Dono de bar na Galiza diz que serviu uma sandes ao “Piloto”

Paulo Novais / Lusa

Pedro Dias, suspeito de um duplo homicídio em Aguiar da Beira

Novos testemunhos dizem ter visto o homem mais procurado de Portugal, desta vez em território espanhol. Dono de um bar na Galiza assegura que atendeu o “Piloto”. 

O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira está em fuga há duas semanas e a Polícia Judiciária admite que lhe perdeu o rasto, embora aposte na ideia de que continua na zona de Vila Real.

Entretanto, há quem garanta ter visto Pedro Dias em território espanhol, mais concretamente na localidade de Xinzo, na Galiza, escreve o Jornal de Notícias.

A notícia foi inicialmente avançada pelo jornal La Region e dá conta que o suspeito, também conhecido por “Piloto”, estava volante de um BMW preto.

Além disso, o dono de um bar, na localidade de Sandiás, diz ter servido o homem, que saiu do estabelecimento de forma precipitada depois de ter pedido uma sandes.

Em declarações ao jornal, o subdelegado do Governo de Ourense, Roberto Castro, diz que a Guardia Civil já estar a par do caso e em contacto com as autoridades portuguesas.

Pedro Dias é o principal suspeito de matar um guarda da GNR e um civil, além de ter deixado duas pessoas em estado grave.

A última pista que aponta para “Piloto” foi o roubo de um jipe, numa quinta de turismo rural em Celeirós do Douro, Sabrosa, na madrugada de segunda-feira.

Mas não há confirmação de que tenha sido mesmo ele o autor do furto e pode ter sido simplesmente uma pista falsa. A PJ também já admitiu que o homem pode estar a ser ajudado por terceiros na sua fuga.

ZAP

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Tenho uma dúvida relacionada apenas com a ortografia do título: de onde eu venho há quem coma uma “sande” ou duas “sandes”. Em outras zonas do país, não interessa quem come 1 ou 2, come sempre plural, “sandes”. Há mais casos destes na língua portuguesa? Exemplos? Ou trata-se de um erro que a comunidade jornalística insiste em repetir?

    Obrigado.

  2. As palavras sande e sandes são sinónimas de sanduíche, o aportuguesamento da palavra inglesa sandwich. As duas formas, sande e sandes, são obtidas por truncação (processo de formação de palavras que consiste na redução de um termo sem alteração do seu significado ou da sua categoria gramatical) do substantivo sanduíche, sendo que no caso de sandes se verifica o acréscimo paragógico de um -s expressivo.

    O plural de sande forma-se de modo regular, acrescentando um s ao final da palavra (ex.: comeu uma sande de fiambre / comeu duas sandes de fiambre), enquanto a palavra sandes é invariável em número, isto é, a forma singular é igual à forma plural (ex.: a sandes de frango estava deliciosa / as sandes de frango estavam deliciosas). Em português, existem vários casos de pares de variantes em que uma delas flexiona em número e a outra, que corresponde graficamente ao plural da primeira, é invariável em número, tais como cosmo / cosmos, lava-loiça / lava-loiças ou pobretana / pobretanas.
    Pedro Mendes, 16/01/2007

    http://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/2471

  3. Francamente! Mas o que é que interessa se é “sande” ou “sandes”? O que interessa é a notícia em concreto. Vamos ao que interessa, para mim este “taberneiro” quer é publicidade ( porque o cromo “piloto” nunca lá esteve).

RESPONDER

“Foi torturada”. Princesa Latifa escreve carta à polícia a pedir que investigue desaparecimento da irmã

Latifa escreveu à polícia britânica em 2019. O caso da sua irmã Shamsa, raptada em Inglaterra há mais de vinte anos, tem muitas semelhanças com o drama agora vivido pela princesa. A princesa Latifa, filha do …

Pelo menos oito mortos após golpe de Estado em Myanmar. ONG pedem embargo ao fornecimento de armas

Pelo menos oito pessoas morreram em Myanmar, como resultado da violência desencadeada após o golpe de Estado realizado pelos militares a 1 de fevereiro, segundo a Associação de Assistência aos Prisioneiros Políticos (AAPP). Até agora, o …

24 mil milhões até 2025 e 100% renovável até 2030. Eis o novo plano estratégico da EDP

A EDP apresenta esta quinta-feira o seu novo plano estratégico, comprometendo-se a investir 24 mil milhões de euros até 2025 na transição energética e anunciando o objetivo de até 2030 se tornar 100% verde. Na nota …

Manchester United e Liverpool querem Raphinha, ex-Sporting

Raphinha, antigo jogador do Sporting CP e do Vitória SC, está a ser sondado pelo Manchester United e pelo Liverpool. O brasileiro tem estado em destaque na Premier League, ao serviço do Leeds. Manchester United e …

50 deputados e menos de 100 pessoas na sala. Posse de Marcelo segue modelo do 25 de Abril

Marcelo Rebelo de Sousa vai tomar posse como Presidente da República, no parlamento, no dia 9 de março, numa cerimónia em que apenas estarão presentes 50 dos 230 deputados e menos de 100 pessoas no …

Depois de um conselho nacional tenso, líder do CDS reúne-se com a bancada parlamentar

O líder do CDS vai reunir-se, esta quinta-feira, com os cinco deputados centristas para dialogarem sobre a articulação entre a direção e a bancada parlamentar. Tal como recorda o jornal Público, esta reunião de trabalho acontece depois …

Enquanto Flamengo afasta regresso de Jorge Jesus, o "Galo" vem ao ataque

O treinador benfiquista afasta o cenário de uma saída precoce do Estádio da Luz. O Flamengo rejeita o regresso de Jorge Jesus, enquanto o Atlético Mineiro manifesta o seu interesse. Jorge Jesus foi categórico: "Não vou …

"Ihor gritava como um cão atropelado". Seguranças contam nova versão em tribunal

O segurança Manuel Correia testemunhou esta quarta-feira que “ouviu gritos” de Ihor Homeniuk vindos de uma sala do SEF no aeroporto de Lisboa e que encontrou um dos inspetores com um pé em cima da …

Dos pés de Cancelo para a cabeça de Bernardo Silva. City ganha na Champions com um golo 100% português

Os internacionais portugueses João Cancelo e Bernardo Silva foram fundamentais para a vitória do Manchester City sobre o Borussia Monchengladbach (2-0), na primeira mão dos oitavos da Liga dos Campeões, com ação direta nos dois …

"População não interiorizou a gravidade da situação". Depois de Siza, Cabrita aponta o dedo aos portugueses

Num relatório sobre a aplicação do decreto do estado de emergência na segunda quinzena de janeiro, Eduardo Cabrita justifica o fecho das escolas e o fim das vendas ao postigo, culpando a população pelas decisões …