Sócrates recusa pulseira mas não vai ser ouvido pelo juiz

Arquivo ITU

O ex-Primeiro-ministro José Sócrates

O ex-Primeiro-ministro José Sócrates

Depois de ter recusado a prisão domiciliária com pulseira eletrónica, José Sócrates não deverá ser ouvido pelo juiz Carlos Alexandre esta terça-feira, quando deverá ser conhecida a decisão do magistrado.

O Ministério Público pediu alteração da medida de coação para “prisão domiciliária”, mas Sócrates, através de uma carta divulgada esta segunda-feira, afirma que não quer que a medida de coação seja revista e atenuada.

A não aceitação da pulseira eletrónica não implica que este seja ouvido pelo juiz, e a TVI24 apurou que José Sócrates não vai, de facto, ser ouvido esta terça-feira por Carlos Alexandre.

Segundo informação oficial do Tribunal de Instrução Criminal, o juiz Carlos Alexandre não tem neste momento todos os elementos necessários para decidir, faltando ainda a resposta da defesa à proposta do Ministério Público de pulseira eletrónica, de acordo com a TVI24.

A defesa de José Sócrates terá enviado a resposta aos pressupostos que o Ministério Público invoca para pedir a aplicação de uma medida privativa da liberdade por volta das 4h da manhã.

Depois de recebida a resposta da defesa do ex-Primeiro-ministro, a informação é remetida para o Ministério Público para que seja feita uma nova promoção. Tendo recusado a pulseira eletrónica, José Sócrates não pode recusar outra medida de coação proposta, como a obrigação de permanência na residência desde que não esteja sob vigilância eletrónica.

“Digo não.”

A decisão de José Sócrates foi comunicada aos advogados Pedro Delille e João Araújo, que esta segunda-feira o visitaram na prisão de Évora e com quem esteve reunido durante cerca de três horas.

Leia a carta com as suas justificações:

DECLARAÇÃO

A minha prisão constituiu uma enorme e cruel injustiça. Seis meses sem acusação. Seis meses sem acesso aos autos. Seis meses de um furiosa campanha mediática de denegrimento e de difamação, permitida, se não dirigida, pelo Ministério Público. Seis meses de imputações falsas, absurdas e, pior – infundamentadas, o que significa que o Ministério Público não as poderia nem deveria fazer, por não estarem sustentadas nem em indícios, nem em factos, nem em provas. Seis meses, enfim, de arbítrio e de abuso.

Aqui chegados, que cada um assuma as suas responsabilidades. A minha prisão foi uma violência exercida injustamente contra mim, mas foi-o de forma unilateral – foi-me imposta. Esse acto contou sempre com o meu protesto e o meu repúdio; nunca com o meu silêncio e muito menos com o meu assentimento. Agora, o Ministério Público propõe prisão domiciliária com vigilância electrónica, que continua a ser prisão, só que necessita do meu acordo. Nunca, em consciência, poderia dá-lo.

Por outro lado, não posso ignorar – nem pactuar – com aquilo que, hoje, para mim, está diante dos olhos: a prisão preventiva usada para investigar, para despersonalizar, para quebrar, para calar, para obter sabe-se lá que “confissões”. Também não ignoro – nem pactuo – com a utilização da prisão domiciliária com vigilância electrónica como instrumento de suavização, destinado a corrigir erros de forma a parecer que nunca se cometeram. Estas “meias-libertações” não têm outro objetivo que não seja disfarçar o erro original e o sucessivo falhanço: depois de seis meses de prisão, nem factos, nem provas, nem acusação.

Meditei longamente nesta decisão, no que ela significa de sacrifício pessoal e, principalmente, no sacrifício que representa para a minha família e para os meus amigos, que têm suportado esta inacreditável situação com uma extraordinária coragem. Todavia, o critério de decisão é simples – ela tem que estar de acordo com o respeito que devo a mim próprio e com o respeito que devo aos cargos públicos que exerci. Nas situações mais difíceis há sempre uma escolha. A minha é esta: digo não.

 

ZAP

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

    • Em vez do enleio daquela carta… Podia ficar-se por “Eu quero ficar preso até que a “história” me ilibe e não julgado pelos tribunais de um estado de direito democrático Europeu”.
      Não era melhor estratégia Marinho?

