/

Vídeo de 2005 com comentários machistas volta a entalar Trump

gageskidmore / Flickr

O milionário americano Donald Trump

O milionário americano Donald Trump

O candidato à Presidência dos EUA lamentou o conteúdo de um vídeo de 2005, divulgado esta sexta-feira, no qual afirma que faz o que quer com as mulheres bonitas. Mas evocou Bill Clinton para dizer que este fazia bem pior.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Donald Trump já pediu desculpa pelo conteúdo do vídeo de 2005, divulgado esta sexta-feira pelo The Washington Post, no qual aparece a fazer comentários sexistas sobre as mulheres.

“Já disse, procedi mal e peço desculpa“, lamentou o candidato presidencial, sublinhando que a gravação tem mais de dez anos e que se arrepende daquilo que disse.

Nas imagens, o magnata gaba-se de fazer o que quer com as mulheres por ser uma “estrela” e afirma que não consegue evitar beijar aquelas que considera bonitas, andando sempre com rebuçados para o hálito.

O vídeo está a tornar-se o novo centro da polémica na campanha de Trump, com várias personalidades a considerar os comentários de Trump inaceitáveis.

O presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Paul Ryan, desistiu de aparecer este sábado, pela primeira vez, ao lado de Trump, “indignado” com as suas declarações machistas.

Também o presidente do Partido Republicano, Reince Priebus, condenou as palavras do candidato, dizendo que “nenhuma mulher deve ser descrita naqueles termos”.

Por outro lado, o governador do Utah, o republicano Gary Hernert, anunciou que retirou o apoio a Trump e que não votará nas eleições de novembro, considerando as suas declarações “ofensivas e desprezíveis”.

O mesmo fez o congressista eleito pelo Utah, Jason Chaffetz, enquanto o ex-governador deste estado, Jon Huntsman, pediu a Trump para retirar a sua candidatura à Casa Branca.

PUBLICIDADE

A sua adversária democrata, Hillary Clinton, também já reagiu à polémica, escrevendo no Twitter que “isto é horroroso” e que “não podemos permitir que este homem seja Presidente”.

No seu pedido de desculpas, Trump compromete-se “a ser um homem melhor”, mas evoca o nome do ex-Presidente norte-americano e marido da democrata para se defender.

“Eu disse coisas parvas mas há uma grande diferença entre as palavras e os atos de outras pessoas. Bill Clinton abusou mesmo das mulheres e Hillary perseguiu, atacou, humilhou e intimidou as suas vítimas”, afirmou.

Antes de divulgar o vídeo de hoje, Trump já havia dito, através de um comunicado, que a gravação se tratou de uma conversa privada com anos, desculpou-se “se alguém se sentiu ofendido” e referiu o ex-chefe de Estado.

PUBLICIDADE

“Era uma conversa de vestuário, privada, que teve lugar há anos. Bill Clinton disse-me coisas muito piores no campo de golf”, disse.

Esta polémica surge a poucos dias do segundo debate entre os dois principais nomes na corrida à Casa Branca deste ano, que está marcado para domingo.

ZAP / Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.