Separatistas catalães acusados de rebelião e incitação à violência

O Ministério Público espanhol considerou, esta terça-feira, que o que aconteceu na Catalunha foi “um golpe de estado”, através de uma “rebelião”, com incitação à violência, o que justifica duras penas de prisão para os 12 separatistas.

Durante as alegações finais da acusação aos 12 independentistas catalães, que decorreram no Tribunal Supremo, em Madrid, o Ministério Público espanhol considerou que os arguidos não se limitaram a convocar “um referendo ilegal”, mas “incitaram à violência”, para atingir os seus objetivos.

“Ficou provado que (…) houve violência, (…) sem ela não teria sido possível atravessar as estradas necessárias no roteiro. Os acusados sabiam disso e incitaram os cidadãos (à violência)”, disse o procurador Jaime Moreno, um dos promotores do caso contra os líderes independentistas, para quem pedem até 25 anos de cadeia.

“O que aconteceu na Catalunha foi um golpe de estado, que é a substituição de uma ordem jurídica por outros métodos ilegais”, disse o Ministério Público, na sua acusação.

O Ministério Público acusou ainda a Generalitat (governo regional) de “funcionar como uma organização criminal. O bloqueio, por parte da multidão, às forças de segurança do Estado é violência”, disse ainda.

Os procuradores apontaram o ex-vice-presidente da Generalitat, Oriol Junqueras, um dos 12 arguidos, como “o motor principal da rebelião” e um dos que mais fortemente incitou à violência contra as autoridades.

O Ministério Público não duvida de que os acusados de rebelião são os responsáveis finais pela violência, tanto por ignorar as instruções das autoridades policiais como por incitar publicamente à defesa do referendo, que consideram “ilegal”.

“Os acusados deram sempre primazia às suas vontades“, concluiu o Ministério Público, nas alegações finais ontem lidas no Tribunal Supremo, em Madrid.

O Ministério Público elencou uma longa lista de declarações, entrevistas e afirmações em páginas de redes sociais em que os réus são acusados de ter incentivado a população a atos rebeldes, contra a lei e contra a segurança da população.

“Não estamos a falar de acontecimentos que provocaram 93 feridos, estamos a falar de eventos que provocaram 1.093 feridos”, afirmaram os procuradores, referindo-se às situações de conflito com as autoridades, após a realização do referendo, na Catalunha.

O Ministério Público pede 25 anos de prisão para Junqueras por ter sido “responsável principal” do delito de rebelião, agravado com o de desvio de fundos.

Para Jordi Sànchez e Jordi Cuixart, que eram dirigentes de associações separatistas em 2017, e para a ex-presidente do parlamento regional, Carme Forcatell, o procurador pede 17 anos de prisão, por rebelião e por também serem considerados “promotores”.

Para os ex-conselheiros (ministros regionais), Jordi Turull, Josep Rull, Joaquim Forn, Raul Romeva e Dolors Bassa o Ministério Público pediu 16 anos de prisão, enquanto para Carles Mundó, Meritxell Borràs e Santi Vila requereu sete anos de prisão.

Os advogados do Estado espanhol deverão pedir penas menos graves e a acusação popular, exercida pelo partido de extrema-direita Vox, penas maiores, na linha do que já haviam feito.

Em 11 e 12 de junho estão previstas as alegações finais da defesa e também vai ser concedida a palavra aos acusados para manifestarem ao tribunal o que pretenderem.

Depois de realizarem a 1 de outubro de 2017 um referendo sobre a independência proibido pela Justiça, os separatistas catalães proclamaram a 27 de outubro do mesmo ano uma República catalã independente.

O processo de independência foi interrompido no mesmo dia, quando o Governo central espanhol, presidido então por Mariano Rajoy (Partido Popular, direita), decidiu intervir na comunidade autónoma, destituindo o Executivo de Carles Puigdemont, fugido na Bélgica, e dissolvendo o Parlamento regional.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Medina confirma que ex-vereador Manuel Salgado é um dos visados na investigação da PJ

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa confirmou, esta terça-feira, que um dos visados na investigação da Polícia Judiciária (PJ) a suspeitas de crimes de abuso de poder e corrupção é o ex-vereador do Urbanismo …

Jeff Bezos quer transformar a Amazon no "melhor empregador da Terra"

O CEO da Amazon admitiu que é preciso fazer mais pelos trabalhadores e revelou que um dos seus principais objetivos é fazer da empresa "o melhor empregador da Terra". As más condições de trabalho a que …

Montenegro "hipotecou-se" à China (e agora quer a ajuda da Europa para se libertar)

Montenegro aceitou um empréstimo gigante da China para construir uma rodovia. Agora, o minúsculo país montanhoso quer ajuda da União Europeia (UE) para pagar a dívida. A situação em Montenegro é o mais recente conflito numa …

Punir os 12 clubes da Superliga Europeia? O tiro pode sair pela culatra

A UEFA ameaça punir os clubes que participem na Superliga Europeia. No entanto, tomar medidas precipitadas pode fazer com que o tiro saia pela culatra. O mundo do futebol foi abalado pelo anúncio de uma Superliga …

Criados 280 postos para vacinar 100 mil pessoas por dia

Duzentos e oitenta postos de vacinação rápida e de resposta reforçada estão a ser criados em todo o país para se conseguir vacinar 100 mil pessoas por dia, disse esta terça-feira à agência Lusa o …

Portugal e França promovem intercâmbio de árbitros nas ligas profissionais

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou, esta segunda-feira, que vai promover, juntamente com a Federação Francesa de Futebol (FFF), um intercâmbio de árbitros. "Portugal e França vão promover um intercâmbio de árbitros no seguimento do …

Novo Banco vendeu carteira de malparado por valor inferior às próprias garantias

O deputado do PSD Alberto Fonseca apontou esta terça-feira que o Novo Banco vendeu a carteira de crédito malparado Nata II por um valor inferior às suas próprias garantias, baseando-se no relatório da Deloitte à …

ANA "não tem interesse económico". Montijo é a "solução mais rápida"

O presidente da comissão executiva da ANA - Aeroportos de Portugal disse, esta terça-feira, que a empresa "não tem interesse económico" numa das soluções para a expansão aeroportuária em Lisboa em vez de outra, mas …

Taiwan vende vacinas da AstraZeneca a 17 euros para evitar que expirem

Com lotes da vacina da AstraZeneca em risco de expirarem, devido a resistência à sua toma entre grupos prioritários, Taiwan começou esta segunda-feira a administrá-las a qualquer pessoa, por 17 euros. Horas depois de o sistema …

Mourinho: "Não preciso de fazer uma pausa, estou sempre no futebol"

O treinador português disse, esta segunda-feira, que "não necessita de fazer uma pausa", após deixar o comando técnico do Tottenham, e frisou estar "sempre no futebol". Embora não se tenha alongado muito, José Mourinho falou pela …