  1. Foi ele que mexeu na lei em 2010… O detento deve ou não concordar perante o juíz… sobre domiciliária com argola!
    Mas, “…não ignoro – nem pactuo – com a utilização da prisão domiciliária com vigilância electrónica como instrumento de suavização” !?!
    Quem não sabe que são várias as medidas de coação?
    Virada a página da recolha e cruzamento de prova, da parte da investigação, naturalmente que seria previsível a alteração da medida de coação (menos gravosa)! Agora chamar-lhe “suavização”!? É uma evidente falta de honestidade intelectual, diria, demasiado ostensiva para enganar tolos.

  2. Como diria o povo: “ai não queres? Um polícia à porta é muito “guito” e assim ficas como estavas” …A aguardar reavaliação – pode ocorrer até 9.Set

  3. Bem na verdade ao fim deste tempo todo, do convívio diário com novos amigos de estar habituado como 1º ministro a ter a Polícia à porta, Socrates já se sente verdadeiramente em casa onde não é preciso usar pulseira electrónica, daí a recusa em usá-la ser absolutamente normal.

RESPONDER

NASA regressa a Vénus para perceber se o planeta já foi habitável no passado

A NASA está a regressar a Vénus para aprender como é que o planeta se tornou um deserto quente e venenoso — e se o planeta já foi habitável no passado. A NASA está finalmente a …

"Sonho que se tornou pesadelo". Fernando Santos admite mudanças no onze

O selecionador Fernando Santos disse hoje que Portugal vai carimbar a passagem aos ‘oitavos’ de final do Euro2020 e admite fazer mudanças na equipa para o encontro da derradeira jornada do Grupo F, com a …

Cientistas descobriram dois novos tipos de células cerebrais em ratos

Cientistas descobriram dois novos tipos de células gliais, um tipo de células do sistema nervoso central que dá suporte ao cérebro, em ratos. De acordo com o site EurekAlert!, investigadores da Universidade de Basileia, na Suíça, …

As bactérias intestinais podem influenciar a gravidade de um AVC

Uma equipa de investigadores da Cleveland Clinic, nos Estados Unidos, descobriu uma nova associação cérebro-intestino que está a surpreender a comunidade científica. Os resultados do estudo mostram como um metabólito produzido por bactérias intestinais pode amplificar …

O icónico Tamagotchi está de volta, mas desta vez em forma de smartwatch

No ano em que se celebram os 25 anos do Tamagotchi, surge uma nova versão do icónico brinquedo. O Smart é um Tamagotchi na forma de um relógio inteligente, para se usar no pulso. O …

Rã com olhos vermelhos descoberta no Equador. Chama-se Led Zeppelin

Os seus olhos vermelhos cativaram os investigadores, que decidiram batizar de Led Zeppelin uma nova espécie de rã terrestre descoberta no Equador. A Pristimantis ledzeppelin foi descoberta pelos equatorianos David Brito e Carolina Reyes, cientistas do …

Itália 1 - 0 País de Gales | “Azzurri” vencem mas galeses apuram-se

Imparável! Com o apuramento para os “oitavos” já no bolso, a Itália entrou em campo com nada mais, nada menos do que oito mexidas em relação à equipa que tinha iniciado o último jogo, frente …

Casa de banho do século XII encontrada em bar de tapas em Sevilha

Recentemente, um grupo de trabalhadores encontrou uma casa de banho do século XII dentro de um bar de tapas espanhol. A descoberta está a ajudar a perceber como era a vida em Sevilha na época. No …

Suíça 3 - 1 Turquia | Seferovic e Shaqiri “abrem o livro”

A Suíça venceu de forma categórica a Turquia por 3-1, afastou os turcos da prova e terminou o Grupo A no terceiro lugar, com quatro pontos, esperando agora pelo final da fase de grupos para …

Presidente eleito do Irão promete governo "revolucionário e anticorrupção"

O Presidente eleito do Irão, o clérigo ultraconservador Ebrahim Raissi, prometeu hoje formar um governo "trabalhador, revolucionário e anticorrupção", aludindo ao estrito cumprimento dos princípios do sistema teocrático do país. Num comunicado, Raissi apresentou-se como “um …