Sócrates recusa pulseira mas não vai ser ouvido pelo juiz

Arquivo ITU

O ex-Primeiro-ministro José Sócrates

O ex-Primeiro-ministro José Sócrates

Depois de ter recusado a prisão domiciliária com pulseira eletrónica, José Sócrates não deverá ser ouvido pelo juiz Carlos Alexandre esta terça-feira, quando deverá ser conhecida a decisão do magistrado.

O Ministério Público pediu alteração da medida de coação para “prisão domiciliária”, mas Sócrates, através de uma carta divulgada esta segunda-feira, afirma que não quer que a medida de coação seja revista e atenuada.

A não aceitação da pulseira eletrónica não implica que este seja ouvido pelo juiz, e a TVI24 apurou que José Sócrates não vai, de facto, ser ouvido esta terça-feira por Carlos Alexandre.

Segundo informação oficial do Tribunal de Instrução Criminal, o juiz Carlos Alexandre não tem neste momento todos os elementos necessários para decidir, faltando ainda a resposta da defesa à proposta do Ministério Público de pulseira eletrónica, de acordo com a TVI24.

A defesa de José Sócrates terá enviado a resposta aos pressupostos que o Ministério Público invoca para pedir a aplicação de uma medida privativa da liberdade por volta das 4h da manhã.

Depois de recebida a resposta da defesa do ex-Primeiro-ministro, a informação é remetida para o Ministério Público para que seja feita uma nova promoção. Tendo recusado a pulseira eletrónica, José Sócrates não pode recusar outra medida de coação proposta, como a obrigação de permanência na residência desde que não esteja sob vigilância eletrónica.

“Digo não.”

A decisão de José Sócrates foi comunicada aos advogados Pedro Delille e João Araújo, que esta segunda-feira o visitaram na prisão de Évora e com quem esteve reunido durante cerca de três horas.

Leia a carta com as suas justificações:

DECLARAÇÃO

A minha prisão constituiu uma enorme e cruel injustiça. Seis meses sem acusação. Seis meses sem acesso aos autos. Seis meses de um furiosa campanha mediática de denegrimento e de difamação, permitida, se não dirigida, pelo Ministério Público. Seis meses de imputações falsas, absurdas e, pior – infundamentadas, o que significa que o Ministério Público não as poderia nem deveria fazer, por não estarem sustentadas nem em indícios, nem em factos, nem em provas. Seis meses, enfim, de arbítrio e de abuso.

Aqui chegados, que cada um assuma as suas responsabilidades. A minha prisão foi uma violência exercida injustamente contra mim, mas foi-o de forma unilateral – foi-me imposta. Esse acto contou sempre com o meu protesto e o meu repúdio; nunca com o meu silêncio e muito menos com o meu assentimento. Agora, o Ministério Público propõe prisão domiciliária com vigilância electrónica, que continua a ser prisão, só que necessita do meu acordo. Nunca, em consciência, poderia dá-lo.

Por outro lado, não posso ignorar – nem pactuar – com aquilo que, hoje, para mim, está diante dos olhos: a prisão preventiva usada para investigar, para despersonalizar, para quebrar, para calar, para obter sabe-se lá que “confissões”. Também não ignoro – nem pactuo – com a utilização da prisão domiciliária com vigilância electrónica como instrumento de suavização, destinado a corrigir erros de forma a parecer que nunca se cometeram. Estas “meias-libertações” não têm outro objetivo que não seja disfarçar o erro original e o sucessivo falhanço: depois de seis meses de prisão, nem factos, nem provas, nem acusação.

Meditei longamente nesta decisão, no que ela significa de sacrifício pessoal e, principalmente, no sacrifício que representa para a minha família e para os meus amigos, que têm suportado esta inacreditável situação com uma extraordinária coragem. Todavia, o critério de decisão é simples – ela tem que estar de acordo com o respeito que devo a mim próprio e com o respeito que devo aos cargos públicos que exerci. Nas situações mais difíceis há sempre uma escolha. A minha é esta: digo não.

 

ZAP

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

    • Em vez do enleio daquela carta… Podia ficar-se por “Eu quero ficar preso até que a “história” me ilibe e não julgado pelos tribunais de um estado de direito democrático Europeu”.
      Não era melhor estratégia Marinho?

