Puigdemont quer responder à justiça espanhola a partir de Bruxelas

Olivier Hoslet / EPA

O ex-presidente do governo da Catalunha, Carles Puigdemont

O ex-presidente do governo da Catalunha, Carles Puigdemont, disse hoje que pretende responder à justiça espanhola desde Bruxelas, onde se encontra, em vez de comparecer perante a Audiência Nacional em Espanha.

Num comunicado divulgado hoje, Puigdemont confirma que nem ele nem vários dos seus ministros que se encontram na capital belga “contemplam fugir à justiça, até porque justamente a reclamam, e responderão às citações de acordo com os mecanismos previstos pela União Europeia nestas situações”.

O presidente do governo catalão destituído confirma assim que não tem intenção de se apresentar perante a justiça espanhola entre quinta e sexta-feira.

Na nota, Puigdemont apresenta-se como presidente do “governo legítimo” da comunidade autónoma da Catalunha e considera que ele e os membros do executivo regional, destituído na semana passada por Madrid, enfrentam um “julgamento político” na Audiência Nacional, “efetuado por ordem do Governo do Estado espanhol”.

Em princípio, o ex-chefe do governo da Catalunha está acompanhado por quatro ex-ministros, enquanto outros três regressaram a Espanha na noite passada.

O ex-presidente catalão adianta que ele e outros ex-governantes “ficarão em Bruxelas” para “denunciar perante a comunidade internacional este julgamento político e para convocar muito especialmente a Europa a procurar uma solução dialogada para o conflito”.

Além disso, Puigdemont condena a “desproporção das penas solicitadas pelo procurador-geral, reprovado pelo Congresso espanhol, equivalentes a delitos como assassinato ou terrorismo”.

“Enfrentamos as penas de prisão que nos esperam como uma denúncia da situação da democracia no Estado espanhol e como um grito a favor da liberdade do nosso povo”, diz.

No mesmo comunicado, o ex-governante justifica que um grupo de ex-ministros, entre os quais o seu ‘número dois’, Oriol Junqueras – que permaneceram em Espanha, vão esta quinta-feira à Audiência Nacional “como denúncia da falta de garantias do sistema judicial espanhol e a sua vontade de perseguir ideias políticas”.

A juíza da Audiência Nacional espanhola Carmen Lamela citou Carles Puigdemont e outros 13 membros da ‘Generalitat’ para serem ouvidos quinta e sexta-feira por acusações de rebelião e sedição, entre outras.

A magistrada, do Tribunal Central de instrução n.º 3 do Audiência Nacional, fez a citação dos 14 arguidos para serem ouvidos nesses dois dias a partir das 09:00 locais (10:00 em Lisboa), num auto que refere também que depois de ouvidos podem ser decretadas as primeiras medidas de coação.

O Ministério Público espanhol tinha apresentado na segunda-feira acusações contra os principais membros do governo catalão destituído por rebelião, sedição e fraude e também contra a presidente do parlamento regional, Carme Forcadell, e os membros da mesa que processaram a declaração de independência.

As penas são de até 30, 15 e seis anos de prisão, respetivamente, tendo sido fixada uma fiança superior a 6,2 milhões de euros.

Forcadell e outros cinco membros da mesa do ‘parlament’ também foram chamados para serem ouvidos e já confirmaram que se deslocarão à Audiência Nacional. O dia de hoje foi marcado pela confusão sobre o paradeiro de Carles Puigdemont, depois de na terça-feira à noite alguns dos ex-ministros catalães terem regressado a Espanha.

Puigdemont não foi visto hoje na capital belga e já não está hospedado no mesmo hotel onde se alojou na segunda-feira e onde dezenas de jornalistas montaram guarda nos últimos dois dias.

Hoje à tarde, o antigo governante catalão publicou uma mensagem na rede Twitter, assinalando um mês após a realização do referendo inconstitucional sobre a independência da Catalunha. “Apesar da violência e das ameaças passadas e presentes, continuamos a trabalhar. Orgulho do povo!“, disse Puigdemont, nessa mensagem.

Perante a falta de comparência de Puigdemont, a juíza Carmen Lamela poderá enviar uma ordem europeia de detenção, com vista a uma futura extradição para Espanha.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

"Muito angustiado". Papa diz sofrer com a transformação de Santa Sofia em mesquita

O Papa Francisco afirmou este domingo estar "muito angustiado" com a conversão, decidida pela Turquia, da antiga basílica de Santa Sofia numa mesquita, após a oração dominical do Angelus. “O mar leva o meu pensamento um …

Gestor de ativos norte-americano diz que o ouro é o "verdadeiro bitcoin" (e explica porquê)

Um gestor de ativos norte-americano disse, em entrevista à CNBC, que acredita que o outro é o "verdadeiro bitcoin" - e explicou porquê. O preço do ouro, "investimento-refúgio" racional para investidores em tempos de crise …

Fortuna de Jeff Bezos não pára de engordar. Acabou de atingir um novo recorde

A fortuna do fundador e CEO da Amazon, Jeff Bezzos, acaba de quebrar um novo recorde ao atingir os 182,6 mi milhões de dólares. Os números foram avançados esta semana pela revista Forbes, que detalha que …

Portugal não pode chegar ao inverno com a situação atual, alerta epidemiologista

Portugal corre o risco de não conseguir responder a um ressurgimento de casos de covid-19 no inverno, afirmou este sábado o médico de Saúde Pública Ricardo Mexia, considerando que o país não pode chegar a …

Pela primeira vez, nasceu um raro par de elefantes gémeos no Sri Lanka

Um raro par de elefantes gémeos foi encontrado num parque nacional no Sri Lanka. É a primeira vez que o país regista crias gémeas, que são extremamente raros em elefantes. Os dois animais, que terão entre …

Teste aos forcados e lotação reduzida. Publicadas as novas regras para as touradas

A temporada taurina retoma com praças com lotação de 50%, uma reivindicação do sector que viu este sábado ser publicada pela Inspeção-Geral das Atividades Culturais (IGAC) uma acualização às normas discutidas com a DGS. “O que …

Trump propôs "vender" Porto Rico após a passagem do furacão Maria, revela ex-funcionária

Elaine Duke, ex-secretária adjunta de Segurança Interna do presidente dos EUA disse que Donald Trump propôs "alienar" ou "vender" a Comunidade de Porto Rico depois de a ilha ser atingida pelo furação Maria, em 2017. "As …

Catarina Martins atira-se a Rio. Líder do PSD está a fazer "um favor" a Costa no fim dos debates

A coordenadora do Bloco de Esquerda fez este sábado um duro ataque ao líder do PSD, que acusou de fazer um favor ao primeiro-ministro. Catarina Martins considerou “extraordinário” que o líder do maior partido da oposição …

Fraudes em subsídios europeus atingem 2,3 mil milhões. Dava para salvar a TAP (duas vezes)

Uma investigação levada a cabo pela Polícia Judiciária (PJ) concluiu que os casos de fraude na obtenção e desvio de fundos públicos, nos últimos dez anos, ascendem a cerca de 2,3 mil milhões de euros. Os …

Sem ganho económico e muitas mortes. O que dizem os dados da controversa estratégia sueca

A estratégia relaxada da Suécia contra a covid-19 gerou várias críticas. Os números mostram que tanto a nível sanitário como económico, o país saiu a perder. O Governo sueco não impôs um confinamento à população e, …