-19. Há mais 15.073 novos casos e 293 óbitos

Portugal registou esta quarta-feira 15.073 novos casos de infeção por covid-19 e mais 293 mortes, o maior número de óbitos em 24 horas desde o início da pandemia, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde …

Três sismos abalaram a cidade de Granada na passada noite. Pedro Sánchez pede "calma"

Mais de meio milhão de pessoas que vivem em Granada, sul de Espanha, despertaram hoje inquietas depois do sobressalto causado durante a noite por três sismos de magnitude superior a quatro graus seguidos de 30 …

Isabel dos Santos vai ter mesmo de pagar 339,4 milhões de dólares à Sonangol

O Tribunal de Recurso de Paris decidiu, esta terça-feira, a favor da PT Ventures (Sonangol), no âmbito do processo de anulação interposto pela Vidatel, da empresária angolana, que terá de pagar 339,4 milhões de dólares. Em …

Islândia começou a emitir "passaportes de vacinação"

A Islândia é um dos primeiros países a emitir os chamados "passaportes de vacinação" com o objetivo de facilitar as viagens de pessoas imunizadas contra a covid-19. A questão é polémica e divide os 27 …

Máscaras compradas no supermercado só são dedutíveis no IRS com fatura à parte

As máscaras de proteção social compradas em supermercados ou lojas precisam de uma fatura à parte para serem dedutíveis no IRS, avança o Jornal de Notícias. Se foram compradas em farmácia, a a fatura habitual …