  1. Foi ele que mexeu na lei em 2010… O detento deve ou não concordar perante o juíz… sobre domiciliária com argola!
    Mas, “…não ignoro – nem pactuo – com a utilização da prisão domiciliária com vigilância electrónica como instrumento de suavização” !?!
    Quem não sabe que são várias as medidas de coação?
    Virada a página da recolha e cruzamento de prova, da parte da investigação, naturalmente que seria previsível a alteração da medida de coação (menos gravosa)! Agora chamar-lhe “suavização”!? É uma evidente falta de honestidade intelectual, diria, demasiado ostensiva para enganar tolos.

  2. Como diria o povo: “ai não queres? Um polícia à porta é muito “guito” e assim ficas como estavas” …A aguardar reavaliação – pode ocorrer até 9.Set

  3. Bem na verdade ao fim deste tempo todo, do convívio diário com novos amigos de estar habituado como 1º ministro a ter a Polícia à porta, Socrates já se sente verdadeiramente em casa onde não é preciso usar pulseira electrónica, daí a recusa em usá-la ser absolutamente normal.

RESPONDER

Vulcão nas Canárias em erupção e destrói casas. Cinzas podem chegar à Madeira

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, entrou este domingo em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região. A …

Cientistas queriam estudar a propagação das borboletas, mas criaram uma matriosca de parasitas

Objetivo dos cientistas era perceber, através da introdução da espécie de borboletas Glanville fritillary qual o seu poder de dispersão numa ilha finlandesa. No entanto, acabaram com um retrato alarmante para todos os investigadores que …

Marcelo encontra-se em Nova Iorque com Presidentes das Maldivas e Peru

O Presidente da República tem agendados encontros bilaterais com cinco chefes de Estado, em Nova Iorque, à margem da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), entre os quais os presidentes das Maldivas e …

Erupção do Fagradalsfjall dura há seis meses. É a mais longa na Islândia em 60 anos

A erupção vulcânica perto de Reykjavik se tornou a mais longa da história da Islândia desde 1960, marcando seis meses de expulsão de gás, pedra e lava no domingo (18). Milhares de espectadores ficaram maravilhados com …

Cientistas foram à procura de matéria escura e acabaram por encontrar energia escura

Uma equipa de cientistas foi à procura de matéria escura e pode ter encontrado energia escura em vez disso. Os investigadores querem ter a certeza que não foi uma casualidade. A energia escura é uma forma …

Role play ao serviço da Ciência. Investigadores fingem ser Neandertais para estudar caça a aves

Uma equipa de investigadores espanhóis decidiu adotar a "dramatização" científica para reconstruir um novo elemento do comportamento Neandertal: a cooperação com os membros do grupo enquanto usa fogo e ferramentas para caçar gralhas no interior …

Estoril 0-1 Sporting | Figueira deu o fruto que saciou o leão

Foi preciso surgir um erro crasso do guarda-redes estorilista (até então a fazer uma belíssima exibição) para o campeão nacional poder respirar de alívio e festejar a quarta vitória na Liga, esquecendo por agora a …

A tinta mais branca do mundo ajuda a poupar energia nas casas - e pode eliminar de vez o ar condicionado

Uma equipa de investigadores da Universidade de Purdue desenvolveu uma tinta tão branca que revestir um prédio com ela pode reduzir, ou até mesmo eliminar, a necessidade de ter ar condicionado. Depois de testar mais de …

Costa promete "lição exemplar" à Galp depois de "tanto disparate" em Matosinhos

O secretário-geral do PS, António Costa, considerou hoje que “era difícil imaginar tanto disparate, tanta asneira, tanta insensibilidade” como a Galp demonstrou no encerramento da refinaria de Matosinhos, prometendo uma “lição exemplar” à empresa. Falando em …

Porto 5-0 Moreirense | Días, Taremi e Fábio, o trio maravilha

O Porto foi o primeiro dos “grandes” a entrar em campo e deu o mote, e que mote. Os “dragões” receberam o Moreirense e golearam sem apelo nem agravo, por 5-0, graças a uma segunda …